Notícia

Uma selecção amadurecida, em busca do 22º título europeu

Nov 15, 2021

Arranca esta segunda-feira o 54º Europeu. Portugal ataca o seu 22º título com um grupo campeão do Mundo, consolidado, maduro, com 'obrigação' de vencer. Dos chamados por Renato Garrido, nove já estavam nas grandes provas em 2015. #Euro

Portugal parte para o 54º Europeu com a ambição de erguer o título pela 22ª vez. Para tal, conta com um "factor casa" que lhe valeu até, ao momento, mais de metade dos títulos conquistados (11 dos 21) em 13 campeonatos realizados em solo luso. Mas o concelho de Paredes - que agora recebe a prova até dia 20 - foi um dos madrastos, quando em 2012 o título escapou a seis segundos do fim...

Mas a selecção das quinas conta também com um grupo consolidado, numa geração valorosa que vai tendo cativa a chamada aos grandes eventos. Por exemplo, da actual selecção, nada menos que nove atletas já estiveram no Mundial de 2015, há seis anos, sendo agora o único ausente o já retirado Valter Neves. Na altura, a média de idade da selecção estava pouco acima dos 25 anos.

Os "miúdos" foram crescendo.

Seis anos volvidos, nem a chamada de Miguel Vieira impede que esta selecção seja já "trintona" na sua média, algo que nunca acontecera nas anteriores chamadas dos que em Paredes voltaram a tentar elevar o nome de Portugal.

De Diogo a Miguel

A primeira "pedra" desta selecção absoluta - sendo que todos começaram a ser aposta logo nas selecções jovens - em termos de grandes campeonatos (europeus e mundiais) foi lançada em 2011, com Rui Neto a chamar Diogo Rafael ao Mundial de San Juan, numa das três novidades em relação ao Europeu de Wuppertal em 2010 que o agora treinador do Óquei de Barcelos promoveu. Desde aí, Diogo só falhou a chamada ao Mundial em 2019, estando pela 9ª vez em grandes campeonatos.

Um ano depois, no tal malfadado Europeu de Paredes, Neto ousou com a chamada de João Rodrigues e Hélder Nunes, que, somando a 9ª chamada consecutiva, nunca mais falhariam um grande campeonato. João e Hélder são capitão e sub-capitão da selecção.

Mas Neto ousou também chamar Jorge Silva, um dos heróis da conquista mundial de Sub-20 em 2003, mas que tardava em ter o seu espaço na selecção absoluta. Jorge fez quatro grandes provas consecutivas até 2015, regressando em 2019 para conquistar o Mundial. Com 37 anos, é o mais velho - mas quiçá o mais irreverente - da actual selecção.

Em 2013, Luís Sénica deixou o Benfica e reclamou de volta o seu lugar como seleccionador, atacando o Mundial de Angola com Ângelo Girão, Pedro Henriques e Gonçalo Alves. Ângelo e Pedro repartiam a baliza (pelo menos no papel...) com Ricardo Silva. Girão nunca mais largou os postes lusos - e tem a maior fatia, quase todo o bolo, na conquista do Mundial em 2019 - e vai para a sua 8ª chamada, ao passo que a chamada de Pedro Henriques tem sido intermitente, agora a 5ª. Tal como Girão (e João e Hélder), Gonçalo Alves pegou "de estaca".

No Europeu de Alcobendas, em 2014, não houve novidades em relação aos homens que agora concretizam o grupo de Renato Garrido. Já o Mundial de 2015 foi de viragem.

Em La Roche Sur-Le-Yon juntavam-se a Diogo, João, Hélder, Jorge, Girão, Pedro e Gonçalo mais dois nomes da selecção de agora: Telmo Pinto e Rafa. Rafa ganhou o seu lugar e somará em Paredes a sua 6ª chamada. Já Telmo falharia as três provas seguintes, mas, tal como Jorge Silva, voltaria para a consagração Mundial, já com Renato Garrido, em 2019.

Dos 10 inicialmente chamados (a que se juntou depois Miguel Vieira) por Garrido para o Europeu deste ano, ficava a faltar apenas a chamada de Henrique Magalhães. Mas não tardou. Preterido no estágio final em 2015, Henrique foi chamado ao Europeu de Oliveira de Azeméis em 2016, enfim de glória portuguesa, no ponto final no maior jejum de títulos - de 13 anos - da História lusa na modalidade.

Tal como agora, "descontando-se" o lesionado Nelson Filipe, de um título (Europeu) para a tentativa de conquista de outro (Mundial), o seleccionador - então Luís Sénica - chamou todos os campeões. Mas, na altura, na China, não redundaria em novo título. Reinaldo Ventura e Ricardo Barreiros, que tinham regressado para contribuir decisivamente para o regresso aos títulos em 2016, deixaram as quinas e Portugal atacou o Europeu de 2018 com apenas duas nuances em relação ao elenco actual.

Em 2019, regressavam então Jorge e Telmo. Faltava Diogo, mas estreava-se Miguel Vieira, campeão do Mundo de Sub-20 em 2013 com Hélder Nunes, numa excepcional lufada. Portugal conquistou o Mundo e, como em equipa que ganha não se mexe, Renato Garrido chamou todos os disponíveis (mais Pedro e Diogo) de volta para tentar repetir algo que não acontece desde 1994: juntar o título Europeu ao título Mundial.

Renovação em Espanha

Desde que Diogo Rafael foi chamado em 2011, houve cinco Mundiais e quatro Europeus. Portugal venceu duas dessas grandes provas e a Espanha cinco, três deles a encerrar um ciclo de 10 anos a ganhar tudo o que importava.

Mas, pese a posterior conquista de um Mundial (2017) e um Europeu (2018), da selecção que jogou o Mundial de 2015, estão apenas Carles Grau e Toni Pérez, ao passo que - em maré de renovação - do Mundial de Sub-20 que se realizou no mesmo ano, estão cinco jogadores.

Martí Serra, Ferran Font, Ignacio Alabart, César Carballeira e Sergi Aragonés jogaram esse Mundial júnior às ordens de Guillem Pérez, perdendo na final, nas grandes penalidades, para uma selecção portuguesa orientada por Luís Duarte que, numa geração à sombra da anterior, "leva" agora ao Europeu de Paredes apenas Miguel Vieira, consagrado campeão do Mundo, mas em chamada de última hora.

O 54º Europeu

(Alguns factos da prova e todos os convocados aqui)

Fase de qualificação

• Itália vs. França • 15.Nov • 15h30

• Espanha vs. Andorra • 15.Nov • 18h30

• Portugal vs. Alemanha • 15.Nov • 21h45

• Itália vs. Espanha • 16.Nov • 15h30

• Andorra vs. Alemanha • 16.Nov • 18h30

• França vs. Portugal • 16.Nov • 21h45

• Alemanha vs. Espanha • 17.Nov • 15h30

• Andorra vs. França • 17.Nov • 18h30

• Portugal vs. Itália • 17.Nov • 21h45

• França vs. Alemanha • 18.Nov • 15h30

• Itália vs. Andorra • 18.Nov • 18h30

• Espanha vs. Portugal • 18.Nov • 21h45

• Itália vs. Alemanha • 19.Nov • 15h30

• França vs. Espanha • 19.Nov • 18h30

• Portugal vs. Andorra • 19.Nov • 21h45

5º e 6º lugares

5º Qualificação vs. 6º Qualificação • 20.Nov • 14h30

3º e 4º lugares

3º Qualificação vs. 4º Qualificação • 20.Nov • 17h

Final

1º Qualificação vs. 2º Qualificação • 20.Nov • 20h

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade