Campeonato em pausa

Depois de grande parte da 5ª jornada a 8 de Outubro e de uma partida a 15, este fim-de-semana o Campeonato PLACARD parou definitivamente na preparação do Campeonato do Mundo. É hora de ponto de situação.

Campeonato em pausa

A realização dos World Skate Games e dos respectivos campeonatos do Mundo de Hóquei em Patins no final do mês de Outubro e até meados de Novembro leva a novo constrangimento no calendário, depois do Campeonato da Europa ter sido também "culpado" o ano passado de um inusitado planeamento.

Este ano, o Campeonato PLACARD pára à 5ª jornada. Dos sete jogos calendarizados dessa derradeira ronda antes da pausa mundialista, cinco realizaram-se a 8 de Outubro e um, entre Paço de Arcos e Braga a 15. Este fim-de-semana, não há campeonato.

Por realizar fica o jogo entre Óquei de Barcelos e Parede, adiado por avaria no autocarro da equipa do concelho de Cascais, para cumprir a 22 de Novembro, tal como o jogo entre Braga e Benfica, este adiado em virtude da participação dos bracarenses na 1ª fase de qualificação da Liga Europeia. Pelo mesmo motivo, o Valongo só jogará na Parede a 19 de Novembro, naquele que será um "aperitivo" para o resto do campeonato - e da época - após a pausa.

Benfica lidera em igualdade pontual com Sporting, Óquei de Barcelos e Porto, apesar de ter um jogo a menos (como os barcelenses) e já venceram leões e a Oliveirense.
Benfica lidera em igualdade pontual com Sporting, Óquei de Barcelos e Porto, apesar de ter um jogo a menos (como os barcelenses) e já venceram leões e a Oliveirense.

Cumpridos apenas 32 de 182 jogos, cinco jornadas incompletas de 26 da fase regular, há quatro líderes, mas Benfica e Óquei de Barcelos têm um jogo menos do que Sporting e Porto. Águias e galos são as únicas sem derrotas (e só com vitórias), sendo que - na relatividade do jogo em falta - são a melhor defesa, com apenas seis golos consentidos. O melhor ataque, tendo em conta o total de golos obtidos, é do Porto, com 22, sendo que, em média, são os barcelenses que mais marcam, com 5.25 por partida.

Nos jogos já realizados, há a assinalar 20 vitórias em casa, três empates e nove vitórias fora de portas, com 130 golos marcados pelos anfitriões e 95 pelos visitantes, numa interessante média de mais de sete golos por jogo.

Individualmente, segundo os tentos "oficializados" nos boletins de jogo federativos, "Tato" Ferruccio - que no último defeso trocou Oliveira de Azeméis por Tomar - e o habitual Gonçalo Alves partilham a lista de melhores marcadores, com nove golos conseguidos, seguidos de perto pelo barcelense Alvarinho (oito golos), que tem um jogo a menos.

"Tato" reencontrou-se com os golos em Tomar. Soma nove, tantos como Gonçalo Alves.

Os dragões podem igualmente orgulhar-se da vitória mais dilatada, sobre o Famalicense, por 7-0, naquela que foi a única "clean sheet" [jogo sem golos sofridos] até ao momento. Pese essa derrota, a equipa de Jorge Ferreira, recém-promovida, terá pouco a lamentar, indo para esta pausa mundialista em lugar de play-off.

Em relação às oito equipas que garantiram um lugar na decisão de campeão, na segunda fase do campeonato, há a registar também a "novidade" da Juventude de Viana, sendo que ocupam os lugares de Oliveirense e Valongo. Merecerá maior ressalva, os apenas três pontos conquistados pelos valonguenses, mas, com um jogo a menos, já "despacharam" os encontros com Porto, Benfica e Sporting.

Abaixo da linha de água estão as três equipas da Linha de Cascais, sendo que o Parede de Pedro Caeiro Gonçalves tem dois jogos a menos e o Murches tarda em transformar boas exibições em pontos. Como curiosidade, a equipa orientada por Hugo Lourenço esteve nas partidas com mais golos, em Viana, num 7-6 final, e com menos golos, numa igualdade a um com a Oliveirense.

As três equipas da Linha de Cascais (Paço de Arcos, Parede e Murches) enfrentam a pausa nos desconfortáveis lugares de despromoção. Mas ainda há muito Campeonato pela frente...
As três equipas da Linha de Cascais (Paço de Arcos, Parede e Murches) enfrentam a pausa nos desconfortáveis lugares de despromoção. Mas ainda há muito Campeonato pela frente...

Entre as equipas que nos últimos anos lutam pelo topo da classificação e - assumidas ou não - são apontadas como candidatas ao título, houve quatro jogos. O Benfica estará mais satisfeito, tendo vencido Sporting e Oliveirense. Os leões venceram o Porto, mas perderam na Luz e os dragões perderam no João Rocha, mas venceram a Oliveirense, num jogo de reviravolta épica. Para o regresso da regularidade do Campeonato, a 26 de Novembro, estão agendados embates entre Porto e Óquei de Barcelos e entre Sporting e Oliveirense.

Entre a outra equipa que sobe às pistas - a de arbitragem - João Duarte e José Martins eram os escolhido para o não realizado embate entre Óquei de Barcelos e Parede, naquela que seria a terceira vez que apitariam em dupla na corrente edição do campeonato nacional, destacando-se das restantes. E João Duarte, um dos árbitros chamados ao Mundial, seria o primeiro a somar cinco chamadas.

Às 32 partidas disputadas, já foram chamados todos os 22 árbitros da categoria nacional A1, e ainda José Martins, da categoria nacional A.

Jogos em atraso

• Parede vs. Valongo • 19.Nov • 21h

• Braga vs. Benfica • 22.Nov • 21h

• Óquei de Barcelos vs. Parede • 22.Nov • 21h

Classificação

1º Benfica* (12 pontos), 2º Sporting (12), 3º Óquei de Barcelos* (12), 4º Porto (12), 5º Tomar (7), 6º Famalicense (7), 7º Juventude de Viana (6), 8º Braga* (6), 9º Riba d'Ave (6),10º Oliveirense (5), 11º Valongo* (3), 12º Paço de Arcos (3), 13º Parede** (1), 14º Murches (1)

*menos um jogo

**menos dois jogos

Partilhe

Facebook Twitter AddToAny
Outros artigos do dia
Mais portugueses, num evento importante para o crescimento

Mais portugueses, num evento importante para o crescimento

No rescaldo de uma Eurockey Cup que teve a maior representação lusa de sempre, os técnicos da prova mista concordaram na importância para o crescimento dos seus jogadores e das suas equipas, numa partilha que perdurará.

Supertaça é do Saint-Omer (para não variar)

Supertaça é do Saint-Omer (para não variar)

Cerca de mês e meio volvido sobre a 1ª mão, o Saint-Omer voltou a vencer o Quévert e assegurou (com goleada) a conquista da quarta Supertaça da sua história e todas as edições realizadas. Para o português Pedro Chambel é o 9º título em França.