Notícia

Nalo Garcia abdica da albiceleste

Aug 07, 2022

Reinaldo Garcia não estará no Mundial de Novembro, na sua San Juan natal. Experiente, com presença em sete Mundiais, é uma baixa significativa para a Argentina. Mas será um 'reforço' importante para o Porto. #Mundial #PrimeiraDivisão

Reinaldo Garcia, de 39 anos (completa 40 em Janeiro), vai ser ausência notada no Campeonato do Mundo que decorre em Novembro em San Juan, sua terra natal. O internacional argentino falha o Mundial, mas garante estatuto de "seleccionável" nos jogos nacionais do Porto.

"Nalo" despede-se da albiceleste com a presença em sete campeonatos do Mundo no currículo. Estreou-se em 2005, nos Estados Unidos, sagrando-se vice-campeão, no primeiro de cinco títulos espanhóis consecutivos. Foi depois 3º em Montreux (2007) e novamente "vice" em 2009 (Vigo) e 2011 (San Juan). "Falhou" o Mundial de 2013 em Angola, mas regressou em 2015, em La Roche-Sur-Yon, para conquistar o ouro e colocar ponto final à hegemonia espanhola.

A Argentina, com um grupo estelar, prometia mais triunfos, mas baqueou perante Portugal nos mundiais seguintes. Em 2017, na China, caiu com estrondo nas meias-finais, perdendo por 0-5 depois de ter vencido por 5-2 na fase de grupos. Dois anos volvidos, em Barcelona, os portugueses venceram no desempate por grandes penalidades numa final de sentido único, ingrata para a albiceleste que dominou o jogo, mas não conseguiu bater um inspirado Ângelo Girão.

Agora, em busca de "vingança" perante o fervoroso público do Aldo Cantoni, a Argentina sofre uma baixa de vulto com a recusa de Nalo, que se juntará à saída de David Paez (deixou de jogar), mas, de resto, as escolhas de Jose Luis Paez não devem ser muito diferentes daquelas que apresentou - e brilharam - em Barcelona, com Carlos Nicolia, Lucas Ordoñez e Pablo Alvarez (Benfica), Gonzalo Romero e Matías Platero (Sporting), Matías Pascual (Barcelona) e os guarda-redes Valentin Grimalt (Lodi) e Conti Acevedo (Óquei de Barcelos). As duas "vagas" abrirão portas à entrada de Ezequiel Mena (Porto) e, quiçá, a um dos argentinos da Oliveirense, Franco Platero ou Lucas Martinez.

"Seleccionável" na nova temporada

A decisão de Reinaldo Garcia estará, inevitavelmente, também ligada à obrigação da escolha de pelo menos cinco "seleccionáveis" nas provas portuguesas (popularizada como "limitação de estrangeiros") que entrou em vigor na temporada finda.

O estatuto de "seleccionável" é regido pelo artigo 26º ("Condições de integração/convocação") de um Regulamento das Selecções Nacionais, aprovado em Assembleia-Geral Extraordinária a 1 de Abril de 2006. No ponto 2 deste regulamento (que deixou de estar publicado no site federativo apesar de ser citado no Regulamento Geral), pode ler-se que "só podem integrar as selecções nacionais da FPP os atletas/patinadores que reunam, cumulativamente, as seguintes características e condições: 2.1) Tenham nacionalidade portuguesa ou se, naturalizados portugueses, não tenham nunca representado qualquer selecção do seu país de origem; 2.2) Cumpram os requisitos exigidos pela FIRS - Federação Internacional de Roller Skating".

O ponto 2.1 faz - com polémica - uma distinção entre cidadãos nascidos portugueses e os que tivessem obtido a nacionalidade posteriormente, e negava o estatuto de "seleccionável" a Reinaldo Garcia mesmo que obtivesse a nacionalidade e cumprisse o hiato de três anos depois de ter representado outra selecção (requisito da então FIRS, agora World Skate).

No entanto, contrariando este regulamento das selecções, o ponto 3 do Artigo 50º do Regulamento Geral garante, ainda que numa escrita pouco inteligível (por tradução directa dos regulamentos internacionais), essa equiparação, viabilizando no imediato o estatuto a Nalo por não representar a albiceleste há mais de três anos e se obtiver a nacionalidade, num processo para o qual não se afigurariam obstáculos, por ser casado há largos anos com uma portuguesa, irmã do internacional português Ricardo Figueira.

Abdicando da presença no Mundial pela Argentina, o estatuto manter-se-á, permitindo a Ricardo Ares uma gestão diferente do plantel que contará com cinco "não seleccionáveis" - Ezequiel Mena (compatriota de Nalo), o francês Carlo Di Benedetto e os catalães Xavi Maliàn, Xavi Barroso e ainda Roc Pujadas, reforço para esta época - que podem ser sempre chamados à ficha de jogo.

Reinaldo Garcia chegou à Europa, a Portugal e ao Porto em 2001. Entre 2007 e 2015 brilhou no país vizinho, por Liceo e Barcelona, mas regressou ao seu Porto em 2015 para somar mais três títulos de campeão aos seis conquistados na sua primeira passagem. Capitão do Porto desde 2019, teve a renovação por mais uma temporada (até 2023) anunciada em Março último.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade