Sai Rui Neto, regressa Paulo Freitas

Surpreendentemente, o Óquei de Barcelos anunciou ao fim da tarde desta quarta-feira a saída de Rui Neto do comando técnico. Três horas depois, os barcelenses anunciavam o regresso de Paulo Freitas.

Sai Rui Neto, regressa Paulo Freitas

Rui Neto está de saída do Óquei de Barcelos e o sucessor não tardou a ser anunciado. Paulo Freitas, ex-Sporting, está de regresso.

"Feito!". É com quase um desabafo de Rui Neto que termina a transmissão da curta conferência de imprensa (mais comunicação de imprensa, dado que não houve lugar a perguntas) de anúncio do "fim de ciclo" do técnico à frente dos barcelenses.

A equipa regressou ao trabalho há cerca de um mês e disputou apenas três jogos oficiais, todos na Elite Cup. Perdeu frente à Oliveirense por tangencial 3-4 nos quartos-de-final e, nas meias, foi derrotada pelo Valongo, no desempate por livres directos, depois de um empate a quatro no tempo regulamentar. Na derradeira partida, logrou escapar ao 8º e último lugar ao vencer o Braga por 3-5.

Neste defeso, o Óquei de Barcelos só promoveu uma mudança. Regressou Miguel Vieira e "Joca" Guimarães foi cedido por empréstimo ao Famalicense.

Rui Neto chegou ao Óquei de Barcelos em 2020, quando Paulo Pereira rumou à Oliveirense. No regresso aos palcos maiores depois de ter sido seleccionador nacional no Mundial de 2011 e no Europeu de 2012, desde logo prometeu uma equipa a tentar ombrear com os (outros) quatro assumidos candidatos. Era um discurso ambicioso, mas os "actos" estiveram à altura das palavra. Os barcelenses regressaram à Liga Europeia, numa versão improvisada, e foram afastados sem derrotas na fase de grupos. E terminariam a fase regular e o campeonato em 3º, à frente de Benfica e Oliveirense.

Rui Neto colocou de novo o Óquei de Barcelos a ombrear com os (outros) históricos nacionais.

A ambição já estava justificada e, no arranque da pretérita temporada, Rui Neto devolveu - 17 anos depois - o Óquei de Barcelos aos títulos nacionais, conquistando a primeira edição oficial da Elite Cup numa final frente ao Porto. Voltaria a encontrar os dragões em dois momentos fundamentais, caindo nas meias-finais da Taça de Portugal apenas nas grandes penalidades, e novamente nas meias-finais, mas do play-off, para um 4º lugar no Campeonato.

«Uma presença má»

Dificilmente terá sido apenas a prestação na Elite Cup a justificar a saída de Rui Neto. Mas, no tempo, é a competição que marca a saída do treinador que, em rescaldo, reconheceu uma má performance. "Foi uma presença má. Foi uma prestação má. O sétimo lugar é mau. Pronto. Olhando para os jogos, consequência do primeiro jogo, ditou-nos depois o quinto ao oitavo lugar. Ontem [sábado] foi na situação dos livres directos. Hoje acabámos por fazer um jogo, tanto para nós como para o Braga, o sétimo e oitavo lugar é um jogo complicado às 9h. Acho que a equipa acabou por ter uma boa prestação, criou imensas oportunidades de golo e acabámos com o resultado mais apertado, mas pronto", analisou.

"Esta equipa joga muito mais do que isto e já provou que joga muito mais do que isto. Portanto, é um momento. Com certeza, iremos dar a volta a esta situação", garantia, parecendo que a hipótese de saída estava afastada. Haveria apenas um bloqueio mental para ultrapassar.

"Isto é clique, é uma questão mental. Há talvez algum cansaço mental também, porque a qualidade está lá. A equipa não deixou de ter qualidade de um momento para o outro. Eu trabalho com estes atletas há dois anos e dois meses. O grupo trabalhou quase todo o mês, este ano só temos uma cara nova, portanto os processos estão mais do que adquiridos e assimilados. E se durante dois anos demonstrámos a qualidade que demonstrámos, não é num mês que se perde essa qualidade. Nem quando ganhamos somos os melhores do mundo, nem quando perdemos passámos a ser os piores do mundo. Há que encontrar aqui um equilíbrio e perceber o momento dos atletas. Há atletas que estão em sub-rendimento e em baixo de forma e que são muito importantes para a equipa, portanto há que recuperá-los nesse sentido. E nós sabemos que isto é com jogos, com vitórias, que as coisas voltam novamente ao normal", explicava. Agora, as vitórias só poderão chegar sob outro comando.

Regresso de Paulo Freitas

Apenas três horas depois do anúncio de saída de Rui Neto, o Óquei de Barcelos promovia uma segunda conferência de imprensa para anunciar o novo técnico. Rei "morto", rei posto, Paulo Freitas está de regresso.

O técnico que deixou o Sporting no final da pretérita temporada chegou ao Óquei de Barcelos em 2013 e conquistou a Taça CERS em 2016. Em Março de 2017, deixou o Minho - já com o Óquei em nova Final Four da CERS - para ocupar o lugar de Guillém Perez, afastado nos leões. De verde-e-branco, escreveu uma história de sucesso, com múltiplas conquistas nacionais e internacionais, mas tal não evitou que o Sporting optasse por mudar de timoneiro. Na despedida, afirmava que saía "preparadíssimo para tudo" o que pudéssemos imaginar.

Partilhe

Facebook Twitter AddToAny
Outros artigos do dia
Rui Torres e Carlos Correia apitam Supertaça

Rui Torres e Carlos Correia apitam Supertaça

O Clássico entre Porto e Benfica que decidirá a Supertaça António Livramento será arbitrado pelos minhotos Rui Torres e Carlos Correia, em princípio sem 'ajuda' do Sistema de Revisão de Vídeo, a ferramenta testada na Elite Cup.

«Aproveitaremos ao máximo este microciclo para melhorarmos»

«Aproveitaremos ao máximo este microciclo para melhorarmos»

Falhado o objectivo da Elite Cup, Nuno Resende tirou coisas positivas e outras para trabalhar na semana que medeia nova discussão do Benfica com o Porto, agora para a Supertaça.