Notícia

Benfica vence em casa do campeão e avança para a final

Jun 13, 2022

O Benfica venceu no prolongamento da 'negra', no João Rocha, e afastou o campeão nacional Sporting a caminho da final com o Porto. Edu Lamas apontou os dois golos no tempo extra de (mais) um grande jogo de Hóquei desta série. #PrimeiraDivisão

O Benfica está na final do Campeonato Nacional da I Divisão depois de uma meia-final que teve polémica (no jogo 2), mas fundamentalmente grandes jogos de Hóquei em Patins e emoção até final.

Na "negra", jogada no João Rocha, na casa do ainda campeão nacional, as águias adiantaram-se como aconteceu em todos os quatro duelos anteriores. Mas, desta feita, depois do primeiro golo - de Diogo Rafael -, aos seis minutos, não houve igualdade, juntando-se um segundo tento, de Pol Manrubia, aos 15, rápido e oportuno, para uma preciosa dupla vantagem.

Pol Manrubia apontou o segundo golo das águias e, com muitos minutos, foi uma das chaves do triunfo encarnado.

Mas os leões até tinham entrado bem, com dinamismo, obrigando cedo Nuno Resende a pedir um desconto de tempo. Mas ia faltando eficácia. Lograriam reduzir aos 16 minutos, numa grande penalidade transformada por Gonzalo Romero, na única bola parada transformada pelos leões, mas, apensar de uma pressão intensa, mesmo sufocante, seria o Benfica a voltar a marcar.

A minuto e meio do intervalo, os leões chegavam à 10ª falta e, à segunda, depois de ser ordenada repetição, Carlos Nicolia fazia o 1-3.

Carlos Nicolia foi o único a aproveitar - mas apenas à segunda - um dos oito livres directos que o jogo teve.

Romero falharia nova oportunidade de grande penalidade e os leões entravam na segunda parte em desvantagem, mas com a "tradição" do seu lado. Como em todos os jogos desta série, seriam os primeiros a marcar na etapa complementar. Com golos de Ferran Font, numa picadinha de belo efeito, e Alessandro Verona, num remate na zona frontal, mesmo em desequilíbrio, a equipa de Paulo Freitas chegava à igualdade antes de estarem cumpridos cinco minutos. Acto contínuo, o Sporting beneficiava de livre directo, mas num inusitado remate directo, Ferran Font desperdiçava a oportunidade perante Pedro Henriques.

Alessandro Verona voltou a marcar, desta feita para igualar a três.

Nuno Resende conseguiu dar tranquilidade à sua equipa no assomo leonino e o Benfica voltaria a adiantar-se. Pablo Álvarez fez o 3-4 aos 11 minutos e, minuto e meio depois, na sequência de um azul a Platero que não teve livre directo aproveitado por Nicolia, Lucas Ordoñez "inventou" o 3-5.

As águias voltavam a estar na frente por dois golos e, após desperdiçar um livre directo (azul a Ordoñez) e o powerplay, o Sporting parecia descrente, com a fadiga física - mesmo com o regresso de Henrique Magalhães - e emocional claramente a pesar.

Golo de Romero a oito segundos do fim deixou o argentino em lágrimas.

Sobrevivendo a um livre directo de Pablo Álvarez, os leões ganhavam novo fôlego na 14ª falta encarnada, na expectativa de um livre directo. À entrada dos últimos cinco minutos, Gonzalo Romero fazia o 4-5 num ataque rápido e pedia calma aos adeptos. Mas o jogo estava incompatível com tranquilidade. Ferran Font viu azul e os verde-e-brancos sofreram com o livre directo (Nicolia não marcou) e a inferioridade numérica. Mas sobreviveram e até dispuseram de livre directo pela 10ª falta encarnada. Romero não marcou, mas redimiu-se a tempo, ainda que num timing quase digno de um episódio do McGyver. A oito segundos do final dos regulamentares 50 minutos, o argentino selou um hat-trick para o 5-5 que levava o jogo para prolongamento.

Motivacionalmente era difícil não apontar vantagem ao Sporting para o tempo extra, com o tónico do golo sobre o final - com Romero a ir às lágrimas - e um pavilhão em êxtase. Mas, na premente gestão das "pernas", Paulo Freitas optou por fazer descansar Romero e Font, os mais influentes (e desgastados) jogadores da equipa. Edu Lamas vestiu então a capa de herói.

O jogo ficou marcado por várias cargas policiais sobre os adeptos do Sporting. Após o apito final, na central, o vice leonino Miguel Afonso acabou detido.

O catalão radicado desde pequeno na Corunha atraiçoou o plano leonino a meio minuto do intervalo com o 5-6 num remate cruzado e obrigava o Sporting a ir novamente atrás do "prejuízo". Girão ainda segurou os leões no jogo, defendendo um livre directo de Lucas Ordoñez, e foi mais um jogador de pista até que, no último minuto, Paulo Freitas apostou tudo com a saída do guarda-redes.

Ainda se protestou a substituição no banco encarnado, mas a troca é possível nos últimos cinco minutos da segunda parte do tempo normal e no último minuto da segunda parte do prolongamento. Mas nem sempre corre bem... No "cinco-para-quatro", a bola sobrou para Edu, que arrancou para o 5-7, "matando" o jogo e a eliminatória a 11 segundos do fim.

Edu Lamas arranca para o definitivo 5-7.
Sem grandes discussões durante a partida, Romero e Nicolia discutiram no fim, num momento caricato, de quem era a bola...

A final entre Porto e Benfica arranca a 16 de Junho, quinta-feira, no Dragão Arena. Segue-se segundo jogo na Luz, a 19, e um terceiro novamente no Dragão Arena, a 22. Caso haja necessidade de quarto jogo, é a 25, na Luz, e uma eventual "negra" está agendada para 29 na casa dos dragões.

Meias-finais

Porto 8-4 Óquei de Barcelos • 28.Mai • 1-0

Sporting 4-3 Benfica (2-2, 2-1 pen.) • 29.Mai • 1-0

Benfica 3-2 Sporting • 4.Jun • 1-1

• Óquei de Barcelos 2-5 Porto • 4.Jun • 0-2

Porto 4-2 Óquei de Barcelos • 7.Jun • 3-0

Sporting 4-2 Benfica • 7.Jun • 2-1

Benfica 5-3 Sporting • 10.Jun • 2-2

• Sporting 5-7 Benfica (5-5, 0-2 prol.) • 12.Jun • 2-3

Final

• Porto vs. Benfica • 16.Jun

• Benfica vs. Porto • 19.Jun

• Porto vs. Benfica • 22.Jun

• Benfica vs. Porto • 25.Jun se necessário

• Porto vs. Benfica • 29.Jun se necessário

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade