Notícia

Quatro de Gonçalo tornam missão fácil

Jun 26, 2015

Portugal venceu o Chile por 6-0 e vai defrontar a Argentina nas meias-finais.

Acabou por ser uma vitória fácil, a que Portugal conseguiu frente ao Chile. Não que os chilenos não tivessem causado problemas, tendo mesmo adiado o primeiro tento luso até perto do intervalo. Numa primeira parte com muitas cautelas e poucas mexidas de parte a parte, Luís Sénica foi à gaveta procurar o “saca-rolhas”. E Gonçalo Alves “sacou-os” de várias maneiras.

De olhos na baliza

A dois minutos do intervalo, o avançado inaugurou o marcador num remate fortíssimo de meia distância a surpreender Armijo, no único tento da primeira parte.

O Chile tentou responder mas Girão resolveu sempre as (parcas) situações de perigo que foram surgindo. O intervalo chegou e a segunda parte começou… com o segundo de Gonçalo Alves, contornando a baliza e metendo a bola junto ao primeiro poste. E volvido um minuto, Gonçalo voltou a marcar, de livre directo. Numa reentrada forte de Portugal, mais um minuto e mais um golo… João Rodrigues fez o 4-0.

Girão resolveu sempre o perigo que o Chile criou

Ainda com 17 minutos para jogar, o Chile teria bem presente a recuperação de quatro golos na última jornada da fase de grupos, frente à Itália. Mas Portugal estava precavido. E a quinze minutos e meio do final, Gonçalo Alves já elevara a fasquia para cinco golos a recuperar.

Segura, a selecção das quinas controlou praticamente todas as incidências do jogo. Rafa selou o resultado a cinco minutos do final, com o sexto da equipa às ordens de Luís Sénica.

Agora, a Argentina

A fechar o dia, Portugal assistiu da bancada ao jogo que decidia o seu adversário. A jogar contra os anfitriões, apoiados por milhares de entusiásticos adeptos, a Argentina venceu por 0-5, com Nicolia e Ordoñez a bisarem depois de Platero abrir o marcador.

Não são só as estrelas... há o irrequieto Gonzalo Romero

Pese desfalcada de Pablo Alvarez e Matias Pascual, a Argentina com os dois “Carlitos” – Nicolía e Lopez - e Reinaldo Garcia e Platero de início, tem mostrado um cinco – um seis, com o mágico Ordoñez a sair do banco neste jogo – que pode resolver qualquer partida. E tem ainda o experiente David Paez, o irrequieto Gonzalo Romero e o malabarista Josi Garcia. Pecará por vezes no rigor e na concentração, e será por aí que Portugal poderá fazer valer o jogo seguro que tem mostrado para, depois da desilusão de 2011 e 2013, bater a Argentina numa meia-final do campeonato do Mundo.

Nota de destaque para o público presente, que mesmo a perder e derrotado no final, gritou e cantou como se estivesse sempre a vencer. No fim, venceu a Argentina. Mas também o hóquei em patins.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade