Notícia

Águias à conquista da Europa

Sep 10, 2014

O Benfica apresentou esta terça-feira a sua equipa feminina à comunicação social.

Depois de uma época em que conquistaram as quatro provas em que estiveram envolvidas - Torneio de Abertura da APL, Supertaça, Campeonato Nacional e Taça de Portugal -, as encarnadas têm esta época o desafio adicional da Liga Europeia.

Para o vice-presidente das modalidades, Domingos Almeida Lima, esta equipa é especial. “Tem a particularidade de ser a equipa mais ganhadora do Sport Lisboa e Benfica, por isso tem uma responsabilidade acrescida em relação a todas as outras”, especificou, dando o mote para a época que se avizinha. “Primeiro é ganhar, o que vem a seguir é ganhar e o terceiro é ganhar também”, afirmou.

Reforços

Para atacar as três competições, o Benfica assegurou os serviços de três atletas. Ana Santos e Sofia Vicente vêm da Stuart, enquanto Marlene Sousa vem da Sanjoanense. O treinador Paulo Almeida procurou equilibrar a equipa. “Reforcei o plantel com uma guarda-redes, uma avançada e uma defesa para ter um plantel muito mais equilibrado porque as exigências vão ser muito maiores”, referiu.

Os reforços Sofia Vicente, Ana Santos e Marlene Sousa

A Liga Europeia no topo do bolo

Sem descurar as competições nacionais – “não há hipótese, temos mesmo de ganhar”, declarou Paulo Almeida – a maior motivação para esta época é uma participação inédita na Liga Europeia feminina, ainda que, se chegarem á final, as encarnadas realizem apenas quatro jogos na competição. “Gostaria que este grupo de trabalho fizesse pelo menos uma eliminatória antes de apanhar o Voltregà mas o sorteio foi assim…”, lamentou o treinador das encarnadas.

A capitã Sofia Cabrita não teme as espanholas e aponta à Final Four. “O Benfica quando joga, joga para ganhar e sem dúvida que vamos entrar nas competições europeias para fazer o nosso melhor e chegarmos o mais longe possível. Vamos tentar chegar à Final Four e depois logo se vê”, ambicionou, acreditando no trabalho do grupo. “Vamos entrar um pouco apreensivas porque vamos jogar, para já com uma equipa desconhecida, mas eu acredito plenamente no trabalho que vamos fazer”, ressalvou. “A equipa técnica também tem ajudado a preparar da melhor maneira o primeiro jogo, que vai ser um jogo muito forte, nas competições europeias e acredito plenamente no trabalho deste grupo”, reiterou. “Estou confiante”, concluiu.

A capitã Sofia Cabrita e o treinador Paulo Almeida

As jogadoras no Mundial feminino

A 6 de Outubro tem inicio o primeiro estágio final da Selecção Nacional tendo em vista o Mundial. Convocadas para o estágio – que inclui 13 atletas - estão sete atletas encarnadas, deixando apenas três para preparar a nova época. “É bom para o Benfica”, referiu no entanto Paulo Almeida, orgulhoso das suas atletas. “Para o Benfica é óptimo, é sinal que o Benfica sabe escolher, é sinal que o Benfica tem jogadoras de Selecção Nacional. Que lutem para ficar as sete na Selecção Nacional. Era histórico também para o Benfica”, admitiu.

A participação no Mundial pode também ajudar a objectivo da Liga Europeia. “Vai ajudar. Eu já lhes disse. Quem for, se forem as sete, que analisem as jogadoras espanholas que pertencem ao Voltregà. Ver vídeos só, não chega”, sublinhou.

O consolidar de um projecto

José Trindade, presidente da secção de hóquei em patins do Benfica, é a face de um projecto vencedor. “Quando o Benfica entrou no projecto do hóquei feminino, entrou com enorme vontade de ter resultados muito positivos. No primeiro ano - sabíamos que era um ano zero, uma nova experiência -, precisávamos de aferir processos e aferir com a equipa técnica o desempenho da equipa. Superámos as expectativas e fomos campeões nacionais. O ano passado já foi um ano de consolidação e penso que este ano é mais um passo em frente na consolidação do hóquei feminino”, analisou.

José Trindade

Entretanto começam a surgir mais jovens atletas do sexo feminino na iniciação. “É importante termos uma equipa de seniores femininos que é uma equipa vencedora e que cria ídolos nas cabeças de várias crianças de seis, sete anos e que são potencias atletas do Benfica. O nosso objectivo é aumentar essa base para no futuro poder ter atletas que nasçam da formação do Benfica em todas as equipas. É esse o trabalho que estamos a desenvolver”, revelou.

Para já, a actual equipa dá garantias de futuro. “Temos aqui uma equipa de uma média etária muito baixa, que dá garantia de vários anos de consolidação do trabalho e do desenvolvimento do projecto. É isso que vamos continuar a fazer e o nosso sonho é ser campeão da Liga Europeia. Não o escondemos”, confirmou.

A dificuldade de reunir apoios

A participação na Liga Europeia acarreta custos adicionais para os quais os patrocínios não terão sido suficientes. “A direcção do Benfica fez um esforço adicional tendo em conta o respeito que tem por este grupo, pelas vitórias que tem tido”, confidenciou Almeida Lima. “É um peso que vamos acarretar porque esta equipa merece e tem todo o direito de ter esta experiência. Mas confiamos que a experiência delas seja bem sucedida e seja a alavancagem para outra experiência já com outros patrocínios mais sólidos”, desejou.

Domingos Almeida Lima

Equipas relacionadas

SL Benfica
Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade