Um postal de Espanha

A primeira vitória

Nov 06, 2015

Com o último fim-de-semana em Espanha a ser marcado pela Supercopa conquistada pelo Barcelona, os últimos jogos da OK Liga já parecem distantes. A última jornada teve lugar entre os dias 24, 27 e 28 de Outubro, com os jogos dispersos devido à participação das equipas espanholas nas competições europeias.

No dia 24, o Noia e o SHUM de Diogo Neves entraram no rinque do Ateneu de Sant Sadurní em posições bem distintas na tabela. O Noia surpreendeu no arranque de campeonato e ainda não tinha perdido ao cabo de cinco jornadas (três vitórias e dois empates), enquanto o SHUM ainda nem sequer tinha pontuado…

“Sabíamos que não íamos ter a tarefa facilitada”, garante-nos Diogo Neves. “O Noia é uma equipa com provas dadas na OK Liga, com jogadores muito experientes e joga numa pista que para muitos é das mais complicadas”, analisa, explicando que a abordagem para este jogo não foi diferente daqueles que culminaram em resultados negativos. “Encarámos o jogo como temos vindo a encarar todos até agora. Infelizmente, não temos sido felizes devido à falta de sorte mas também devido a cometermos erros cruciais em momentos em que não os podíamos cometer”, justifica.

Mas a equipa tem melhorado. E mostrou-o em Sant Sadurní. “Temos vindo a reduzir cada vez mais esses erros e também a minorar as nossas debilidades. Entrámos no jogo com a lição muito bem estudada e acabámos por fazer uma grande exibição. E conseguir os 3 pontos”, congratula-se.

O SHUM chegou ao intervalo a vencer por 0-1 e para a segunda parte estava reservado um espectáculo emotivo. Os visitantes chegaram ao 0-3 mas viram o Noia de Pere Varias reduzir para a diferença mínima a cinco minutos do final. Lluis Ferrer ampliou para a equipa de Maçanet mas Aleix Esteller voltou a reduzir distâncias, conduzindo a um final de jogo “quentinho”. Entre muitos azuis, Diogo Neves acabou na marca de grande penalidade nos segundos finais. E não desperdiçou a oportunidade de sentenciar a partida em 3-5 neste que foi o seu terceiro golo na prova.

Segue-se a recepção ao Alcoy, equipa representada no passado pelos portugueses Diogo Lã, André Centeno e Bruno Fernandes. Este sábado, em Maçanet, Diogo Neves e os seus pares têm como adversário o actual lanterna vermelha e uma soberana oportunidade para somarem mais três pontos. “Agora que provámos o sabor da vitória, a equipa está confiante”, garante. “O jogo com o Alcoy vai ser de grande importância para nós devido a ser em nossa casa e com uma equipa que ainda não conseguiu pontuar mas que seguramente vem com muita vontade de vencer”, alerta. A partida tem início às 20h locais.

Um dérbi de Espanha

Ao longo da sua formação, Diogo Neves participou e foi protagonista de muitos dérbis de Lisboa, quer com as cores do Sporting, quer com as do Benfica. Com o balneário do SHUM a respirar confiança com os três pontos conquistados, o jovem jogador português teve oportunidade de assistir a meio da semana (uma terça-feira) à partida entre Vic e Voltregà, o dérbi de Osona, cada vez mais marcado pelas entusiásticas claques Vigatans 1705 e Sac i Ganxo.

“É dos melhores ambientes que se pode presenciar a nível de hóquei em patins”, conta-nos. “Três mil pessoas num pavilhão, onde todos estão a torcer e a gritar pela sua equipa, mas sempre com respeito de ambas as claques é simplesmente espectacular”, reconhece. O Vic, de regresso da derrota europeia com o Benfica, venceria por 6-0.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade