Notícia

Rei em Espanha, Vic ambiciona Europa

May 01, 2015

Tal como o Breganze, o Vic chega a esta Final Four sem nunca ter vencido a competição máxima europeia mas, tal como o Breganze, este ano pode juntar a glória europeia à conquista da Taça nacional - a Taça do Rei no caso dos espanhóis.

Eleito MVP da final da Taça do Rei e titular da selecção espanhola na recente Taçadas Nações, o guarda-redes Carles Grau está confiante no momento da sua equipa. “Estamos preparados para disputar esta Final Four”, declara ao HóqueiPT.

O Vic já esteve presente em duas finais. Consecutivas, ambas em terras transalpinas, ambas em Itália e ambas perdidas para equipas catalãs – Reus (2009) e Barcelona (2010) – pelo mesmo resultado: 4-1.

“Não temos nenhum jogador lesionado e, desde que ganhámos a Taça do Rei e nos classificámos para esta fase, não fizemos muitos jogos mas serviram para preparamos o jogo com o Porto. Pudemos descansar e recuperar forças. Estaremos fortes, de certeza”, garante Grau, sem menosprezar o adversário. “O Porto tem grandes jogadores. Aliás, todos eles são muito bons”, sublinha, depois de ter defrontado dois em Montreux. “O Hélder e o Rafa são jovens com muito talento”, destaca, sem deixar de realçar sempre o valor do conjunto azul-e-branco. “O Porto é um ‘equipazo’ e espero que se assista a um bom espectáculo”, deseja.

Carles Grau, MVP da final da Taça do Rei

Contando apenas 25 anos, Carles Grau é já uma certeza das balizas. Nesta Final Four pode reencontrar – no jogo da final - o técnico Guillém Cabestany, que o lançou na OK Liga. “Cabestany é um treinador sensacional que, todas as épocas, esteja na equipa que esteja, consegue muito bons resultados”, elogia, sem deixar que a presença do ex-mentor o perturbe. “Não é uma pressão para mim”, refere. “Ele ajudou-me muito no Vendrell e estou-lhe agradecido. Agora ele está no Breganze e eu no Vic. Nestes anos jogámos muitas vezes como adversários e não houve pressão adicional”, explica, deixando um desejo que certamente não quer ver realizado se se encontrarem na final. “Desejo-lhe muitos êxitos porque é um grande treinador”, enaltece.

A irreverência da juventude

Se Carles Grau é garante de segurança na baliza da equipa “vigatan”, David Torres é a certeza de perigo eminente junto da baliza adversária.

Na final da Taça do Rei ficou na retina a resposta irreverente a uma provocação do veterano Sergi Panadero e o segundo golo na vitória por 2-1 sobre o Barcelona. Aos 21 anos – a ombrear com os 19 de Ferran Font ou os 20 de Jordi Burgaya e Roger Presas – assegura que os jovens da equipa estão já prontos para conquistar a Europa. “É verdade que somos muito jovens mas já demonstrámos que podemos competir em eventos importantes”, contrapõe. “Somos jovens mas com personalidade e vontade de competir ao mais alto nível europeu. E estamos bem protegidos por grandes jogadores que contribuirão com a experiência necessária”, frisa, aludindo à mescla de juventude e experiência da equipa que Ferran Pujalte tem sabido pôr a funcionar.

David Torres

Como adversário nas meias-finais, o Vic irá ter um Porto que merece rasgados elogios de “Dava”. “Os jogadores do Porto são todos de um grande nível. Uma equipa muito completa e agressiva”, analisa, respondendo ao desafio de escolher um para alinhar ao seu lado. “Seria um prazer partilhar a pista com qualquer um mas, se tivesse de escolher apenas um, seria com o Hélder [Nunes], por sermos da mesma geração e nos termos enfrentado umas quantas vezes”, justifica.

O Vic defronta o Porto a partir das 17h locais (16h portuguesas), com transmissão televisiva no Porto Canal para Portugal e na TV3 Catalunya para a Espanha.

A conquista da Taça do Rei
Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade