Maliàn fecha a porta e abre janela à liderança do Porto

O Porto venceu o Benfica sem sofrer golos e 'dobra' a fase regular na liderança com as águias a um ponto e os leões, que venceram na Parede, a dois. Houve boas vitórias de Tomar, Famalicense e Murches e uma debacle do Paço de Arcos em Barcelos.

Maliàn fecha a porta e abre janela à liderança do Porto

Na derradeira jornada da primeira volta, o Porto assume a liderança do Campeonato PLACARD. Os campeões nacionais venceram o rival Benfica por 3-0, sendo a segunda vez para o campeonato que, às ordens de Nuno Resende, na sua segunda época à frente das águias, os encarnados acabam um jogo sem golos marcados. O outro foi também no Dragão Arena, no primeiro jogo da final do play-off da pretérita temporada.

Ao contrário desse jogo que abriu a série que ditaria o título para os azuis-e-brancos, não faltariam oportunidades para o Benfica, mas Xavi Maliàn protagonizou uma tremenda exibição.

Rafa marcou cedo, com pouco mais de um minuto cumprido, condicionando desde logo a estratégia das duas equipas. O Benfica, que fica desconfortável em desvantagem, teve de pressionar e ir atrás da igualdade, mas as oportunidades eram invariavelmente negadas pelo guarda-redes internacional espanhol de 33 anos.

Com público no Dragão Arena, o Benfica não vence como visitado desde 2014. E só evitou a derrota em 2018, num empate a sete.

Os encarnados não contaram com o guarda-redes Pedro Henriques, a cumprir o terceiro jogo de castigo, nem com Pablo Alvarez, o seu melhor marcador no campeonato, e a falta deste último notou-se de sobremaneira.

Os dragões ampliariam aos três minutos da segunda parte, com Carlo Di Benedetto a bater Bernardo Mendes, tornando ainda mais urgente um golo encarnado que não chegaria. E o 3-0, novamente pelo internacional francês, "mataria" o jogo a 11 minutos do fim.

Foi o terceiro duelo da época entre Porto e Benfica. Os dragões tinham vencido na decisão da Elite Cup e as águias levaram a melhor na Supertaça António Livramento.

A desvantagem no marcador pesava e - mesmo num ambiente "ameno", com o Dragão Arena longe da efervescência de outras partidas mais decisivas - as águias entregavam, de certa forma, o jogo. A espaços, Carlos Nicolia mostrava vontade de lutar até final, mas seria mesmo o Porto a ter mais oportunidades, valendo Bernardo para evitar o avolumar do resultado.

O Porto passa para a frente com um ponto de vantagem sobre as águias e dois sobre o Sporting, que venceu na Parede. É a garantia de uma segunda volta emotiva.

Tomar vence Valongo

Em Tomar, entre duas equipas que têm complicado a vida aos cinco mais endinheirados do Hóquei em Patins nacional, o Valongo somou a única derrota para além dos jogos com os ditos "três grandes", numa sólida exibição da equipa da casa para um dilatado 5-1.

Com oito vitórias consecutivas, o Valongo entrou a vencer com um tento de Carlos Ramos ("Carlitos") logo aos 16 segundos. A equipa de Edo Bosch teve oportunidade de ampliar, mormente num livre directo aos 13 minutos, mas António Marante fechou a porta.

O Tomar e António Marante sofreram apenas um golo do Valongo, algo que ainda ninguém conseguira nesta primeira volta. O Valongo ainda só perdera pontos frente aos ditos "três grandes".

O guarda-redes de 20 anos tomarense, elegível tal como o adversário "Xano" Edo para a selecção de Sub-23, e a equipa orientada por Nuno Lopes conseguiram o que ainda ninguém conseguira neste campeonato, sofrer um tento único dos valonguenses. A equipa-sensação da prova tinha marcado "apenas" dois frente ao Barcelos, mas arrecadara os três pontos, e, apesar das derrotas finais, marcara três a cada um dos "três grandes".

Com a baliza fechada, o Tomar virou o jogo com Guilherme Silva, que chegou em 2021 do Valongo, a igualar e uma tremenda eficácia de Tomás Moreira, que esteve nos escalões de formação dos valonguenses, de livre directo. O "sniper" tomarense consumou a reviravolta e, na segunda parte, já com os dois técnicos - expulsos ao intervalo - na bancada, carimbou o triunfo com mais dois "tiros" depois de Filipe Almeida ter sido oportuno para o 3-1. Com o resultado feito a oito minutos do fim, houve vários azuis, vários livres directos, mas mais nenhum golo.

Óquei de Barcelos "afunda" Paço de Arcos

Na luta pela manutenção, o Murches emerge como "vencedor" esta quarta-feira, ainda que continue abaixo da linha de água. A equipa de Hugo Lourenço, venceu o Braga por 2-0, com Bernardo Sousa a inaugurar aos quatro minutos da etapa complementar depois de uma primeira parte sem golos.

Os bracarenses foram atrás da igualdade, mas castigados com faltas e azuis e com o Murches bem fechado, veriam Zé Miranda assinar o segundo, de livre directo, a meio minuto do final.

A equipa do concelho de Cascais sobe ao 12º lugar e entrega a lanterna-vermelha a um Paço de Arcos que viajou até Barcelos, mas regressou com um resultado como se não tivesse ido...

O Murches venceu o Braga e entregou a lanterna-vermelha a um Paço de Arcos que "faltou" ao jogo em Barcelos.

Os barcelenses venceram por 10-0, resultado normalmente associado a uma falta de comparência, com a retumbante vitória a começar a ser construída cedo. Aos 11 minutos, a equipa de Paulo Freitas já vencia por quatro golos sem resposta, chegando aos seis antes do intervalo.

A etapa complementar começou com dois golos em cinco minutos e, em gestão, os barcelenses chegariam à dezena, selada com o único golo de bola parada da partida. Nas contas dos golos, destaque para Miguel Rocha, que passou pela formação do Paço de Arcos, com um hat-trick. Miguel Vieira e Dario Gimenez bisaram, marcando também Alvarinho, Luís Querido e Danilo Rampulla.

Com igual desfecho, mas números menos pesados, a Juventude de Viana, agora penúltima, perdeu na recepção ao Famalicense por 2-5.

Aos cinco minutos, a equipa de Jorge Ferreira vencia por 1-2 e não mais sairia da frente do marcador. Segurou a reacção vianense e, no arranque da segunda parte, Juanjo López foi eficaz de livre directo para o 3-1. Pouco depois Nuno Silva ampliava e complicava definitivamente a tarefa dos pupilos de Reinaldo Ventura.

A meio destes segundos 25 minutos, Hugo Costa marcava na sequência de uma grande penalidade e, apesar da Juventude de Viana procurar sempre reduzir, o tento logrado por Rúben Sousa seria manifestamente escasso para evitar a derrota.

Sporting e Oliveirense vencem fora

Fora de Portas, Sporting e Oliveirense somaram importantes três pontos em pistas complicadas.

No Parque das Tílias, na ressaca de um inesperado afastamento da Taça de Portugal, a Oliveirense, mesmo com o peso da revolução no plantel para a próxima temporada, venceu o Riba d'Ave por 0-2, com um golo de bola parada em cada parte. Tomás Pereira marcou de grande penalidade nos primeiros 25 minutos e Lucas Martinez foi eficaz de livre directo nos segundos.

Na Parede, o Sporting venceu por 3-5 com um resultado só "desembrulhado" nos derradeiros sete minutos. Em jogo de cambalhotas, os leões começaram a vencer, com golo de Ferran Font, mas dois jogadores que passaram pelos escalões de formação dos verde-e-brancos - Rafael Lourenço, ainda na primeira parte, e Zé Costa, já na segunda - viraram o resultado.

A resposta não tardou, com Toni Pérez a bisar para nova liderança leonina, mas o Parede não entregou o jogo e Zé Costa voltaria a igualar. No entanto, na recta final, João Souto e Gonzalo Romero resolveram a favor da equipa de Alejandro Dominguez.

O Parede, apesar da derrota e da igualdade pontual com o Famalicense, termina a primeira volta entre os oito primeiros, o que valeria um lugar na Taça 1947. Se houvesse Taça 1947...

Sem a prova que visava homenagear os primeiros campeões do Mundo e da Europa portugueses, a segunda volta arranca já no próximo fim-de-semana. O Dragão Arena recebe novo Clássico, desta feita com a visita do Sporting.

13ª jornada

Murches 2-0 Braga • 18.Jan

Porto 3-0 Benfica • 18.Jan

• Parede 3-5 Sporting • 18.Jan

Tomar 5-1 Valongo • 18.Jan

• Riba d'Ave 0-2 Oliveirense • 18.Jan

• Juventude de Viana 2-5 Famalicense • 18.Jan

Óquei de Barcelos 10-0 Paço de Arcos • 18.Jan

Classificação

= 1º Porto (34), 2º Benfica (33), 3º Sporting (32), 4º Óquei de Barcelos (29), 5º Valongo (27), 6º Oliveirense (21), 7º Tomar (20), 8º Parede (13), 9º Famalicense (13), 10º Riba d'Ave (12), 11º Braga (10), 12º Murches (8), 13º Juventude de Viana (7), 14º Paço de Arcos (6)

Partilhe

Facebook Twitter AddToAny
Outros artigos do dia
Dérbi entre Sporting e Benfica nos 'oitavos' da Taça

Dérbi entre Sporting e Benfica nos 'oitavos' da Taça

O sorteio dos oitavos-de-final da Taça de Portugal ditou um 'dérbi eterno' entre Sporting e Benfica. O Porto, detentor do troféu, joga na pista da Física, da II Divisão. No feminino, defrontam-se os últimos vencedores.

Europeu de Sub-23 em Paredes

Europeu de Sub-23 em Paredes

O Pavilhão Multiusos de Paredes volta a receber uma competição europeia, desta feita o novo Campeonato da Europa de Sub-23. Será a quinta organização do município nas últimas oito no Velho Continente, entre provas de clubes e de selecções.