Mais portugueses, num evento importante para o crescimento

No rescaldo de uma Eurockey Cup que teve a maior representação lusa de sempre, os técnicos da prova mista concordaram na importância para o crescimento dos seus jogadores e das suas equipas, numa partilha que perdurará.

Mais portugueses, num evento importante para o crescimento
Foto de capa: Luis Velasco Hevia

A edição deste ano da Eurockey Cup de Sub-15 não terminou com título português (como acontecia desde 2016), mas a meritosa e festiva participação da Académica de Coimbra tornou esta a prova com maior representação portuguesa de sempre.

Para além das "estudantes", na segunda edição da prova feminina, estiveram presentes quatro equipas na prova mista - Benfica, Oeiras, Porto e Sporting - que, apesar do desfecho, "ganharam" uma inolvidável experiência, um passo importante no seu crescimento conforme assumido pelos respectivos treinadores.

O Sporting "caiu" nos quartos-de-final num duelo luso frente a uma equipa do Oeiras com outra maturidade. Depois de terem perdido a final da edição de 2021, os leões de Nuno Pinto lograriam a conquista do título nacional, mas, porque o tempo não perdoa, a maioria dos jogadores que compunham esse plantel subiram a Sub-17.

Na reorganização das equipas técnicas leoninas, Rafael Rafael trocou o projecto sénior do Penafiel pelos Sub-15 do Sporting, para uma época que, com uma equipa reformulada, será desafiante. E o técnico assumiu a importância desta participação, também para a sua integração, mas fundamentalmente para a partilha com equipas de outros países, com diferentes tipos de pensamento e trabalho. Cumprido terá sido o objectivo de união do grupo, chegando os Sub-15 do Sporting como um grupo unido, e partindo como uma equipa forte e unida para o que falta da temporada.

Outra equipa em construção é a do Porto. Diogo Rufino estivera nas Eurockey Cup de Sub-17 e de Sub-15 no ano passado e regressou novamente com os Sub-15, cumprindo um primordial objectivo de "fazer melhor que o ano anterior". Se em 2021, caíram nos quartos-de-final frente ao finalista Sporting, desta feita os dragões (primeiro emblema português a vencer a Eurockey Cup de Sub-15, em 2016) deram mais um passo, ficando nas "meias", frente a um Barcelona que viria a ganhar a competição.

De regresso a Portugal, o objectivo com esta equipa será "ir o mais longe possível", mas, fundamentalmente, contar com todos. "Tenho o objectivo de não deixar miúdos para trás. Quero formar uma equipa inteira, não quero formar uma equipa só de cinco", aponta Diogo.

A estreia do Oeiras na Eurockey Cup foi também a estreia de José Carlos na competição. Habituado enquanto jogador a inúmeros duelos com equipas espanholas, o emblemático ex-guarda-redes do Benfica e da Selecção Nacional assinala o equilíbrio entre portugueses, espanhóis e algumas equipas italianas, com pequenos pormenores - como as bolas paradas - a fazerem a diferença.

Desta Eurockey Cup, José Carlos assinala uma experiência "muito positiva" e "muito enriquecedora para toda a gente", garantindo que o grupo - o único entre os portugueses que se apresentou na prova mista com atletas femininas (Rita Gomes e Vera Boullosa) - regressa com as devidas ilações do que há para melhorar desportivamente e com o "espírito de equipa fortalecido".

Depois de vencer o Oeiras nas meias-finais, o Benfica tentava repetir o título conquistado em 2021, ainda que mantendo apenas três jogadores. Ricardo Leão, que substituiu Miguel Dantas como treinador, apontou uma final marcada pelo equilíbrio, lamentando duas bolas paradas desperdiçadas na fase inicial do jogo. Após boa entrada na segunda parte, houve "erros normais no crescimento" que comprometeram o triunfo, mas que não fazem esquecer um "percurso fantástico", com o técnico a salientar os poucos golos sofridos e os muitos marcados.

Tendo já estado na Eurockey Cup em 2021 com os Sub-17 do Sintra, Ricardo Leão destaca a importância deste evento para o crescimento dos seus jovens, não apenas enquanto atletas, mas também para que sejam melhores pessoas, relevando a elevação e o respeito com que os jogos foram disputados.

A mera participação na Eurockey Cup é desde logo uma vitória. São quatro dias de competição, mas, acima de tudo, dias de confraternização com outras realidades, outras maneiras de ver o jogo, a modalidade e o dia-a-dia. Nos jogadores, treinadores, demais staff e todos os que acompanham as equipas, a prova fica indelevelmente marcada para o resto das carreiras e para o resto das vidas.

Partilhe

Facebook Twitter AddToAny
Outros artigos do dia
Campeonato em pausa

Campeonato em pausa

Depois de grande parte da 5ª jornada a 8 de Outubro e de uma partida a 15, este fim-de-semana o Campeonato PLACARD parou definitivamente na preparação do Campeonato do Mundo. É hora de ponto de situação.

Supertaça é do Saint-Omer (para não variar)

Supertaça é do Saint-Omer (para não variar)

Cerca de mês e meio volvido sobre a 1ª mão, o Saint-Omer voltou a vencer o Quévert e assegurou (com goleada) a conquista da quarta Supertaça da sua história e todas as edições realizadas. Para o português Pedro Chambel é o 9º título em França.