Europeu '14

Paulo Pereira e a segunda jornada do Europeu

Jul 17, 2014

A segunda jornada confirmou as selecções teoricamente favoritas. No entanto, se Portugal venceu a Suíça com relativa facilidade, Espanha e Itália tiveram missões mais complicadas.

A Espanha – sem Jordi Bargalló – venceu a França por 7-2 mas a diferença não espelha as dificuldades sentidas pela equipa de Quim Paüls. A cinco minutos do fim, a França por Carlo Di Benedetto desperdiçou um livre directo em que poderia ter reduzido para 4-3 e a Espanha marcou três golos nos últimos quatro minutos.

Jordi Bargalló esteve ausente devido à morte da mãe. No pavilhão foi cumprido um minuto de silêncio e a selecção espanhola jogou com fumos negros.

Em Alcobendas, o treinador campeão nacional português é espectador atento. Ao HóqueiPT, Paulo Pereira viu uma Espanha muito forte. “Vi a Espanha que estava à espera. Sabia que a Espanha é fortíssima mas, jogando em casa, são poderosos. Têm uma excelente em equipa. A nível individual têm jogadores que são muito fortes e colectivamente são muito regulares e cometem poucas falhas”, analisou. “Resultado disso são hoje cinco golos de diferença e sem dúvida que a Espanha foi muito mais forte do que a França”, sublinhou.

A maioria dos adeptos acredita que a decisão deverá passar pelo último jogo, entre Portugal e Espanha. E Paulo Pereira concorda. “Acho que vai ser um grande duelo. São as duas melhores equipas que estão neste campeonato da Europa”, frisou.

Pedro Gil bisou no espaço de 15 segundos.

Depois da derrota por 1-3 frente a Portugal, a França voltou a fazer um bom jogo, surpreendendo o treinador do Valongo. “Para mim, a França está a ser uma grande surpresa. Tem excelentes jogadores, tecnicamente muito bons, tacticamente não estão à toa dentro do rinque, sabem o que estão a fazer em campo. Gosto muito”, afirmou, continuando a sua análise. “Tem jogadores muito interessantes e estão a evoluir muito. É uma equipa com atletas muito jovens, uma equipa que tem muito ainda para evoluir e ainda bem que estão aparecer estas equipas para podermos divulgar ainda mais a nossa modalidade”, congratulou-se.

Alemães à beira da surpresa

No primeiro jogo do dia, a Alemanha esteve a segundos de concretizar a primeira grande surpresa do Europeu. A vencer por 2-0, os germânicos viram a Itália concretizar a reviravolta apenas nos instantes finais para um 2-3 sofrido. A Alemanha é o próximo adversário de Portugal e Paulo Pereira não acredita em facilidades.

“Não tem havido jogos fáceis e agora depende das equipas torná-los fáceis ou não. Acho que Portugal está muito ansioso, está a querer marcar muitos golos mas sem grande eficácia, sem grande critério em termos ofensivos e isso esta a prejudica Portugal”, explicou. “Amanhã vai ser um jogo complicado. Os alemães vêm de uma derrota mas a Alemanha foi muito superior à Itália e só perdeu em pormenores, com um livre directo a oito segundos do fim. O vencedor devia ter sido a Alemanha, criou muitas oportunidades e foi a melhor equipa dentro do rinque”, esclareceu.

“Portugal vai ter algumas dificuldades na parte inicial mas, com a qualidade dos jogadores portugueses, não tenho dúvidas de que vamos ganhar. Mas espero que Portugal não esteja tão ansioso como tem estado até aqui. Acho que o Europeu não se vai decidir nos golos sofridos e marcados, vai-se decidir no grande jogo de sábado à noite em que Portugal tem de ganhar e é nisso que os jogadores têm que pensar”, concluiu.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade