Notícia

Argentina afasta Portugal da final

Jun 27, 2015

A Argentina venceu Portugal por 5-2 e garantiu o lugar na final pela quarta vez consecutiva.

Numa partida intensa e disputada, Portugal entrou melhor, a circular bem a bola, mas sem conseguir criar reais oportunidades de perigo. A Argentina, assente num tridente que para o ano evoluirá em Portugal (Lopez e Nicolía já estão, Reinaldo Garcia regressa), respondia em ataques rápidos, quase sempre por iniciativas individuais e adiantou-se no marcador aos 10 minutos com um golo de Reinaldo.

Reinaldo Garcia inaugurou o marcador

O primeiro tento argentino permaneceria sozinho no marcador até ao intervalo para na segunda parte ter ilustre companhia.

Portugal entrou forte atrás do empate e beneficiou cedo de um livre directo, que no entanto Gonçalo Alves não conseguiu transformar em golo. Mas a intensidade lusa traduzir-se-ia mesmo em golos. Com quinze minutos para jogar e no espaço de um minuto e meio, Hélder Nunes bisou de meia distância e deu a volta ao resultado.

Hélder Nunes alimentou o sonho português

Mas de meia distância se mata, de meia distância se morre… De muito longe, Ordoñez surpreendeu Girão e restabeleceu a igualdade.

Portugal tentava passar de novo para a frente, insistindo na meia distância que dera frutos antes mas a Argentina mostrou-se muito compacta na rectaguarda, com Grimalt atento e também a contar com três ferros que devolveram vários remates dos portugueses.

A seis minutos e meio do final, com Portugal balanceado no ataque, Reinaldo Garcia fugiu e Diogo Rafael travou-o em falta castigada com azul e livre directo. Chamado à conversão, Nicolía rematou forte e colocou a Argentina na frente. Definitivamente.

Nicolía assinou o quinto e último golo

Portugal atacou mais mas sem soluções para contrariar o bloco argentino e acabou castigado com os golos de Reinaldo Garcia, após bom trabalho de Nicolía, e do próprio Nicolía, a fechar as contas a 15 segundos do fim de livre directo.

Este resultado empurra Portugal, mais uma vez, para a disputa da medalha de bronze. No final, Luís Sénica considerava que Portugal merecia mais…

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade