Notícia

Ricardo Ares oficializado ao leme dos dragões

Jul 06, 2021

Foto de capa: FC Porto Sports

O Porto oficializou esta segunda-feira Ricardo Ares como novo treinador, sucedendo a Guillem Cabestany. No plantel que atacará 2021/22, a dúvida será apenas a integração de Hugo Santos. #Mercado #PrimeiraDivisão

Já com 46 anos completos (no passado dia 30 de Junho), Ricardo Ares foi oficializado como treinador do Porto, sucedendo a Guillem Cabestany no comando técnico dos dragões.

O treinador, basco de nascença, mas com o Hóquei em Patins catalão na alma, é um ilustre desconhecido do grande público. A nível sénior masculino, Ares "apenas" orientou o Voltregà, entre 2010 e 2016, e saltou para a ribalta com a "promoção" em 2019 a timoneiro da selecção sénior masculina espanhola (antes liderara a feminina), substituindo no cargo Alejandro Dominguez, de quem era adjunto. Mas, atraiçoado pela pandemia, não realizou qualquer jogo oficial.

Apesar disto, o presidente dos dragões, Jorge Nuno Pinto da Costa, mostrou-se confiante na apresentação do técnico. "O Ricardo Ares é um treinador conceituado, foi selecionador de Espanha recentemente, por isso temos as maiores esperanças em que tudo vai correr bem", afirmou.

Com Ricardo Ares foi apresentado também o catalão Edu Farrés, para treinador-adjunto, mantendo-se a parceria já estabelecida na selecção feminina de Espanha. Miguel Almeida, na equipa técnica desde 2018, será o preparador-físico.

Plantel

O plantel que Ares herda de Cabestany terá apenas duas baixas. Que seria apenas uma - do italiano Giulio Cocco -, não fosse a não prevista saída de Daniel Oliveira ("Poka") para o Benfica.

De azul-e-branco continuam os guarda-redes Tiago Rodrigues e Xavi Malián e os jogadores de pista Carlo Di Benedetto, Ezequiel Mena, Gonçalo Alves, Rafa, Reinaldo Garcia e Xavi Barroso, sendo as vagas colmatadas por Carlos Ramos, ex-Valongo, e Telmo Pinto, num regresso ao Dragão depois de duas temporadas no Sporting.

Também de regresso poderá estar Hugo Santos. Ligado contratualmente ao Porto, o jovem atacante esteve cedido à Sanjoanense no último ano e meio e aguardará que Ares defina se ataca a temporada com 10 jogadores - como Cabestany advogava - ou com 11, com um plantel principal alargado como os rivais.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade