Notícia

Xanoca com um ano de 'suspensão'... quase a terminar

May 04, 2018

Alexandre Marques ("Xanoca"), do Sporting de Tomar, foi punido com pena efectiva de um ano de suspensão de toda a actividade desportiva na sequência do processo disciplinar 2163/2017. No entanto, o cumprimento da pena foi dado como iniciado a 30 de Junho do ano passado, ficando o jogador já disponível para o arranque da próxima temporada.

O processo reporta a três incumprimentos no âmbito do sistema de informação sobre a localização dos praticantes desportivos, em que os jogadores que estão no "radar" das selecções nacionais devem comunicar a sua localização, para eventual controlo antidopagem, no trimestre que se segue.

Por ausência de comunicação, em 2012, Ricardo Oliveira ("Caio") foi suspenso por sete meses e João Silva ("Janeka") por 15.

O jogador terá incumprido nos quarto trimestre de 2016 e primeiro e terceiro de 2017, quando ainda se encontrava ao serviço do Turquel, não por ter falhado o envio de informação, mas por ter enviado os formulários em formato não aceite, constituindo ainda assim violação de normas antidopagem.

A Federação de Patinagem de Portugal propôs pena de mera advertência, mas o Conselho Disciplinar seguiu o parecer prévio do Conselho Nacional Antidopagem e aplicou a pena de um ano, por conduta "praticada a título de negligência".

Jogar durante (o que viria a ser) a suspensão

O parecer prévio do Conselho Nacional - recepcionado pela FPP a 27 de Abril - remete o início do cumprimento da pena para 30 de Junho de 2017, numa rectroactividade entendida como benéfica para o jogador. Mas se, de facto, Xanoca estará "livre" daqui a menos de dois meses, isso também significa que (a maior) parte da suspensão foi cumprida a jogar.

O ponto 1 do artigo 70º da Lei nº 38/2012 - que aprova a lei antidopagem no desporto - é claro: "Quem tenha sido objecto da aplicação de uma pena de suspensão não pode, durante o período de vigência da mesma, participar em que qualidade for, numa competição ou evento desportivo". Algo que, por falta de qualquer indicação impeditiva ou suspensão preventiva, acaba neste caso por se tornar violação "a posteriori", com o parecer do CNAD - aceite pelo Conselho de Disciplina - a ignorar a competição decorrida entretanto...

Retroagindo a 2017, conforme parecer do CNAD, o Conselho de Disciplina declarou como de suspensão período em que Xanoca jogou.

Poderá tal, à semelhança do que aconteceu na pretérita temporada com o Riba d'Ave - num caso entregue ao Tribunal Arbitral do Desporto -, dar azo a protestos dos clubes que defrontaram o Tomar entretanto? O clube nabantino revela-se tranquilo, dado que nunca recebeu qualquer comunicação sobre o caso e os incumprimentos até reportam a uma altura em que o jogador estava ligado ao Turquel...

Ausente na Taça

Xanoca, de 23 anos, é internacional português e esteve, por exemplo, na conquista do Mundial de Sub-20 em 2013 e na conquista da Taça Latina em 2016.

Chegou Tomar no último defeso, e, apesar de uma lesão arreliadora, impôs-se como elemento desequilibrador na equipa de Nuno Domingues, e o clube nabantino já chegou a acordo com o jogador para a próxima temporada.

Xanoca vai falhar cinco jogos do Campeonato e a Final Four da Taça.

O Tomar está novamente a realizar um excelente campeonato e já garantiu, pelo segundo ano consecutivo, a presença na Final Four da Taça de Portugal. Mas Nuno Domingues - que está de saída no fim da temporada - não poderá contar com Xanoca...

Documentos relacionados

Decisão do processo 2163/2017 - FPP
Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade