Três jogos de 'aquecimento', um para limar arestas e dois a valer

Por Pedro Alves dos Santos

O novo modelo do Campeonato da Europa, com duas 'divisões', promove embates na primeira fase entre equipas mais niveladas. Mas, contando os primeiros três dias para pouco (ou nada), que abordagem competitiva das equipas se poderá esperar?

Três jogos de 'aquecimento', um para limar arestas e dois a valer

Todos os jogos são para encarar da mesma maneira, todos os jogos são para ganhar. Será certamente o que se poderá ouvir a qualquer seleccionador de qualquer uma das oito equipas presentes no Campeonato da Europa que decorre desta segunda-feira, 17 de Julho, até dia 22, em Sant Sadurní d'Anoia, na Catalunha. Mas há, inquestionavelmente, jogos que valem mais do que outros...

Este 55º Europeu traz um novo modelo, de certa forma preconizado nas goleadas do Europeu de 2018, na Corunha. Haverá uma primeira fase com uma espécie de primeira divisão (Grupo A) e segunda divisão (Grupo B), sendo as equipas divididas mediante a classificação do último campeonato. Espanha e França, campeão e vice-campeão, e Itália e Portugal, terceiros "ex aequo", ficam no grupo A. Andorra e Alemanha, 5º e 6º, e Inglaterra e Suíça, que não participaram, ficam no grupo B.

Campeonato da Europa arranca esta segunda-feira com jogos grandes entre Portugal e Itália e entre Espanha e França.

No papel, é claro que concentrar Portugal, Espanha, Itália e França num mesmo grupo garante, à partida, seis bons jogos nos primeiros três dias. Mas tendo estes pouca relevância para a classificação final, qual será a predisposição competitiva que jogadores e seleccionadores, depois de uma longa temporada, quererão colocar antes de - após os quartos-de-final, de cruzamento com o grupo B - dois jogos, esses sim, verdadeiramente decisivos?

A primeira fase servirá "apenas" para alinhar os confrontos dos quartos-de-final, cruzando os mais bem classificados do grupo A com os mais mal classificados do grupo B, e vice-versa. Vingando a lógica, que poucas vezes falha no Hóquei em Patins de selecções, as quatro formações do grupo A vencerão e voltarão a defrontar-se nas meias-finais. Nesse cenário, jogaria o 1º contra o 4º e o 2º contra o 3º da classificação da primeira fase. Só aqui se encontrará um motivo para "dar mais" na primeira fase. Mas, no equilíbrio dos embates recentes entre as quatro selecções, será isso suficiente?

Uma longa temporada

É importante não isolar esta competição do panorama da temporada. Em Portugal, a época acabou há cerca de um mês, mas os jogos oficiais arrancaram a 2 de Setembro, na Elite Cup, com a preparação de muitas equipas a começar quase um mês antes. O Europeu arranca 318 dias depois.

Houve três jogos na Elite Cup, 26 jornadas da fase regular e cerca de mais uma dezena no play-off, um punhado na Taça de Portugal, mais uma dezena na Liga dos Campeões e ainda houve Campeonato do Mundo, na distante Argentina, pelo meio.

Os jogadores chegam ao Europeu no epílogo de uma temporada muito longa e já com a nova temporada a bater à porta, sendo que muitas equipas arrancam no início de Agosto. Na importância dos dois jogos finais, impõe-se uma clara gestão de esforço.

As "outras"

Em jogo num Europeu, está mais do que o título de campeão. Está a possibilidade de levar o impacto da modalidade aos países ditos "periféricos", que não os históricos que organizavam a Taça Latina entre si. Mas a possibilidade vai-se perdendo edição após edição, e esta não será excepção. Pelo contrário.

Por exemplo, Andorra, com o português Tiago Barros, defrontará Alemanha, Suíça e Inglaterra. Medirá depois forças com um dos "tubarões" nos quartos-de-final e, previsivelmente, voltará a defrontar Alemanha, Suíça ou Inglaterra nos dois jogos restantes para a definição da classificação final. Ou seja, em principio, terá apenas um jogo em seis com um dos "históricos". Mantendo-se a estrutura deste Europeu e dos últimos mundiais, que também preconiza "divisões", será um singelo jogo a cada dois anos.

No último Europeu, Andorra defrontou Espanha, Alemanha, França, Itália, Portugal e, para definir o seu 5º lugar final, novamente a Alemanha. Sofreu pesadas derrotas? Sim. Mas houve várias oportunidades para defrontar referências maiores da modalidade, mostrar que a quem possa querer entrar no Hóquei em Patins que é possível chegar ao palco dos maiores e medir forças com eles.

Não há modelos perfeitos e, desde logo com o custo de marginalizar as selecções periféricas, o modelo agora preconizado promove mais jogos de alto nível. Mas, a prática, o objectivo de conquistar o Europeu, não se compadecerá com a teoria. Quem pensar o contrário, é ingénuo. Ou um incurável romântico.

Campeonato da Europa 2023 - Grupo A

• Portugal vs. Itália • 17.Jul, 18h30

• Espanha vs. França • 17.Jul, 21h

• Espanha vs. Portugal • 18.Jul, 18h30

• Itália vs. França • 18.Jul, 21h

• Portugal vs. França • 19.Jul, 18h30

• Itália vs. Espanha • 19.Jul, 21h

*horas locais, menos uma hora em Portugal continental

Campeonato da Europa 2023 - Grupo B

• Suíça vs. Inglaterra • 17.Jul, 13h30

• Andorra vs. Alemanha • 17.Jul, 16h

• Andorra vs. Suíça • 18.Jul, 13h30

• Inglaterra vs. Alemanha • 18.Jul, 16h

• Suíça vs. Alemanha • 19.Jul, 13h30

• Inglaterra vs. Andorra • 19.Jul, 16h

*horas locais, menos uma hora em Portugal continental

Campeonato da Europa 2023 - Fase final

• QF1 • 4º Grupo A vs. 1º Grupo B • 20.Jul, 13h30

• QF2 • 3º Grupo A vs. 2º Grupo B • 20.Jul, 16h

• QF3 • 2º Grupo A vs. 3º Grupo B • 20.Jul, 18h30

• QF4 • 1º Grupo A vs. 4º Grupo B • 20.Jul, 21h

• LF1 • Vencido QF3 vs. Vencido QF2 • 21.Jul, 13h30

• LF2 • Vencido QF4 vs. Vencido QF1 • 21.Jul, 16h

• MF1 • Vencedor QF3 vs. Vencedor QF2 • 21.Jul, 18h30

• MF2 •Vencedor QF4 vs. Vencedor QF1 • 21.Jul, 21h

• 7º e 8º • Vencido MF2 vs. Vencido MF1 • 22.Jul, 13h30

• 5º e 6º • Vencedor MF2 vs. Vencedor MF1 • 22.Jul, 16h

• 3º e 4º • Vencido MF2 vs. Vencido MF1 • 22.Jul, 18h30

• Final • Vencedor MF2 vs. Vencedor MF1 • 22.Jul, 21h45

*horas locais, menos uma hora em Portugal continental

AMGRoller Compozito

Partilhe

Facebook Twitter AddToAny