Notícia

Enfim a estreia adiada

Mar 06, 2022

Apesar de ter orientado o Sporting, Guillem Pérez não chegou a 'desfrutar' do sumptuoso João Rocha. Estrear-se-á agora no imponente palco leonino, como treinador do Turquel e frente ao técnico que, em 2017, lhe sucedeu nos leões. #PrimeiraDivisão

Em 2016, a aposta do Sporting no Hóquei em Patins ganhava força e, com o investimento do então presidente Bruno de Carvalho, argumentos monetários.

Os leões chamaram o director José Trindade do "vizinho" Benfica para tentar o que já lograra nas águias, revitalizando a secção.

Nuno Lopes, devolvera o Sporting aos títulos com a conquista da Taça CERS e da Supertaça António Livramento, mas José Trindade apostou num técnico jovem, relativamente desconhecido. Ex-seleccionador de Sub-20 da Espanha, Guillem Pérez protagonizara uma boa temporada na OK Liga ao serviço do Vendrell, onde despontara Guillem Cabestany, que chegara um ano antes para o Porto. Chegaria aos leões com 34 anos e acabou "devorado" nas guerras internas da secção leonina.

O Sporting era ambicioso, mas faltavam condições. Depois de ter tido o Livramento como casa, mudara-se para Alverca, à espera que o João Rocha, fosse concluído. Com capacidade para três milhares de espectadores, condições de topo e a proximidade ao estádio, seria uma mais-valia de que Guillem Pérez não chegaria a dispôr.

A imponente infraestrutura a que, em poucos anos, já não faltam histórias de conquistas (no Hóquei em Patins, como quando foi palco das Final Four da Liga Europeia e da Taça Continental em 2019, e não só) foi inaugurada no final dessa temporada de 2016/17, já depois de Guillem Pérez ter sido afastado.

De leão ao peito

A aventura leonina de Guillem Pérez começou com a conquista da então oficiosa Elite Cup. Pérez contava com André Centeno, Caio, Daniel Oliveira ("Poka"), Estebán Abalos ("Tuco"), Sergi Miras, João Pinto e Pedro Gil e ainda três "sobreviventes" até à presente temporada. Desse plantel orientado por Guillem Pérez em 2016/17 sobram os guarda-redes Ângelo Girão e Zé Diogo e o atacante Ferran Font, reforço para essa época com apenas 19 anos. O tempo passa rápido e o talentoso atacante catalão já vai na sua sétima temporada de leão ao peito. Também integrara os trabalhos de início de temporada Gonçalo Nunes, muito novo, que cedo sairia por empréstimo.

Para o campeonato, o treinador catalão fez 17 partidas. Perdeu em pista apenas em Barcelos e na Luz, somando 41 pontos nessas 17 jornadas disputadas à frente dos leões. Destes 41 pontos, perderia três na secretaria frente ao Paço de Arcos por inscrição irregular de Zé Diogo na ficha.

Poderá ser apontado um "pecado" desportivo, naquele que era o primeiro ano do regresso do Sporting à Liga Europeia, não conseguindo o apuramento para os quartos-de-final. Mas o afastamento do treinador - caricato, aquando de uma viagem do técnico a Espanha - acabaria por ter muito de político, depois da saída também de José Trindade.

Barcelona e o regresso a Portugal

Guillem Pérez afastou-se dos palcos maiores. Encontrou sentido nos escalões de formação do Barcelona, mas optou por sair no último defeso. As saudades da competição de alto nível apertavam.

Em Dezembro foi chamado pelo Turquel, um dos palcos invejados em Espanha pelo seu "calor", pela paixão pela modalidade. E, apesar de uma missão de manutenção que se antevê hercúlea, não hesitou em aceitar o desafio.

O jogo no João Rocha será mais uma oportunidade de somar pontos, mas todo e qualquer argumento fará pender o favoritismo para os leões.

Pese o momento "menos bom", os 41 pontos somados em 19 jornadas pelo Sporting contra os oito em 17 jogos (quatro pontos em quatro jogos com Guillem) de um aflito Turquel, valem claro favoritismo à equipa de Paulo Freitas.

Para a equipa da Aldeia do Hóquei sobrará a parca esperança de que a ausência de Gonzalo Romero, necessariamente em suspensão preventiva depois de ter visto o vermelho para a Taça, se faça sentir de sobremaneira. Mas nem a constatação de que o Turquel somou mais mais pontos (um) do que o Sporting (zero) nas duas últimas partidas será animadora...

Para o campeonato, os leões não perdem três jogos consecutivos desde Janeiro de 2014, ainda antes de Nuno Lopes assumir a equipa, quando o objectivo do agora campeão nacional e europeu era apenas a "mera" manutenção no escalão maior. E não estão três jogos consecutivos sem ganhar desde Abril de 2016, antes de Guillem Pérez assumir a sua breve aventura de verde-e-branco.

O jogo deste domingo está agendado para as 18h e será dirigido por Miguel Guilherme e João Catrapona.

20ª jornada

Paço de Arcos 4-1 Marinhense • 5.Mar

• Valongo 1-4 Oliveirense • 5.Mar

• Parede 2-5 Óquei de Barcelos • 5.Mar

• Benfica vs. Porto • 6.Mar • 15h • Pedro Figueiredo e Carlos Correia

• Sporting vs. Turquel • 6.Mar • 18h • Miguel Guilherme e João Catrapona

• Juventude de Viana vs. Tomar • 9.Mar • 21h

• Braga vs. Sanjoanense • 9.Mar • 21h

Classificação

1º Porto* (49 pontos), 2º Óquei de Barcelos (48), 3º Sporting* (41), 4º Oliveirense (41), 5º Benfica** (40), 6º Valongo (33), 7º Tomar** (30), 8º Paço de Arcos (24), 9º Braga** (23), 10º Juventude de Viana* (14), 11º Sanjoanense* (13), 12º Parede (13), 13º Marinhense* (11), 14º Turquel*** (8)

*menos um jogo, **menos dois jogos, ***menos três jogos

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade