A actualidade derrotou o peso da História

A actualidade derrotou o peso da História

O Benfica venceu esta sexta-feira o CACO por 2-13, num jogo que foi reflexo do momento e das capacidades – bem distintas – das duas equipas.

A partida começou com pouca gente nas bancadas, mas os adeptos foram chegando para deixar o Pavilhão Carlos Bernardino bem composto. Quando muitos chegaram, o Benfica, que tem um dos orçamentos mais altos do Hóquei em Patins mundial e que vai lutar pela conquista da Liga Europeia, já vencia o agora modesto CACO, conformado a disputar a III Divisão na próxima temporada…

No dia que conheceu a chamada à Selecção Nacional, Miguel Vieira inaugurou o marcador e fez ainda mais dois golos
No dia que conheceu a chamada à Selecção Nacional, Miguel Vieira inaugurou o marcador e fez ainda mais dois golos

O triunfo encarnado começou a ser construído aos três minutos por um jogador com um dia muito especial. Miguel Vieira foi chamado à selecção para substituir Diogo Rafael em Montreux, foi titular e assinou o primeiro do jogo, a desbloquear cedo a defensiva contrária. Minuto e meio volvido, Casanovas não conseguiu bater João Robalo de grande penalidade, mas mais minuto e meio depois, Lucas Ordoñez, solto na zona frontal, rematava forte para o segundo.

Lucas Ordoñez também assinou um hat-trick
Lucas Ordoñez também assinou um hat-trick

Nuno Henriques parou o jogo e conseguiu de alguma forma conter o ímpeto inicial dos encarnados. Já com André Lopes em pista, Alejandro fez entrar Adroher e Nicolia – que chegou a estar em dúvida, por condicionamento físico – e, quase de imediato, Casanovas fez o terceiro.

Num jogo de muitas bolas paradas – nove livres directos e três grandes penalidades – o CACO teve a sua primeira oportunidade aos 11 minutos, mas André Lopes, que há 13 anos se sagrava campeão distrital de Infantis B (hoje Escolares) pelo Benfica, não conseguiu bater Pedro Henriques. Um “filme” que se repetiria um minuto volvido, desta feita com o atacante do clube do Bairro a ficar bem perto do golo…

Pedro Henriques, intransponível, tapou todos os “buracos” que o técnico adversário – e irmão – Nuno Henriques pudesse conhecer
Pedro Henriques, intransponível, tapou todos os “buracos” que o técnico adversário – e irmão – Nuno Henriques pudesse conhecer

Apesar da superioridade numérica depois de azul a Casanovas (o primeiro de seis azuis do jogo, três para cada equipa), o CACO não conseguiria contrariar a superioridade técnica dos visitantes. Em jogada individual, Ordoñez faria o segundo da sua conta pessoal – marcaria três – antes de entrar Miguel Rocha, determinado a aproveitar todos os minutos em pista.

O atacante que está de saída do Benfica marcou logo no primeiro remate, elevando para 0-5, e não se coibiu de usar a sua temível meia distância para pôr à prova João Robalo, que esteve em excelente plano apesar dos tentos sofridos.

Apesar dos golos sofridos, João Robalo esteve em excelente plano
Apesar dos golos sofridos, João Robalo esteve em excelente plano

O quinto golo encarnado descansou os homens de Alejandro Dominguez e libertou de uma visível ansiedade os de Nuno Henriques. Os jogadores do CACO ganhavam mais duelos, eram mais confiantes a sair com bola e equilibraram um jogo que estava a ser de sentido único. Nos derradeiros 10 minutos da primeira parte, o CACO só consentiria mais um golo, por Adroher, chegando ao intervalo a perder por 0-6.

A eliminatória estava decidida e a segunda parte arrastou-se pelas sucessivas bolas paradas. Ainda assim, com muitos golos, o público não deixou de seguir atento o regresso dos jogos grandes a Campo de Ourique.

André Lopes passou pelos escalões de formação do Benfica e foi campeão distrital em 2006 pelas águias, num escalão em que o Benfica faz agora de Campo de Ourique a sua casa
André Lopes passou pelos escalões de formação do Benfica e foi campeão distrital em 2006 pelas águias, num escalão em que o Benfica faz agora de Campo de Ourique a sua casa

Logo a abrir a segunda parte, Miguel Rocha fez o 0-7, pouco antes de ver um azul que levaria àquele que terá sido o momento da noite. Aos três minutos, Hugo Nascimento, capitão do CACO e campeão nacional de Sub-17 pelo Benfica em 2006 com Pedro Henriques e Diogo Rafael (que nesta partida não foi usado), foi para a marca de livre directo e transformou em habilidade, batendo Marco Barros, chamado para a baliza à segunda parte.

Primeiro golo – num excelente gesto técnico - de Hugo Nascimento teve dedicatória especial aos mais jovens do CACO
Primeiro golo – num excelente gesto técnico - de Hugo Nascimento teve dedicatória especial aos mais jovens do CACO

Um pouco mais tarde, Hugo faria também o segundo para o CACO, de grande penalidade, mas sem beliscar o triunfo encarnado. Todos os jogadores da equipa de Campo de Ourique jogariam, incluindo o guarda-redes Ricardo Ribeiro, um dos jogadores ligados no passado à formação das águias. Tal como Hugo Nascimento, André Lopes ou André e Rodrigo Raposo.

Miguel Rocha chegaria aos quatro golos e Miguel Vieira e Ordoñez selariam hat-tricks numa vitória tranquila antes da pausa para a Taça das Nações.

Miguel Rocha aproveitou bem os minutos que teve, assinando um poker
Miguel Rocha aproveitou bem os minutos que teve, assinando um poker

Para Montreux viajam Miguel Vieira, Carlos Nicolia e Lucas Ordoñez. Duas semanas após o regresso, a 4 de Maio, o Benfica recebe a Juventude de Viana para os quartos-de-final da Taça de Portugal. Este sábado, os oitavos-de-final fecham com o dérbi minhoto entre Óquei de Barcelos e o Riba d’Ave, com o vencedor a receber o Paço de Arcos nos “quartos”.

Reacções

No final do jogo, a análise ficou a cargo dos treinadores, de Hugo Nascimento e de Miguel Vieira.

Partilhe

Facebook Twitter AddToAny