«Este modelo competitivo interessa aos grandes, não interessa aos pequenos»

«Este modelo competitivo interessa aos grandes, não interessa aos pequenos»

Apesar do momento de vitória, Nuno Lopes não deixou de endereçar umas “farpas” sobre o modelo competitivo adoptado para o presente campeonato.

Para o técnico nabantino, o modelo com atribuição do título em playoff é mais ao jeito dos ditos “grandes” que dos ditos “pequenos”, sublinhando que, num campeonato regular (que defende a 16 equipas), os pontos deste jogo que terminou em triunfo sobre a Oliveirense por 5-3, interfeririam na luta pelo título. Mas assim, para Nuno Lopes, não vai interferir absolutamente nada.

Sobre o jogo em concreto, a vitória do Tomar sobre a Oliveirense por 5-3 começou a ser construída quando a equipa virou o resultado para 2-1, após o tento inaugural de Henrique Magalhães. “Era importante estar na frente e o segredo da vitória acaba por ser um pouco esse”, revela Nuno Lopes, indo ao encontro ao que Paulo Pereira também apontou.

Reconhecendo o papel de equipa “menor”, o treinador do Tomar sublinha que a Oliveirense é muito forte no “um-para-um” e que em determinados momentos foi assumidamente “mais defensiva” e que a sorte também os protegeu. “É preciso sorte, mas a sorte também se procura”, ressalva.

No próximo sábado, o Tomar defronta outro dos candidatos ao título. Reforçando que “para os grandes, o campeonato só começa em Março ou Abril”, não espera no entanto facilidades. O jogo dependerá muito da predisposição do Benfica, mas Nuno Lopes tem o seu desejo formulado. “Queremos ter uma equipa briosa em campo, e sempre a desconfiar que pode ganhar os três pontos”, afirma.

AMGRoller

Partilhe

Facebook Twitter AddToAny
Outros artigos do dia