Taça Latina '14

Portugal conquista Taça Latina

Apr 21, 2014

Portugal conquistou a 12ª Taça Latina do seu historial ao bater a Espanha na derradeira jornada por 2-3.

O pavilhão de Monserrate em Viana do Castelo compôs-se para receber o jogo que alimenta os sonhos dos adeptos de hóquei em patins. Os eternos rivais Portugal e Espanha entraram em pista com a vitória, no jogo e na prova, em mente, depois de terem vencidos os seus jogos frente a Itália e França nas duas primeiras jornadas da prova.

A Espanha entrou melhor, com Portugal a dar a iniciativa do jogo e a mostrar-se bem organizado defensivamente. Com muita tensão no ar e em pista, ou não fosse este o maior clássico do hóquei em patins mundial, os jogadores lusitanos foram crescendo na partida e terminaram mesmo a primeira parte por cima. No entanto, o guardião espanhol Elagi Deitg evitou males maiores para Quim Paüls, que neste evento se estreou no comando técnico da sua selecção.

Elagi Deitg ganha mais um duelo na primeira parte

Com um empate a nove faltas no final da primeira parte, a segunda começou com a expectativa dos livres directos. Estava decorrido pouco mais de um minuto quando a Espanha foi penalizada e Hélder Nunes teve a oportunidade de bater Elagi. Mas o capitão luso não conseguiu concretizar. Acabou por fazer melhor Marc Julià frente a Pedro Costa na décima falta de Portugal, volvido minuto e meio, inaugurando o marcador.

Portugal não acusou o golo e Pedro Vaz surgiu a desviar à boca da baliza para um golo que, mais do que o empate, deu à equipa o empurrão necessário para uma grande vitória.

Pedro Vaz festeja o tento do empate

Chamado a tentar transformar um livre directo por um azul ao capitão espanhol Pau Bargalló, Gonçalo Alves também não conseguiu ludibriar Elagi Deitg mas Portugal ficou em superioridade numérica, o que levou a Espanha a cometer a 15ª falta. Assumiu novamente o capitão Hélder Nunes e, na sexta bola parada de que dispôs na prova, marcou pela quinta vez, colocando Portugal a vencer por 1-2 e o pavilhão ao rubro a sete minutos e meio do final.

A armada espanhola balanceou-se no ataque em busca do empate mas foi novamente a selecção das quinas que logrou marcar. Numa triangulação que teve tanto de simples como de belo, Hélder Nunes serviu do meio campo João Souto que, de primeira meteu ao segundo poste para Telmo Pinto encostar para o 1-3.

Telmo Pinto e João Souto festejam o terceiro de Portugal

Faltavam jogar quatro minutos e meio e “la roja” (a jogar de azul escuro) pressionou. Mas encontrou um Pedro Costa a brilhar de forma intensa e a defender quase tudo. Quase, porque não parou um tiro de Àlex Rodriguez – entrado instantes antes – da marca de grande penalidade. Mas foi só. Nem Marc Julià, novamente chamado à marca de livre directo, voltou a bater Pedro Costa.

Portugal venceu 2-3 e levantou assim um título que lhe fugia desde 2008, evitando que a Espanha, depois de duas conquistas consecutivas, ultrapassasse Portugal no número de vitórias na prova. O saldo é agora de 12 vitórias para as cores lusas e de 11 para “nuestros hermanos”.

Antes do derby ibérico, no jogo em que França e Itália discutiam o terceiro lugar, os gauleses foram mais fortes e venceram por 7-2. Carlo Di Benedetto esteve em destaque com cinco golos e acabou mesmo por se sagrar melhor marcador da prova a par do capitão português Hélder Nunes, ambos com seis golos.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade