Notícia

Filipe Fernandes é o próximo capítulo no romance luso do Lodi

Mar 04, 2022

Filipe Fernandes, do Paço de Arcos, será o próximo português a vestir a camisola do Lodi. Nos 'giallorossi' sucederá a Luís Querido, Gonçalo Pinto e João Pinto, mas também a Livramento, Vitor Rosado e António Rocha. #Mercado #PrimeiraDivisão #SerieA1

O Amatori Lodi é um dos mais reconhecidos clubes italianos e, nos últimos anos, as suas proezas têm eco em Portugal pela aposta nos portugueses. E, duas temporadas depois de ter perdido João Pinto, os "giallorossi" voltam a apostar no talento luso, garantindo Filipe Fernandes.

Filipe Fernandes cumpre a sua quarta temporada no Paço de Arcos, tendo vivido a tristeza da descida à II Divisão - numa ingrata "liguilha" - e a alegria do regresso ao escalão maior. Esta temporada, o histórico emblema da Linha vai navegando em águas tranquilas, oito pontos acima dos lugares de descida e a apenas dois de um lugar no play-off de discussão do título.

Agora com 23 anos, Filipe chegou ao Paço de Arcos em 2018, depois de um longo percurso formativo no Benfica que culminou na conquista do Campeonato Nacional da II Divisão. Filipe Fernandes ergueu, como capitão, o troféu.

De Livramento a Luís Querido e Gonçalo Pinto

A aposta do Lodi em portugueses não é de agora. Na última década, o PalaCastelloti foi palco da afirmação de João Pinto, antes do regresso a Portugal para brilhar com as camisolas de Juventude de Viana e Sporting. Voltaria a Itália e ao Lodi em 2019, para mais uma temporada de "giallorosso", já com Nuno Resende ao leme.

O agora técnico do Benfica liderou o Lodi entre 2016 e 2020 e sagrou-se campeão em 2017 e 2018, somando metade dos "scudettos" que o clube da Lombardia conta hoje. No seu segundo título, o treinador português tinha o contributo de dois jogadores lusos, Luís Querido, agora no Óquei de Barcelos (esteve duas épocas no Lodi), e Gonçalo Pinto, esta época de novo às ordens de Resende, no Benfica.

Mas a ligação do Lodi ao Hóquei em Patins luso vai muito para além desta última década.

O mítico António Livramento foi o primeiro português a vestir a camisola listada amarela e vermelha, num marco para o emblema italiano, apesar daquele que é para muitos o melhor de todos os tempos só ter ali estado em 1977/78, já perto do final da carreira.

Volvidos alguns anos, na década de 80, o Lodi voltava a olhar para Portugal, chamando em 1984 Vítor Rosado, figura do Oeiras nas três conquistas consecutivas da extinta Taça das Taças, em 1977, 1978 e 1979. Voltaria a conquistar o troféu em 1981, pelo Sporting, às ordens de "mestre" Livramento.

Rosado só ficaria um ano em Lodi, sendo substituído por António Rocha, aquele que mais carinho granjearia, e granjeia ainda hoje, dos italianos. O pai de Miguel Rocha, jogador do Óquei de Barcelos, representou o Lodi em quatro temporadas entre 1985 e 1990, com um "intervalo" em 1988/89, quando foi espalhar a sua técnica distinta a Reus.

Reinvenção segundo "Gigio"

Num ano de 2020 em que a pandemia cancelou tudo o que era provas de Hóquei em Patins, o Lodi garantira o apuramento para os quartos-de-final da Liga Europeia, deixando pelo caminho o campeão Sporting. Mas, no defeso que se seguiu, veria partir Nuno Resende e João Pinto para o Trissino.

O futuro não augurava nada de bom perante o despontar de novas potências económicas como o Bassano ou o Trissino, que se juntavam ao Forte como principais rivais de um Lodi que privilegiava a estabilidade financeira. E, por tudo isso, a pretérita temporada foi de sonho. Às ordens de "Gigio" Bresciani, o Lodi venceu a Serie A1 e a Coppa, na primeira dobradinha da sua história.

No actual Lodi, Jordi Mendez soma 40 golos e Enric Torner 27. São dois dos três melhores marcadores da Serie A1 e totalizam 67 dos 105 golos dos "giallorossi".

Não resistiria a nova investida económica, perdendo o capitão Domenico Illuzzi e Elia Cinquini para o Forte e "Checco" Compagno para os espanhóis do Reus, mas "Gigio" - que representou o Seixal na época de 1999/2000 - vai logrando, em 19 jornadas realizadas, um extraordinário 2º lugar (com oito vitórias e um empate nas últimas nove partidas), ainda que a 11 pontos do líder Trissino.

Para a próxima época, o Lodi já renovou com o agora capitão Valentin Grimalt e deverá ter como prioridade assegurar a continuidade dos catalães - e principais figuras da equipa - Enric Torner e Jordi Mendez. O que se afigura difícil...

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade