Os gigantes também se abatem

O Valongo é o primeiro a derrotar o Barcelona esta época, depois de 29 vitórias, dois empates e dois troféus. E, na maior prova europeia, os valonguenses são apenas a sétima equipa de sempre (terceira lusa) a vencer os blaugrana como visitante.

Os gigantes também se abatem

A vitória do Valongo na pista do Barcelona esta quinta-feira foi a grande surpresa da penúltima jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões, mesmo que esta esteja a ser mais uma grande temporada da equipa orientada por Edo Bosch, recorde-se, vice-campeã europeia e detentora da Taça Continental.

Um Barcelona imbatível... até chegar o Valongo

É verdade que o Barcelona já garantira o primeiro lugar no grupo B e o respectivo apuramento para a Final Eight de Viana do Castelo. E também não contou com Matias Pascual, ausente desde a pausa para o Mundial por dupla fractura de tíbia e perónio, ou Sergi Llorca, lesionado no tornozelo direito.

E os pupilos de Edu Castro vinham de um empate a três na pista do Alcoi, mas tal pouco manchava uma temporada quase perfeita. Para a OK Liga, este foi o segundo empate, a que se somam apenas vitórias nos outros 20 jogos disputados, para uma liderança com 12 pontos de vantagem sobre o segundo classificado, o melhor ataque, com 129 golos marcados (mais 44 que o segundo melhor), e a melhor defesa, com apenas 34 golos sofridos (menos oito que a segunda menos batida).

A este percurso no campeonato, juntam-se outras vitórias que, inclusivamente, valeram títulos. Logo em Setembro, o Barcelona vencera Noia e Reus para conquistar a Supercopa. E, mais recentemente, no início de Março, vencendo Igualada, Reus e Liceo, a equipa de João Rodrigues e Hélder Nunes venceu a Taça do Rei.

É todo um domínio interno que "transbordava" para a Liga dos Campeões. Um pleno de quatro triunfos nas quatro primeiras jornadas da fase de grupos apuraram logo o Barcelona para a Final Eight, e como primeiro do grupo, deixando pouca "motivação" para as derradeiras duas partidas, frente aos candidatos ao segundo lugar, Valongo e Forte.

Esta quinta-feira, a fazer pela vida (leia-se, segundo lugar) o Valongo vencia por 0-3 a dois minutos do intervalo. Mas o Barcelona puxou dos galões, anulou a desvantagem a 13 minutos do fim e procurou a vitória. No entanto, a quatro minutos e meio do derradeiro apito, depois de Xano Edo ter negado oportunidade de livre directo a Ignacio Alabart, Facundo Navarro saiu disparado para enfrentar Sergi Fernandez, bisou no encontro e fez um 3-4 que seria definitivo.

O apito final selava aquela que seria apenas a oitava derrota de sempre do Barcelona como anfitrião na principal prova europeia, bandeira que - do alto de 22 conquistas em 56 edições concluídas - faz do gigante catalão a referência maior da modalidade.

Oito derrotas, sete carrascos

A primeira derrota aconteceu em 1975, na terceira final consecutiva dos catalães... e custou o título. Depois de terem reclamado os seus dois primeiros troféus, os blaugrana perderam por 4-6 com o Voltregà, que, depois de um empate no primeiro jogo de uma decisão a duas mãos, conquistavam a prova pela segunda vez.

O Barcelona só voltaria a perder em casa para a então Taça dos Campeões Europeus 13 anos depois, na recepção aos italianos do Hockey Novara (que seriam finalistas vencidos, frente ao Liceo), por 4-5. De resto, tirando a primeira derrota com o Voltregà, todos os outros "deslizes" foram tangenciais.

Em 2002, já com a prova como Liga Europeia, o Barcelona perderia frente ao Vic, por 2-3, voltando os "vigatans" a vencer seis anos depois, por igual resultado. Pelo meio, em 2005, outra derrota por 2-3, com a Oliveirense a tornar-se a primeira equipa portuguesa a conseguir "o" feito. Nas épocas destas três derrotas, os blaugrana até venceriam o título em 2001/02 (numa decisão no Minho como este ano, mas em Guimarães) e 2004/05.

Em Dezembro de 2015, o Porto triunfar no Palau Blaugrana, vencendo por 1-2, e tornava-se a segunda equipa portuguesa a consegui-lo. E, até o Valongo se tornar, esta quinta-feira, a terceira, o Barcelona só sofreria uma outra derrota em casa. Foi nos quartos-de-final de 2017/18, num 3-4 com os italianos do Forte, o próximo adversário, a ser um valente susto. Os blaugrana tinham vencido na primeira mão por 1-3...

O Valongo junta-se assim a Voltregà, Hockey Novara, Vic, Oliveirense, Porto e Forte num restrito grupo que venceram o Barcelona como visitantes

AMGRoller Compozito

Partilhe

Facebook Twitter AddToAny
Outros artigos do dia
Paço de Arcos vence na abertura da 23ª jornada

Paço de Arcos vence na abertura da 23ª jornada

Virando de 0-2 para 3-2, o Paço de Arcos venceu o Parede na abertura da 23ª jornada e escapou, para já, à descida matemática. O Paço de Arcos deixa o último lugar, à condição, mantém viva uma muito ténue esperança e complica a vida ao 'vizinho'.

Braga na Final Four da Taça WSE

Braga na Final Four da Taça WSE

O Braga venceu o Igualada e está na Final Four da Taça WSE. Com uma vitória por 5-3 no final do tempo regulamentar da segunda mão, com hat-trick de Vítor Hugo, ficou tudo empatado. Um tiro de Meira desequilibrou para os bracarenses no tempo extra.

Mais uma oportunidade perdida

Mais uma oportunidade perdida

Esta é uma visão do futuro próximo. Acontece uma Assembleia-Geral da FPP, um momento que devia ser fulcral na partilha de visões, de ideias, de salto qualitativo. Mas, na inércia dos participantes, meros espectadores, nada mudará.

Pedro Alves dos Santos