Notícia

Comité técnico europeu afastado

Jan 01, 2022

O comité técnico europeu (WSE-RH), presidido por Agostinho Silva, foi afastado, cessando funções com o final de 2021. Depois da gestão mais complicada de sempre em virtude da pandemia, é tirado de cena a meio da temporada. #Institucional

Nomeado em Abril de 2020 para suprir a demissão de Fernando Graça por motivos de saúde, Agostinho Silva esteve pouco mais de ano e meio na gestão do Hóquei em Patins europeu, a mais curta da história do organismo, mas provavelmente a mais atribulada.

Com a pandemia a "invadir" a Europa, o dirigente luso encontrou as provas europeias de clubes suspensas e o Europeu de selecções adiado para 2021, mas ainda sob organização francesa.

As competições europeias de clubes de 2019/20 acabariam por ser canceladas, as de 2020/21 arrancaram, mas foram rapidamente suspensas e reformuladas, avançou a Associação Europeia de Clubes (EHCA) e a sua ambição de uma "Superliga", avançou a União Europeia de Hóquei em Patins (UERH) com as federações ditas "pequenas" a reclamarem da prepotência da EHCA e da própria World Skate Europe, e a França desistiu de organizar o Europeu.

Para as provas europeias desta temporada, no braço de ferro com a EHCA, a WSE de Fernando Claro e WSE-RH de Agostinho Silva acabariam por não ceder aos caprichos de "quero, não quero, agora já quero, posso e mando" dos clubes gigantes da modalidade pagando com provas delapidadas, mas para quem quis de facto estar.

O Campeonato da Europa foi adiado, indo de encontro à pretensão de algumas federações da UERH, mas ficaria marcado por um último dia em que não houve jogo para o bronze (entre Portugal e Itália) e em que algumas vozes pediram mesmo o cancelamento de uma prova que fica de má memória, desportivamente, para a selecção das quinas. A final foi jogada, coroando a Espanha.

No final de Novembro, houve congresso electivo na mundial World Skate. Sabatino Aracu continuou na presidência e Carmelo Paniagua como "chairman" do comité técnico mundial, responsável por nomear o "chairman" ou presidente de cada comissão técnica continental, depois de ouvir a opinião de cada presidente continental.

Na Europa, Luís Sénica sucedeu a Fernando Claro, e, estatutariamente, terá sido tido em conta no afastamento desde já - quando se propalava que tal pudesse suceder no final da temporada hoquística - da estrutura liderada por Agostinho Silva, presidente-adjunto de Sénica na Federação de Patinagem de Portugal.

Com a saída de toda a estrutura, sai também o português Ricardo Oliveira, até agora responsável pela arbitragem, aguardando-se nos próximos dias a oficialização dos novos nomes.

A recente decisão da World Skate Europe de alteração do calendário europeu terá gerado algum burburinho entre os clubes participantes, e caberá já ao novo comité técnico mediar os ânimos entre estes e o organismo máximo europeu.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade