Notícia

«Falta de coerência e de verdade»

Sep 24, 2021

O Valongo emitiu um comunicado apontando incoerência (e falta de verdade) entre o que foi dito pelos dirigentes do Sporting no local e o que foi depois escrito em comunicado. #PrimeiraDivisão #Comunicado

Diz o ditado que "quem não se sente não é filho de boa gente", e o Valongo respondeu ao comunicado emitido pelo Sporting relativamente aos acontecimentos no final do embate entre as duas equipas, em que os leões venceram por 3-5.

No seu comunicado de oito pontos, que transcrevemos abaixo na íntegra e da forma mais fiel possível, a direcção do Valongo aponta o dedo ao comportamento de "alguns elementos do S.C.P. mas que devem à A.D. Valongo muito do que, em parte, são hoje no Hóquei Patins nacional", sendo que Ângelo Girão, Henrique Magalhães, João Almeida e João Souto todos representaram os valonguenses e - exceptuando Almeida - contribuíram de forma decisiva para o histórico título nacional de 2014.

Negando a existência de qualquer ferido grave, o Valongo contesta a incoerência entre o que os elementos do Sporting reportaram no local e aquilo que, 24h depois, seria divulgado em comunicado pelos leões.

Comunicado da Associação Desportiva de Valongo

Face ao teor de notícias e comunicados públicos a propósito de "agressões" e "lotações" no jogo A.D.V.-S.C.P. da 1ª Divisão do Campeonato Nacional de Hóquei em Patins, cumpre à A.D. Valongo informar o seguinte:

1º - A A.D. Valongo lamenta e repudia sempre todos e quaisquer atos de violência e fez, faz e fará sempre tudo o que estiver ao seu alcance para os prevenir e evitar;

2º - Mas orgulha-se da prestação da sua jovem equipa no jogo em causa, visivelmente desconcertante e inesperada para alguns.

3º - A A.D. Valongo lamenta, sobretudo certos comportamentos e provocações, bem visíveis no fim da 1ª parte e no fim do jogo, praticados por alguns elementos do S.C.P. mas que devem à A.D. Valongo muito do que, em parte, são hoje no Hóquei Patins nacional;

Porém, nem isso, nem mesmo os castigos, que estão precisamente a cumprir por factos semelhantes, conseguiram prevenir tais comportamentos;

É, pois, destes reincidentes comportamentos que o Conselho de Disciplina da FPP, chamado pelo S.C.P. a intervir, deve tratar adequada e exemplarmente.

4º - Os desacatos verificados, na zona exclusivamente reservada aos adeptos e elementos do staff do S.C.P. não inscritos na ficha de jogo, foram pronta e adequadamente sanados pelos elementos de segurança e pelo staff da A.D. Valongo que disponibilizou o acesso à sua zona técnica até se acalmarem os Ânimos exaltados dos adeptos, o que foi confirmado por responsável do staff do S.C.P. às forças de segurança.

5º - A A.D.V. não tem conhecimento de qualquer registo de ocorrência ou de detenção, nem foi chamado ao Pavilhão Municipal de Valongo qualquer meio de socorro, nem qualquer assistência médica, nem foi visto qualquer ferido, muito menos grave, nos adeptos, nem no staff do S.C.P., nem da A.D.V.;

Tudo isto foi confirmado por dirigentes do S.C.P. perante as autoridades de segurança

6º - Por isso, a A.D. Valongo estranha a falta de coerência e de verdade, entre as declarações prestadas às forças de segurança pelos dirigentes do S.C.P. presentes no pavilhão e o que foi escrito no comunicado do S.C.P. do dia seguinte.

7º - A A.D. Valongo cumpriu os rácios de adeptos permitidos pelas normas e orientações da D.G.S. em vigor.

8º - Por último, quem estava a mais no Pavilhão Municipal de Valongo foi apenas e tão só alguém a quem, por não estar devidamente credenciado, não foi permitida a entrada e, certamente por isso e apesar disso, decidiu noticiar sem saber e sem cuidar de saber, o que não corresponde à verdade, mas que se propagou na comunicação social.

A Direcção da A.D. Valongo

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade