Notícia

Barcelona arranca 2022 no topo

Jan 14, 2022

Com um registo perfeito na OK Liga, o Barcelona fechou 2021 no topo do ranking oficioso do RinkHockey.net. Intrometidos entre os clubes da EHCA, Tomar e Trissino deram os saltos maiores para o 'top 10' desde o início da temporada. #Ranking

Se não houver nenhum adiamento de última hora dos que têm marcado, por casos positivos de coronavírus, as últimas jornadas da OK Liga, o Barcelona regressa este sábado às pistas - recebe o Voltregà - para o primeiro jogo de 2022. E fá-lo-á como líder de um oficioso, mas valorado, ranking mundial de clubes, algo que ainda não sucedera esta temporada.

O ranking, elaborado há vários anos pelo professor Fernando Castro do projecto "RinkHockey.net" assenta numa razão matemática, tantas vezes de costas voltadas ao pouco matemático desporto, mas reconhecida.

Na actualização nos primeiros dias de Setembro, o ranking dava a "pole position" para a nova temporada a um Sporting campeão de Portugal e da Europa. Os leões segurariam essa posição no primeiro mês, mas cairiam em Outubro para segundo e os resultados de Dezembro fazem-nos entrar em 2022 em terceiro.

A liderança fora reclamada pelo Porto, finalista da Elite Cup e então ainda invicto no campeonato. Os dragões fecharam o mês de Outubro e Novembro no topo, mas os jogos de Dezembro, pese a vitória dos azuis-e-brancos na Intercontinental, elevaram o Barcelona de João Rodrigues e Hélder Nunes. Na competitiva OK Liga, o Barcelona lidera só com vitórias e tem o melhor ataque e a melhor defesa, e dificilmente lhe escapará o triunfo... na fase regular. O play-off será outra história...

Três corridas

No "top 10" deste ranking têm-se verificado três "corridas", em blocos distintos. Se Barcelona, Porto e Sporting se digladiam pela liderança,

Benfica, Liceo, Óquei de Barcelos e Oliveirense "dançam" entre o 4º e o 7º lugar. As águias chegaram a estar em 6º depois de um mau arranque de campeonato, mas recuperam agora o 4º lugar com que começaram a temporada.

Mais animada e com mais candidatos está a corrida aos três lugares que fecham o "top 10".

Trissino e Tomar intrometem-se

No início da temporada, o "top 10" era fechado por Lodi (que protagonizou a maior queda, para 16º), Reus e Forte. Agora, nenhum cabe entre os 10 mais bem classificados.

Os sete primeiros lugares do ranking são ocupados por sócios da Associação Europeia de Clubes (EHCA) e, de facto, do naipe que participou na última edição - a nove - da Liga Europeia, apenas estão "descolados" o Reus, num mais distante 12º lugar, e o Noia, em 10º.

Entre o Noia, que fecha o "top 10", e os seus consócios da EHCA estão duas equipas que ousaram em participar na edição desta época da mais importante prova europeia de clubes e que protagonizam as mais relevantes entradas nos 10 primeiros.

Os italianos do Trissino têm um registo perfeito em Itália, com 10 vitórias em outros tantos jogos, e, sob a liderança de Alessandro Bertolucci, saltam de 17º para 8º.

A fechar o "top 10" na actualização do início de Novembro e já em 9º no início de Dezembro, o Tomar consolida o seu lugar, aliando o 6º lugar na I Divisão ao 6º lugar entre as equipas portuguesas deste ranking. No início da temporada, a equipa orientada por Nuno Lopes ocupava o 14º posto.

As 14 equipas da I Divisão abrem 2022 nos primeiros 55 lugares, com Sanjoanense e Turquel a fecharem este lote. A Sanjoanense é 50ª e o Turquel 55º, com quebras de, respectivamente, 30 e 23 lugares em relação ao início da temporada.

Entre as equipas da categoria máxima portuguesa, intrometem-se na classificação três equipas da II Divisão. Despromovidos, Riba d'Ave sobe do 45º que ocupava no arranque da época para 29º, e o Famalicense de 44º para 35º. O Candelária, que persegue o regresso ao escalão maior há anos, começou a época em 47º e é agora 41º.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade