Sporting vence Benfica na Champions

O Sporting fez esquecer, da melhor maneira, o empate com o Calafell para a Champions League, vencendo o Benfica por 7-6. Os leões assumem a liderança do Grupo B no fecho da primeira volta da fase de grupos da prova máxima europeia.

Sporting vence Benfica na Champions

O Sporting recebeu e venceu por 7-6, esta quarta-feira, o Benfica em jogo em atraso da 2ª jornada do Grupo B da fase de grupos da Champions League. Depois de um empate caseiro frente ao Calafell, os leões redimem-se e terminam a primeira volta na liderança do Grupo B.

Com Rafa Bessa e Pol Manrubia fora dos convocados, o dérbi lisboeta para a Champions começou com Pablo Álvarez titular no regresso ao João Rocha depois de ali se ter lesionado com alguma gravidade em 11 de Junho último, no jogo 2 da final do play-off. E os encarnados entraram melhor, num início de jogo com muitas queixas, de parte a parte, em lances longe da bola.

Nil Roca marcou o primeiro de 13 golos que o dérbi teve. É preciso recuar até 2013 para ver mais golos num duelo oficial entre os
Nil Roca marcou o primeiro de 13 golos que o dérbi teve. É preciso recuar até 2013 para ver mais golos num duelo oficial entre os "eternos rivais".

Com pouco mais de quatro minutos cumpridos, Nil Roca trabalhou bem na zona frontal e rematou rasteiro de meia distância para o tento inaugural. O Benfica tinha algum ascendente, num jogo vivo, mas veria o Sporting igualar.

Depois de assinalada uma grande penalidade, Pedro Henriques viu o azul e, apesar de Bernardo Mendes ter defendido o castigo máximo de Gonzalo Romero, Ferran Font marcou aos nove minutos, num remate forte, a poucos segundos do fim da superioridade numérica, já com o pavilhão "inundado" de fumo de engenhos pirotécnicos.

Como D. Sebastião entre o nevoeiro, Ferran Font igualou. O Sporting aproveitou a única superioridade numérica que teve, ao passo que o Benfica desperdiçou duas.
Como D. Sebastião entre o nevoeiro, Ferran Font igualou. O Sporting aproveitou a única superioridade numérica que teve, ao passo que o Benfica desperdiçou duas.

O Benfica reagiria bem e ia somando oportunidades, mas seria traído pelo fortíssimo remate de Romero, a oito minutos do intervalo, para o 2-1. Sem se desorganizarem, dois minutos depois, as águias igualavam, com Nicolia a transformar na recarga a um livre directo após azul a Alessandro Verona.

Ao ritmo vivo da primeira parte, faltariam mais golos. No ritmo louco da segunda, não.

Logo no primeiro minuto após o reatamento, Roberto Di Benedetto rematou colocado para o 2-3. Souto respondeu de pronto com o 3-3 e, aos dois minutos e meio, Roca, novamente com a defensiva leonina a facilitar na zona frontal, voltava a colocar as águias na frente.

Jogo foi marcado por algumas picardias, muitas delas longe da bola.
Jogo foi marcado por algumas picardias, muitas delas longe da bola.

Pouco depois, Ferran Font - que, recorrentemente, se vai "perdendo" em picardias - veria o azul por uma stickada ostensiva em Gonçalo Pinto, mas sem direito a livre directo (houvera uma outra falta antes) nem a aproveitamento da superioridade numérica pela equipa de Nuno Resende. No passar dos minutos, o Benfica parecia acomodar-se à vantagem tangencial. E permitiria a reviravolta.

Aos 10 minutos, Gonzalo Romero voltou a puxar a culatra para mais um tiro fortíssimo e nova igualdade e, logo de seguido, com a defensiva encarnada a ver, Matías Platero fazia o 5-4 numa segunda bola. Os encarnados despertavam e reagiam, voltando a ter mais bola, e chegariam à igualdade, com o regressado à pista Gonçalo Pinto a marcar.

Gonzalo Romero assinou um hat-trick.
Gonzalo Romero assinou um hat-trick.

Nuno Resende apostava numa maior posse de bola, Alejandro em ataques mais curtos, com acelerações para desequilibrar. Nos condimentos da partida, ambas as equipas chegavam à nona falta no 41º minuto. No culminar desse minuto, Romero teve um dos tais arranques desequilibradores e ganhou uma grande penalidade que se encarregou de tentar transformar. Pedro Henriques defendeu o remate e a recarga, mas, em nova bola parada, na 10ª falta encarnada menos de um minuto volvido, João Souto marcaria de livre directo para o 6-5.

A 10ª falta leonina não tardou, mas Carlos Nicolia não conseguiu bater Girão. E, praticamente na resposta, "Nolito" Romero ganhou em velocidade e bateu Pedro Henriques para o 7-5. Era a primeira vantagem de dois golos no jogo, e seria decisiva.

Matías Platero assinou o 5-4, num minuto em que o Benfica permitiu dois golos.
Matías Platero assinou o 5-4, num minuto em que o Benfica permitiu dois golos.

A cinco minutos do final, Lucas Ordoñez foi imune à tentativa de desconcentração pelo arremesso de um objecto para a pista (estaria a disciplina federativa a esfregar as mãos de contente até se lembrar que o jogo era de Champions) e reduziu de grande penalidade, mas não haveria mais golos. Ainda que não faltassem oportunidades.

Num outro castigo máximo, Gonzalo Romero atirou ao poste e Ordoñez não fez melhor de livre directo, com boa defesa de Girão, depois de Ferran Font - na aura que vai grangeando - ter visto novo azul. Na superioridade numérica, que dispôs até 20 segundos do fim, o Benfica ainda celebrou golo - com Pedro Henriques até a perder a luva no festejo, correndo Nuno Resende para a recuperar - mas não seria validado. E, no pouco tempo que restava, não arriscou atacar a cinco. Estava escrito o 7-6 final. Desde 2013, então com vitória das águias por 10-4, que não havia tantos golos num "dérbi eterno" oficial.

Benfica
Benfica "carregou" - sem sucesso - nos instantes finais de um jogo em que teve mais posse de bola.

Depois de duelos para a Elite Cup, com vitória encarnada por 4-3, e para o campeonato, com vitória verde-e-branca por 3-2, antes deste confronto de Champions, os velhos rivais voltarão a encontrar-se a 8 de fevereiro na Luz para a Champions League e defrontam-se no mesmo palco três dias depois para o campeonato Placard.

Antes, para a Champions League, há 4ª jornada da fase de grupos a 25 de Janeiro, com ambas as equipas a jogarem na Catalunha. O Sporting joga em Calafell e o Benfica defronta o Reus.

Grupo A

• Liceo vs. Forte • 25.Jan, 20h30

• Óquei de Barcelos vs. Barcelona • 25.Jan, 21h

Classificação: 1º Barcelona (9), 2º Óquei de Barcelos (6), 3º Forte (3), 4º Liceo (0)

Grupo B

Sporting 7-6 Benfica • 17.Jan

• Calafell vs. Sporting • 25.Jan, 20h30

• Reus vs. Benfica • 25.Jan, 21h

Classificação: 1º Sporting (7), 2º Benfica (6), 3º Calafell (4), 4º Reus (0)

Grupo C

• Porto vs. Lleida • 25.Jan, 20h

• Tomar vs. Trissino • 25.Jan, 21h

Classificação: 1º Porto (6), 2º Trissino (6), 3º Tomar (4), 4º Lleida (1)

Grupo D

• Saint-Omer vs. Valongo • 25.Jan, 20h

• Oliveirense vs. Lodi • 25.Jan, 21h

Classificação: 1º Oliveirense (9), 2º Valongo (4), 3º Saint-Omer (3), 4º Lodi (1)

Horário das partidas na hora local.

AMGRoller

Partilhe

Facebook Twitter AddToAny
Outros artigos do dia
Murches abre 14ª jornada com 'vingança'

Murches abre 14ª jornada com 'vingança'

No arranque antecipado da 14ª jornada, primeira da segunda volta, o Murches vingou a derrota da ronda inaugural e venceu o Óquei de Barcelos por expressivos 8-3. Tomás Moreira, letal de livre directo, assinou quatro golos.