Notícia

Golo de ouro colocou Reus nas 'meias'

Feb 25, 2017

O Reus estava avisado e só em golo de ouro conseguiu ultrapassar o Alcobendas.

Uma semana antes da Copa, o Reus visitou Alcobendas para a OK Liga e só chegou ao golo nos derradeiros quatro minutos. Agora, para a Copa del Rey, Marc Torra adiantou os rojinegros logo aos oito minutos. Mas a vantagem "reusence" não durou... Um minuto volvido sobre o golo de Torra, Gonzalo Perez restabeleceu a igualdade de grande penalidade, um pouco contra a corrente do jogo.

Gonzalo Perez bisou

O Reus controlava as operações e justificava a vantagem que chegaria aos 11 minutos. Raul Marin faria o 2-1 na cobrança de um livre indirecto a surpreender a equipa do Alcobendas, que ainda se recompunha defensivamente após limpeza de máscara do guarda-redes. Pouco depois, Keko Iglesias lançava Gonçalo Nunes para tentar bater o compatriota Pedro Henriques.

Marc Torra foi determinante a marcar e a dar a marcar

Mas ainda antes do Alcobendas assentar o seu jogo, Marc Torra desequilibrou em dois ataques rápidos. O atacante que na temporada passada representou o Benfica fez o 3-1 e pouco depois assistiu Aleix Rodriguez para o 4-1. Com o Alcobendas a evitar males maiores, Mario Martinez reduziu sobre o intervalo para 4-2.

O tento a dois segundos do descanso foi o mote para a segunda parte.

Aos três minutos e meio, Marcos Lopez reduzia para a diferença mínima e, pese Pedro Henriques ainda ter defendido um livre directo depois de um azul a Casanovas, o Alcobendas chegaria à igualdade aos seis minutos e meio, com Gonzalo Perez - irmão do "liceale" Toni Perez - a bisar, numa jogada inteligente a usar o patim de Marc Torra como tabela.

Raul Marín reagiu aos apupos da bancada

O (numeroso) público afecto à equipa da casa exultava com a recuperação... e irritava Raul Marin. Aos 10 minutos, o capitão do Reus não perdoou no livre directo relativo à 10ª falta dos madrilenos e, menos de um minuto depois, servia o argentino Matías Platero para o 6-4.

Os dois golos foram um rude golpe nas aspirações dos organizadores desta Final Four, mas não os derrubaram. Marco Lopez reduziu para 6-5 e Gonçalo Nunes, num forte remate cruzado, restabelecia novamente a igualdade.

Gonçalo Nunes apontou o 6-6

E, ainda com largos nove minutos para jogar, foi mesmo o Alcobendas que esteve mais perto do golo. Por duas vezes, em dois livres directos, Pedro Henriques mostrou o porquê dos rasgados elogios que merece nas bolas paradas. Negou o golo a Gonzalo Perez a três minutos do final e, já nos derradeiros dois, depois de Marin ver o azul - que já merecia por inúmeras picardias -, defendeu de forma espectacular a tentativa de picadinha de Gonçalo Nunes, em que Keko Iglesias não teve medo de apostar para um momento decisivo pese os seus tenros 18 anos.

Pedro Henriques evitou que o Reus ficasse em desvantagem na recta final da partida

Em vantagem numérica até ao final do tempo regulamentar, o Alcobendas não conseguiu aproveitar e o jogo seguiu para prolongamento. Aí, ao cabo de apenas minuto e meio, o campeão do Mundo Matías Platero insistiu e decidiu a partida a favor do Reus, com um 7-6 pintado a ouro.

Após o final da partida, Keko Iglesias elogiou o "coração" da sua equipa e a excelente propaganda para o hóquei madrileno que foi esta partida decidida no prolongamento.

Do lado do Reus, Pedro Henriques - em exclusivo para o HóqueiPT - e Albert Casanovas e Enrico Mariotti - em conferência de imprensa - analisaram a partida e as dificuldades sentidas, mas esperadas, frente ao anfitrião desta Copa.

O Reus defronta nas meias-finais o Vic, este sábado, a partir das 19h locais.

Provas relacionadas

Copa del Rey
Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade