Notícia

Sul-Americano com ouro sobre albiceleste

Jun 13, 2022

A Argentina venceu o Sul-Americano feminino e masculino em finais com o Chile, perante um Aldo Cantoni, mais uma vez, repleto. Se no feminino, o triunfo foi claro, no masculino foram necessárias grandes penalidades... #SudAmericano

Nas competições sem os históricos do Velho Continente, a Argentina entra sempre já com uma mão na Taça. No Sul-Americano de nações, nuns primeiros jogos sul-americanos de preparação para os maiores e mundiais World Skate Games que terão lugar em Outubro e Novembro, a albiceleste venceu no feminino e masculino, mas os homens chilenos deram uma extraordinária réplica, forçando o desempate nas grandes penalidades.

Perante casa cheia - e "casa cheia", no Aldo Cantoni, é para cima de oito mil pessoas... - o Chile atreveu-se a marcar primeiro, por Felipe Marquez, mas Federico Balmaceda, que esta época representou o Turquel, igualou antes do intervalo.

Na segunda parte, Francisco Bielsa e Agustin Lazaro adiantaram uma selecção argentina desprovida das suas principais estrelas, mas o Chile não baixou os braços.

Felipe Castro reduziu a três minutos do apito final e, no "cinco-para-quatro", com apenas oito segundos para jogar, Nico Fernandez, um dos heróis da conquista da Taça CERS pelo Sporting em 2015, fez o 3-3 que levava o jogo para prolongamento.

Na festa, Felipe Quintanilla precipitou-se a entrar sem que um dos seus colegas tivesse saído e viu o azul, deixando a sua equipa em inferioridade para o prolongamento e com Diego Garcia entre os postes. Mas o jovem de 20 anos esteve à altura e, sem golos no prolongamento, o jogo - e o título - foi para decisão por grandes penalidades.

Martin Maturano adiantou a Argentina, mas Nico Fernandez e Joaquin Fernandez (também com passado em Portugal, nos escalões de formação do Benfica), viraram o marcador. Na derradeira oportunidade da primeira série de cinco grandes penalidades, Marcos Vega, de apenas 18 anos, não tremeu e igualou. Ia-se para morte súbita. No duelo de especialistas, Maturano marcou mais duas vezes e Nico apenas mais uma...

No feminino, o triunfo albiceleste foi mais tranquilo. Para o Mundial, o Chile poderá formar uma selecção interessante com as atletas que estão na Europa, mas ainda faltam argumentos às "marcianitas" escaladas para este Sul-Americano.

Ao intervalo, a Argentina vencia por 2-0, com golos de Salome Rodriguez e Julieta Fernandez, e disparou na etapa complementar, com três golos praticamente consecutivos nos derradeiros oito minutos. Lucia Maldonado, a capitã Julieta Fernandez e Martina Sad confirmaram a conquista da coroa com um taxativo 5-0.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade