Um postal de França

Para desfrutar, num grupo muito difícil

Nov 07, 2015

Fotos: Alexandre Silva (Facebook, página de atleta)

Disputa-se este sábado a segunda jornada da fase de grupos da Liga Europeia, prova máxima de clubes.

Depois de uma ronda 100% vitoriosa das quatro equipas portuguesas em prova, Porto, Benfica, Valongo e Oliveirense partem além-fronteiras a procurar consolidar os primeiros lugares nos respectivos grupos.

Em 2011, ao serviço do Benfica; Diogo Rodrigues (actualmente no Candelária), João Beja e Tiago Gouveia (Paço de Arcos), Pedro Vaz (Turquel) e Miguel Rocha (Benfica) eram alguns dos colegas

No grupo B, o Benfica viaja até França. Em Mèrignac, próximo de Bordéus, os caminhos dos encarnados vão voltar a cruzar-se com Alexandre Silva.

O jogador português, na sua segunda época no Mèrignac, representou o Benfica entre 2008 e 2011, nos escalões juvenil e júnior, e estreia-se esta época na alta-roda europeia.

Nos três anos de águia ao peito, Alex foi três vezes vice-campeão nacional. Uma de juvenis e duas de juniores.

Na primeira jornada, os franceses deslocaram-se a Itália, ao palco da última Final 4 da Liga Europeia, e ofereceram excelente réplica frente ao Bassano de Sérgio Silva, Emanuel Garcia, entre outros, apesar da derrota por 7-5. “Sem dúvida que a nossa prestação em Bassano foi boa, mas infelizmente faltou-nos sorte nos últimos minutos de jogo”, lamenta Alexandre Silva, prometendo mais a jogar em casa. “Podem certamente esperar um Mèrignac com muito querer e muita vontade de ganhar, com ‘ganas’ de fazer igual ao que temos feito perante o nosso público no último ano nos jogos em casa”, garante.

Em Bassano, com Emanuel Garcia

Mas o obstáculo está longe de ser fácil de ultrapassar. “Estamos a falar de uma das melhores equipas do Mundo, o Benfica, mas queremos sair do jogo com a certeza que demos tudo para obter um bom resultado”, refere. “Estamos a falar de uma grande equipa, com grandes jogadores, capazes de desequilibrar em qualquer momento do jogo”, analisa. “Apenas estando muito bem defensivamente podemos conseguir um bom resultado”, explica. “Esse é o nosso grande foco, estarmos fortes defensivamente”, reforça.

Em Portugal, Alex representou no seu percurso de formação, para além do Benfica, o Vilafranquense (onde começou), Sporting (onde conquistou um título nacional de Infantis) e Alenquer. Regressaria ao Alenquer para representar a equipa sénior durante três anos, antes de rumar a Mèrignac.

O Mèrignac é o actual vice-campeão francês, atrás do dominador Quevert, três vezes campeão nas últimas quatro temporadas. Na última jornada, a equipa de Alexandre Silva visitou precisamente Quevert e perdeu 3-1. O tento do Mèrignac foi apontado por Alex, que já tinha bisado em Bassano.

No quinto lugar do principal campeonato gaulês, somando sete pontos em quatro jogos, o Mèrignac não é dos principais candidatos ao título. E na Europa, no grupo de Benfica, Vic e Bassano, os franceses “correm” ainda mais por fora. “É verdade que olhando para o grupo se destacam três equipas, que nos têm habituado à sua presença na Liga Europeia”, expõe. “Já o Merignac é uma equipa que costuma jogar a Taça CERS”, contrapõe.

União e coesão dos franceses será importante

As dificuldades neste grupo B são mais do que muitas. “Sabemos que é difícil disputar um lugar nos quartos, pela dificuldade das equipas que estão inseridas neste grupo, pela sua experiência e o seu valor”, reconhece. “As expectativas não são altas, temos os pés assentes na terra”, admite. “Queremos aproveitar a experiência e deixar uma boa imagem, obviamente jogando para ganhar. As equipas francesas têm mostrado evolução e nós queremos provar isso”, assevera.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade