Notícia

Trissino sagra-se campeão europeu na talismã Torres Novas

May 15, 2022

O Trissino venceu a Liga Europeia ao derrotar, nas grandes penalidades, o Valongo. É o 12º clube a vencer a mais importante prova de clubes, voltando o Hóquei em Patins italiano - e Alex Bertolucci - a triunfar em Torres Novas 16 anos depois. #LigaEuropeia

O Trissino é o novo campeão europeu, coroado em Torres Novas, num Palácio dos Desportos que é talismã para as equipas italianas.

Em 2006, o Follonica tornou-se em Torres Novas a primeira equipa italiana a triunfar na Liga Europeia, a mais importante prova de clubes. 16 anos depois, a decisão voltou a Torres Novas e uma equipa italiana voltou a triunfar.

Numa inédita final entre Trissino e Valongo, a equipa orientada por Edo Bosch entrou melhor.

Facundo Bridge foi um dos destaques desta Final Four.

Como na véspera, na meia-final, o Valongo marcou muito cedo, desta feita logo no primeiro minuto, pelo argentino Facundo Bridge. Facundo, filho do campeão olímpico Alfred Bridge, foi uma das figuras desta Final Four e esteve em particular desta nesta partida, sendo a referência dos valonguenses.

Mais intensa, a equipa portuguesa não se encolheu com a vantagem amealhada, mas não conseguiu capitalizar as oportunidades que foi criando.

Andrea Malagoli, goleador, marcou dois golos no tempo regulamentar e a "sua" grande penalidade.

O golo madrugador não seria a única coincidência com a partida das "meias" que opôs o Valongo ao Tomar. Antes de outras similitudes, que culminaram no resultado no fim do tempo regulamentar e no desempate por grandes penalidades, os valonguenses viram o adversário dar a volta ao resultado. Davide Gavioli assinou dois golos em três minutos, com um tento feliz e um livre directo convertido na recarga.

O Valongo - que voltou a contar com Miguel Vieira - procurou reagir de pronto e Bridge ganhou uma grande penalidade, mas Diogo Abreu não conseguiu bater Stefano Zampoli. O guarda-redes italiano só adiou novo golo, que chegou a quatro minutos do intervalo por Diogo Barata, e até foi batido de livre directo por Facundo Navarro, com um minuto para jogar antes do descanso, mas viria a ser decisivo nas bolas paradas na etapa complementar.

Facundo Navarro perdeu duas oportunidades de "matar" o jogo de livre directo, mas seria o único a lograr bater Zampoli no desempate.

Aos três minutos da segunda parte, Andrea Malagoli transformou um azul a Nuno Santos em nova igualdade, agora a três. Mas, três minutos volvidos, o Valongo voltou para a frente do marcador, com Rafael Bessa a aproveitar a sobra de um lance de Bridge.

A equipa de Edo Bosch estava melhor e com as melhores oportunidades, mas não conseguia dilatar a vantagem para números mais seguros. Facundo Navarro desperdiçou um livre directo aos 10 minutos, após azul a Gavioli, e voltaria a não conseguir bater Zampoli aos 19, na 15ª falta do Trissino. E a tangencial vantagem esfumar-se-ia.

Giulio Cocco remata para o 4-4.

A cinco minutos e meio do fim dos regulamentares 50 minutos, Giulio Cocco, na sua terceira final consecutiva (as duas anteriores pelo Porto), "inventou" um remate do meio da rua para o 4-4. Um 4-4 que só o Valongo procurou alterar.

Ainda que os valonguenses somassem oito faltas, o Trissino abdicou completamente de atacar, consumindo o tempo de ataque e apenas timidamente visando a baliza de Bernardo Mendes.

Sob o olhar de Alessandro Verona e João Souto, campeões cessantes pelo Sporting, a intenção do Trissino não se alterou com a entrada no prolongamento e, a dada altura, também o Valongo se resignou com a ida ao desempate por grandes penalidades, que lhe sorrira na véspera. Mas a história não se repetiu.

Zampoli promovido a herói.

Cocco marcou e Diogo Abreu não conseguiu bater Zampoli. Depois de nem João Pinto, nem Rafa marcarem, Emanuel Garcia e Facundo Navarro lograram desfeitear os guarda-redes e ficava tudo um pouco na mesma expectativa. Andrea Malagoli fez o 3-1 e o capitão Rúben Pereira não evitou que Stefano Zampoli, ex-Monza, fosse elevado a herói...

O Trissino torna-se o 12º vencedor da mais importante prova europeia de clubes, passando a contar um título como Óquei de Barcelos, Noia ou Follonica. Porto e Benfica somam dois, Sporting e Voltregà três, Liceo e Igualada seis e Reus oito. O Barcelona tem "pornográficos" 22.

Para a próxima temporada, espera-se o regresso das equipas da Associação Europeia de Clubes (EHCA) que abdicaram esta temporada, num modelo que será oportunamente revelado.

João Pinto ergueu o troféu.

Meias-Finais

Valongo 7-5 Tomar • 14.Mai (4-4, 3-1 pen.)

Trissino 4-0 Sarzana • 14.Mai

Final

Trissino 7-5 Valongo • 15.Mai (4-4, 3-1 pen.)

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade