Visto e revisto: o Porto vence (também) a Elite Cup

O Porto conquistou a Elite Cup ao derrotar o Benfica por 4-1 na final, num jogo marcado pelas paragens para revisão vídeo. No embalo da pretérita temporada, é o quarto título oficial consecutivo dos dragões, o terceiro frente às águias.

Visto e revisto: o Porto vence (também) a Elite Cup

Tem sido um 2022 de vitórias para o Porto. E sempre sobre o Benfica. Depois da conquista da Taça Intercontinental em Dezembro último, ainda em 2021, a equipa de Ricardo Ares venceu a Taça de Portugal por 5-1 e o Campeonato Nacional numa final a cinco jogos. Agora, no arranque da nova temporada, o Porto conquistou a Elite Cup, a única prova que lhe escapou na pretérita temporada.

Com Roc Pujadas, Lucas Ordoñez e Diogo Rafael como preteridos de luxo por Ricardo Ares e Nuno Resende, a partida começou, como se esperaria, dividida, ainda que as águias - com os reforços Nil Roca e Roberto Di Benedetto de início - mostrassem mais alguma dinâmica e intenção atacante. Mas Xavi Malián, uma das maiores figuras desta prova, mostrava o acerto dos dois primeiros jogos.

O reforço Nil Roca apontou o único golo (não revertido) das águias.
O reforço Nil Roca apontou o único golo (não revertido) das águias.

E, se Malián justificava o prémio de melhor jogador do torneio que viria a ganhar, Gonçalo Alves fazia por assegurar o de melhor marcador, inaugurando, de grande penalidade, o marcador aos sete minutos.

O Benfica procurou reagir. Entraram os argentinos Pablo Álvarez e Carlos Nicolia, mas o golo não surgia. E quando Resende iniciava nova ronda de substituições - sendo que "Poka" não chegou a ir a jogo - com, por exemplo, a saída de Nicolía, o Porto chegava ao 2-0 aos 15 minutos pelo seu argentino, Ezequiel Mena, num contra-ataque bem gizado.

Ezequiel Mena, com dois golos e uma assistência, esteve em destaque.
Ezequiel Mena, com dois golos e uma assistência, esteve em destaque.

A resposta foi pronta, com Nil Roca a reduzir e Carlos Nicolia a empatar no espaço de minuto e meio. Mas, nesta Elite Cup, houve poucos pontos finais e muitas reticências devido ao Sistema de Revisão Vídeo.

Nicolía foi chamado para bater uma grande penalidade. À primeira, foi mandado repetir. Desde logo, Maliàn reclamou de não se ter mexido e pediu revisão. Mas o Porto aguardou pelo segundo remate. Nicolía marcou, a revisão foi pedida e, depois de muito tempo a analisar o momento, decidiu-se que Gonçalo Pinto saíra antes do tempo da outra área...

Paragens do SRV levaram a primeira parte com mais de uma hora.
Paragens do SRV levaram a primeira parte com mais de uma hora.

O muito tempo para análise (e, principalmente, a decisão) afectou de sobremaneira os encarnados e Mena agravou esse estado de espírito com o 3-1 numa bela iniciativa.

O Benfica tentou reduzir antes do intervalo e forçou a 10ª falta contrária segundos antes do intervalo, num lance em que ficou a pedir azul. Mais uma pausa longa, antes de Nicolía bater o respectivo livre directo, e novo pedido de revisão após a marcação levaram a que a primeira parte terminasse ao cabo de mais de uma hora após o apito inicial.

"Seca" extrema

Depois de um longo intervalo, os segundos 25 minutos reflectiram, em calão, a situação do país, em "seca" extrema. Durante largos minutos, faltou emoção. Faltou acutilância ao Benfica em busca do golo perante um Porto confortável na sua vantagem e com um guarda-redes a inspirar confiança. Faltou velocidade. Faltaram ocasiões de golos.

Houve apenas três faltas nos primeiros 15 minutos desta etapa complementar, mas Edu Lamas veria um azul, por SRV, aos 18. Gonçalo Alves não transformou o livre directo, mas o Porto, sem que o Benfica encontrasse soluções para ultrapassar a couraçada defensiva azul-e-branca, começava a ameaçar "matar" o jogo.

Carlo Di Benedetto fechou as contas da partida.
Carlo Di Benedetto fechou as contas da partida.

Já nos derradeiros três minutos, Carlo Di Benedetto também não conseguia bater Pedro Henriques de livre directo, mas o gaulês do Porto chegaria mesmo ao tento - a finalizar bem depois de assistência de Mena - que confirmava a vitória sobre o irmão Roberto, com as águias a protestarem um lance anterior.

Depois de não ter participado na Elite Cup em 2018, devido à presença na Taça Continental, o Porto conquistou a Elite Cup pela primeira vez em 2019, na última edição oficiosa. Depois do pandémico hiato de 2020, e já com carácter oficial, o Porto chegou à final de 2021, perdida para o Óquei de Barcelos. Agora, o troféu oficial vai mesmo para o Dragão.

Já daqui a uma semana, no dia 10, águias e dragões voltam a encontrar-se - em Barcelos - para decidir um título, na Supertaça António Livramento.

Reinaldo Garcia ergueu mais um troféu.
Reinaldo Garcia ergueu mais um troféu.

Quartos-de-final

Porto 8-1 Tomar • 2.Set

Benfica 3-1 Valongo • 2.Set

Sporting 4-1 Braga • 2.Set

• Óquei de Barcelos 3-4 Oliveirense • 2.Set

Meias-finais

Porto 4-2 Sporting • 3.Set

• Benfica vs. Oliveirense • 3.Set

5º ao 8º lugares

Tomar 5-2 Braga • 3.Set

Valongo 6-5 Óquei de Barcelos (4-4, 2-1 ld) • 3.Set

7º e 8º lugares

• Braga 4-1 Óquei de Barcelos • 4.Set

5º e 6º lugares

Tomar 4-1 Valongo • 4.Set

3º e 4º lugares

Sporting 3-2 Oliveirense • 4.Set

Final

Porto 4-1 Benfica • 4.Set

Classificação final

1º Porto, 2º Benfica, 3º Sporting, 4º Oliveirense, 5º Tomar, 6º Valongo, 7º Óquei de Barcelos, 8º Braga

AMGRoller

Partilhe

Facebook Twitter AddToAny
Outros artigos do dia
Benfica aponta 'final inquinada'

Benfica aponta 'final inquinada'

Na sua newsletter diária oficial, o Benfica expressa o seu descontentamento sobre a arbitragem da final da Elite Cup frente ao @FCPorto, em particular de Pedro Figueiredo. Primeiro fim-de-semana oficial, primeiro comunicado...

Do repetente Gonçalo ao estreante Roberto

Do repetente Gonçalo ao estreante Roberto

Na 2ª edição oficial da Elite Cup, Gonçalo Alves, com um talismã infalível, é o único repetente nas escolhas para o Cinco Ideal, voltando a intrometer-se entre talento estrangeiro. Roberto Di Benedetto, recém-chegado a Portugal, entra no Cinco.