Valença oitavo, na estreia na Elite

Valença oitavo, na estreia na Elite

Em estreia, o Valença não fugiu ao último lugar da classificação final da Elite Cup.

Orlando Graça reconheceu uma preparação complicada e deficiente, sem conseguir reunir todo o grupo para os trabalhos planeados.

Com boas primeiras partes, a falta de preparação e as dificuldades tornavam-se mais evidentes nas segundas, sendo assim em todas as partidas do torneio.

Rodolfo Sobral
Rodolfo Sobral

Frente ao campeão nacional Porto, Rodolfo Sobral - muito bem em todo o evento - destacou-se desde cedo, e adiou o golo cerca de 20 minutos, incluindo as defesas a uma grande penalidade de Gonçalo Alves e um livre directo de Hélder Nunes (o guarda-redes conquistou a Taça Latina ao lado de ambos em 2014). Mas, quando o golo apareceu, foi a dobrar...

A cinco minutos do intervalo, e em meio minuto, o Valença ficava a perder 2-0. Nuno Pereira (reforço, ex-Riba d'Ave) reduziu, mas ainda antes do descanso, o Porto apontaria o terceiro.

Nuno Pereira (
Nuno Pereira ("Micolli")

Não se renderam os estreantes na Elite Cup. Mesmo sem o argentino Guido Pelizzari (chegaria para o segundo jogo) e sem o presidente/capitão Miguel Fernandes (que só chegaria para o terceiro), o Valença voltou a reduzir para a margem mínima logo aos três minutos da etapa complementar, com Zé Braga a marcar de livre directo. No entanto, o Porto não se intimidou...

Nos quatro minutos que se seguiram, Hélder Nunes bisou e elevou para um 5-2 que arrumava a questão do vencedor.

Zé Braga ainda voltou a reduzir - e novamente de livre directo - mas a derrota seria confirmada com duas grandes penalidades que o guarda-redes Carlos Silva (ex-Benfica) não conseguiu travar.

Zé Braga esteve em destaque nos livres directos nas duas primeiras partidas
Zé Braga esteve em destaque nos livres directos nas duas primeiras partidas

Em dérbi minhoto com o Óquei de Barcelos, Zé Braga (que já representou os "galos"), inaugurou o marcador aos seis minutos e, com mais uma bela primeira parte e uma grande exibição de Rodolfo Sobral, a equipa orientada por Orlando Gaspar esteve largos minutos na frente. Até faltarem sete para o descanso... Em dois livres directos, João Almeida bateu Rodolfo por duas vezes e deu a volta ao resultado.

O Barcelos, motivado pela reviravolta, entrou melhor na segunda parte e, em sete minutos, elevou para 2-4. Zé Braga bisou, mas os barcelenses fugiam no marcador...

Ausente no primeiro jogo, Guido Pelizzari chegou, viu e... jogou
Ausente no primeiro jogo, Guido Pelizzari chegou, viu e... jogou

Apesar de se notar a quebra na segunda parte, o Valença não deixou de ser uma equipa atrevida, não perdendo o foco. Fechava bem à frente de Rodolfo Sobral (que jogou toda a partida) e espreitava a saída rápida para o ataque. Faltariam os golos.

Já depois do Barcelos fazer o quinto, nem Zé Braga (de livre directo), nem Luís Viana (de grande penalidade) conseguiriam bater Ricardo Silva.

Carlos Silva, reforço para a baliza
Carlos Silva, reforço para a baliza

No derradeiro jogo da primeira participação do Valença na Elite Cup notava-se de sobremaneira o desgaste de duas partidas exigentes nos dois dias anteriores.

Ainda assim, apenas num minuto ao longo de todos os 25 da primeira metade da partida é que o Valença claudicou. Mas foi por duas vezes, comprometendo as aspirações a fugir ao último lugar.

Luís Viana
Luís Viana

Na segunda parte, apesar de tudo, seriam só as bolas paradas a ditar diferenças. Tiago Pereira desperdiçou já depois de o Valongo ter dilatado para quatro golos de vantagem com dois livres directos, e o 0-5 chegou também de bola parada, de grande penalidade.

Na recta final da partida, Luís Viana conseguiu o tento de honra do Valença, que podia não ter ficado só... mas, sobre o apito, Zé Braga não conseguiu repetir o sucesso dos jogos anteriores e desperdiçou um livre directo. O jogo terminaria com uma pesada derrota por 1-7.

O treinador Orlando Graça
O treinador Orlando Graça

O Valença começa este sábado o Campeonato Nacional no Parque das Goladas, em Braga, no regresso dos bracarenses à I Divisão. Com o claro e declarado objectivo da manutenção, os valencianos viverão uma época histórica além-fronteiras, participando na Taça CERS. Nos 16-avos, defrontam os austríacos do Wolfurt, primeiro em Portugal (4 de Novembro) e depois na Áustria (25 de Novembro).

Partilhe

Facebook Twitter AddToAny
Outros artigos do dia