Candelária tenta ir 'além da praia'

Pelo terceiro ano consecutivo, o Candelária terminou em 3º lugar na Zona Sul da II Divisão, uma 'morte na praia' na luta pela subida. Para a nova temporada, há revolução no plantel da equipa picarota.

Candelária tenta ir 'além da praia'

A descida do Candelária em 2017, depois de 12 temporadas na I Divisão, parecia condenar definitivamente a equipa picarota que chegou a disputar palmo-a-palmo jogos e competições frente aos melhores da Europa.

Mas, depois de um 10º lugar no regresso à II Divisão, o 4º lugar em 2018/19 era uma demonstração de vontade de voltar ao palco maior. Na temporada seguinte, esteve ainda mais perto, "terminando" em 3º quando os campeonatos nacionais foram cancelados pela pandemia. A um ponto do 2º, o Candelária até tinha um protesto a correr que poderia mudar a classificação, mas não chegaria a ser julgado, nem seria dada outra oportunidade de lutar pela subida. Talvez o custo de uma insularidade que certamente complicaria a "liguilha".

No Pico, não se baixou os braços e 2020/21 foi novamente de 3º lugar na Zona Sul da II Divisão, a um ponto da disputa da subida, num cenário repetido este ano, ainda que a dois pontos de distância dessa derradeira oportunidade de promoção.

No rescaldo da não subida, sete jogadores decidiram regressar ao continente. António Estrela e Miguel Feio reforçarão o agora primodivisionário Murches, João Silva ("Janeka") junta-se a um ambicioso projecto da BIR e o guarda-redes Marcelo Araújo e Miguel Sardinha vão para o Oeiras. Mais para Norte, Anderson Luís reforça o Marinhense e Hugo Paiva será jogador do Académico da Feira. Na ilha, Paulo Pereira - ex-jogador do clube - assumiu a presidência sucedendo a uma Comissão Administrativa que esteve à frente dos destinos do clube desde a descida e era hora de reconstrução do plantel.

Garantida a continuidade do argentino Damian Paez, sobrinho dos mitos Jose Luis e David, dos picarotos Milton Jorge, André Serpa e Francisco Garcia, e o regresso de Diogo Rosa depois de um ano de paragem "sabática", o Candelária atacou o mercado.

Mantendo-se também o treinador Pedro Afonso, coadjuvado por Tiago Resende, os reforços começaram a ser garantidos aos pares. Da Argentina, de um Lomas de Rivadavia de onde no último defeso chegara Damian Paez, chegam Marcos Orellano - o mais experiente dos reforços, com 26 anos - e Joel Martin, de 21.

Os gémeos Miguel Rocha e Pedro Rocha, de apenas 18 anos, deixam o Riba d'Ave rumo ao Pico, com sublinhado para o guarda-redes Miguel, protagonista em Março de 2021 ao impôr com os ribadavenses um nulo ao Benfica em pleno pavilhão da Luz.

Também a par, foram garantidos Manuel Correia e Vasco Soares, ambos de 20 anos, da Juventude Salesiana, ficando o plantel fechado com Alessandro Guzzo (23), ex-Nafarros.

Plantel 2022/23

Miguel Rocha (ex-Riba d'Ave) e Milton Jorge; Alessandro Guzzo (ex-Nafarros), André Serpa, Damian Paez, Diogo Rosa, Francisco Garcia, Joel Martin (ex-Lomas de Rivadavia), Manuel Correia (ex-Juv. Salesiana), Marcos Orellano (ex-Lomas de Rivadavia), Pedro Rocha (ex-Riba d'Ave) e Vasco Soares (ex-Juv. Salesiana). Treinador: Pedro Afonso.

Acompanhe esta e outras transferências deste defeso nos principais campeonatos aqui.

Partilhe

Facebook Twitter AddToAny