Notícia

Forte dá prioridade à Coppa e falha Golden Cup

Mar 28, 2022

Foto de capa: Hockey Forte

O Forte decidiu dar prioridade à Coppa Italia e falhará a presença na oficiosa Golden Cup. A única equipa transalpina sócia da EHCA poderá ser substituída pelo Quévert. #CoppaItalia #GoldenCup

A qualificação do Forte, com uma vitória clara por 6-0 sobre o Bassano, para a Final Four da Coppa Italia, levou a repensar o planeamento para a Semana Santa e a estelar equipa toscana deverá abdicar da presença na Golden Cup.

A participação na Golden Cup com os restantes sócios da EHCA (Associação Europeia de Clubes) estava anunciada, mas a segunda prova mais importante do calendário transalpino interpôs-se e o Forte até avançou para a organização do evento.

A oficiosa Golden Cup celebrará o 50º aniversário do Liceo e decorre de 11 a 17 de Abril na Corunha. O Forte integra o grupo C e tem em agenda jogos com o anfitrião Liceo a 11 e os portugueses do Óquei de Barcelos a 12. Poderiam seguir-se os quartos-de-final, a 14 ou 15, e eventualmente as "meias" as 16 e a final a 17.

As meias-finais e a final da Golden Cup coincidem com a Final Four da Coppa Italia e a restante calendarização coloca em causa a preparação adequada, quando o Forte procura uma segunda conquista, depois do troféu erguido em 2017.

Final Four da Coppa Italia compreende, para além da decisão entre as equipas da Serie A1, a decisão da Coppa Italia B (entre Modena e Follonica), Coppa Italia A2 (entre as equipas "B" de Trissino e Sarzana) e a Coppa Italia Femminile (entre Matera e Valdagno).

Este ano, o Forte iniciou a temporada com a conquista da Supercoppa frente ao Lodi, mas tal não tirou o "amargo de boca" que foi a derrota nas grandes penalidades da última edição da Coppa, também jogada no PalaForte. De resto, esta será a terceira vez nos últimos sete anos que a decisão da prova tem organização do Forte, sendo que, na primeira, em 2016, então em Final Eight, o anfitrião caiu logo nos "quartos".

Desta feita, a equipa agora orientada por Marc Gual defronta o Follonica (do português Sérgio Silva) nas meias-finais, ao passo que o outro lugar na decisão será disputado entre Sarzana e Lodi.

A confirmar-se a ausência italiana (e o Forte era a única equipa transalpina na Golden Cup), terá sido endereçado um convite aos franceses do Quévert, que, no sábado anterior ao arranque da Golden Cup, estará na Catalunha, a defrontar o Lleida para a segunda mão dos quartos-de-final da Taça WSE.

Recorde-se que, para além de Liceo e Óquei de Barcelos, que integram o grupo do Forte, estão também na Golden Cup as equipas espanholas de Barcelona, Caldes, Noia e Reus, as portuguesas Benfica, Oliveirense, Porto e Sporting e os franceses do Saint-Omer.

O Quévert é actualmente 2º classificado na N1 Elite, longe do líder Saint-Omer, a 10 pontos, ainda que com menos um jogo. No ranking europeu que foi tido em conta para efeitos de sorteio dos grupos da Golden Cup, o Quévert é 17º e 2º melhor francês, apenas atrás do La Vendéenne, que está na Liga Europeia.

Projecto ambicioso

Vindo de uma pretérita temporada aquém das expectativas, o Forte encontrou um patrocinador de última hora que apostou bem alto. Garantiu Pedro Gil (Sporting) e Domenico Illuzi (Lodi) e foi buscar Marc Gual à "reforma". O ex-Barcelona já nem pôde ser inscrito, mas ficou à espera que o mercado reabrisse e, quando regressou às pistas, até já era treinador da equipa, substituindo Alberto Orlandi no cargo.

Para a próxima temporada, na construção de uma equipa que será uma verdadeira constelação, já serão certos os regressos de Federico Ambrosio (Bassano) e Enric Torner (Lodi), este a substituir o também catalão Xavi Rubio como terceiro estrangeiro, somando-se aos experientes e consagrados Marc Gual e Pedro Gil.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade