Valongo em três frentes, de agenda cheia até ao Mundial

Neste arranque de época, ninguém tem a agenda tão preenchida como o Valongo. A equipa de Edo Bosch disputará a Taça Continental, seguindo-se campeonato e qualificação na Liga dos Campeões antes do Mundial.

Valongo em três frentes, de agenda cheia até ao Mundial

O Valongo terminou a pretérita temporada com cinco jogos em 12 dias entre 14 e 25 de Maio, incluindo quatro prolongamentos, sendo que dois deles não foram suficientes para decidir o vencedor e foi necessário ir a grandes penalidades. E o arranque da nova temporada não será mais tranquilo.

Depois de três jogos em três dias na Elite Cup, o Valongo prepara-se agora para "viver" intensamente até à pausa para o Mundial. Entre Itália, Portugal e França, tem previstos nove jogos em 22 dias, já (des)contando com o adiamento do jogo na Parede, que estava previsto para 24 de Setembro, para 19 de Novembro.

Graças a esse adiamento, o Valongo poderá respirar entre dois períodos diabólicos.

Reforço Miguel Moura mostrou serviço na Elite Cup, para um ano que pode ser de
Reforço Miguel Moura mostrou serviço na Elite Cup, para um ano que pode ser de "explosão".

Entre 17 e 21 pode disputar três partidas em cinco jogos, sendo que a 17 e 18 de Setembro, conta-se uma partida em Itália e, caso o Valongo vença o Calafell, nas meias-finais da Taça Itália, uma segunda partida, com a desejada final. Depois, no regresso a solo luso, o Valongo apadrinha a estreia do Murches na categoria máxima, no jogo que fechará a ronda inaugural do campeonato PLACARD.

Depois, há novo ciclo "a doer" (ainda mais), de seis jogos em 11 dias, de 28 de Setembro a 8 de Outubro. No calendário estão os jogos para o campeonato com Porto (28 de Setembro), Benfica (5 de Outubro) e Sporting (8 de Outubro) e, entre os duelos com dragões e águias, há o importantíssimo fim-de-semana da primeira fase de qualificação da nova Liga dos Campeões.

Tentando dar o primeiro de dois passos rumo à fase de grupos, o Valongo vice-campeão europeu joga entre 30 de Setembro e 2 de Outubro, em França, frente a Caldes, Bassano e Quévert.

A Taça Continental

Em Follonica, no próximo fim-de-semana, o Valongo procura o seu primeiro troféu internacional.

Apesar de ter caído nas grandes penalidades da final da Liga Europeia em Maio último, o estatuto de finalista vale a presença num Taça Continental decidida em Final Four desde 2017. Então, a Oliveirense traçou um precedente que agradará aos valonguenses: era vice-campeã europeia, disputou a Final Four em Itália (Viareggio) e ergueu o troféu.

Nesta edição, o Valongo defronta nas meias-finais (sábado, 15h locais) o Caldes, ao passo que na outra meia-final se defrontam Trissino e Follonica. A final está agendada para as 15h de domingo.

Xano Edo defronta a sua ex-equipa nas
Xano Edo defronta a sua ex-equipa nas "meias" da Taça Continental.

Sem Carlitos para o primeiro jogo do campeonato

Para a recepção ao Murches, que marcará a estreia no campeonato PLACARD, Edo Bosch já sabe que não poderá contar com Carlos Ramos ("Carlitos"), reforço deste defeso. O jogador cedido pelo Porto (deverá, por acordo, falhar também o jogo com os dragões), que está de regresso a Valongo apenas um ano volvido, foi punido com um jogo de castigo depois de ter sido expulso na derradeira partida da Elite Cup, frente ao Tomar. Uma expulsão que irritou Edo Bosch.

"Durante os jogos desta Elite Cup fantástica, vi árbitros a controlarem-se em ocasiões que podiam ser vermelhos, directos e muito mais graves que o do Carlitos. E os árbitros também têm que saber que este é um torneio de início de época, que todo o mundo quer, e o vermelho só usar quando realmente seja para usar esse vermelho. Quando haja realmente uma confusão grande ou quando haja uma agressão mesmo grave. Não acho sinceramente que o vermelho do Carlitos seja um vermelho para mostrarem num torneio destes, nem numa temporada regular. Acho que foi um confronto, sim, com um cartão azul podia ter-se resolvido a coisa, como se resolveu noutros encontros. E passava... Tenho um atleta destroçado animicamente e a pedir desculpas aos colegas. Por uma questão que não considero que seja vermelho", desabafava Edo Bosch no rescaldo de uma derrota por 4-1 que relegou os valonguenses para o 6º lugar.

Carlitos viu um vermelho contestado e falha arranque do Campeonato.
Carlitos viu um vermelho contestado e falha arranque do Campeonato.

Num grupo de reconhecido talento e de reconhecida raça, a gestão do controlo emocional pode ser o mais complicado. "Sim, o controlo emocional num atleta sénior é fundamental. Vamos a 'terras inimigas' [a Itália, para a Taça Continental], onde podemos encontrar qualquer tipo de arbitragem. Pode acontecer qualquer coisa durante o jogo contra o Calafell e nós temos de estar preparados para qualquer cenário", alertou. No entanto, a arbitragem não agradou. "Agora, não vamos pedir coisas impossíveis. Eu gostava de ver este controlo emocional em equipas de mais estaleca, a ver se têm, porque quando te metem o dedo na 'llaga' [chaga, ferida] uma vez, aguenta-se. Dez vezes seguidas é difícil", reclamou.

Mas a atitude dos jogadores deixou Edo Bosch satisfeito. "Estou totalmente orgulhoso dos meus jogadores. Se perder mais alguma vez, quero perder assim, a dar tudo em campo como deram os meus jogadores", vincou.

Último apronto, com duas vitórias sofridas

Em Tomar, para a Elite Cup, o Valongo perdeu por 3-1 com o Benfica, vendendo cara a derrota. Seguiu-se uma vitória no desempate por livres directos frente ao Óquei de Barcelos (recuperando dois golos nos últimos três minutos) e a tal derrota por 4-1 frente ao "anfitrião".

Uma semana volvida, num derradeiro teste para a Taça Continental, o Valongo recebeu o já tradicional Torneio Cidade de Valongo (Memorial a Carlos Figueira) para duas partidas disputadas até ao apito final.

Nas meias-finais, a equipa de Edo Bosch venceu a Juventude de Viana apenas no desempate por livres directos depois de ter sofrido o 5-5 à entrada do último minuto. Na final, a vitória valonguense no torneio foi garantida com um triunfo por 5-4 sobre o Braga, com Diogo Abreu a fazer o definitivo 5-4 já no derradeiro minuto do tempo regulamentar.

Partilhe

Facebook Twitter AddToAny
Outros artigos do dia
Em busca de um presente para o centenário

Em busca de um presente para o centenário

A Oliveirense completa 100 anos e o técnico Paulo Pereira assume a vontade de conquistar um troféu para celebrar. O grupo de trabalho foi pouco mexido, apostando-se na consolidação e na correcção de 'pormenores'.

Arranca o Campeonato!

Arranca o Campeonato!

Começa este sábado o agora Campeonato PLACARD, e logo com dois jogos, nas pistas de Paço de Arcos e do João Rocha, com histórias de mais de 30 títulos. Ao Clássico entre Sporting e Porto são chamados Pedro Silva e João Duarte.