Notícia

Decidido na segunda parte

Jul 17, 2018

Portugal venceu esta segunda-feira a Suíça por 7-1, num jogo em que controlou por completo, mas em que a falta de eficácia da primeira parte adiou a definição do vencedor.

Em 2016, na caminhada para o título europeu, Portugal vencera a Suíça na fase de grupos e nas meias-finais pelo mesmo resultado de 8-0 e agora, quando, aos sete minutos e meio, João Rodrigues fez o segundo, tudo parecia encaminhar-se para um resultado idêntico.

Gonçalo Alves inaugurou o marcador

No entanto, as dificuldades na concretização perante Guillaume Oberson já tinha ficado patentes nos minutos antes. Portugal entrou forte, mas desperdiçou uma grande penalidade (Gonçalo Alves) e um livre directo (Hélder Nunes). O golo inaugural chegaria, por Gonçalo Alves, mas apenas na vantagem numérica em pista, depois do azul a Nino Wyss e de Pascal Kissling, a referência helvética, ter segurado a posse de bola enquanto pôde.

Portugal esteve sempre bem defensivamente, mas, na primeira parte, pecou na concretização

Pouco depois do 2-0, Alejandro Rodríguez pediu um desconto de tempo que teve o condão de quebrar a boa fase lusa e de unir a Suíça numa defesa cerrada e eficiente.

Luís Sénica lançou Rafa em jogo para procurar desequilibrar a sólida defensiva contrária, mas, ao contrário do que torna o queijo famoso, não havia buracos na muralha suíça. Com o passar dos minutos, a selecção das quinas foi apostando mais nos remates de meia distância que, a maioria das vezes, "morriam" na floresta de canelas, ainda antes de importunar Oberson.

Gian Rettenmund festejou efusivamente o seu golo, o primeiro sofrido por Portugal neste Europeu (só a França, com apenas um jogo realizado, ainda não sofreu golos)

A dois minutos e meio do intervalo, Rafa viu o azul e Gian Rettenmund assumiu a marcação do livre directo. Franzino, mas com boa técnica, Gian ganhou o duelo com Ângelo Girão, dono da baliza portuguesa neste encontro, marcando com elevada nota artística. E, sem nada o fazer prever, a diferença no marcador ficava reduzida ao mínimo, chegando-se assim ao intervalo depois de mais uma bola parada (uma grande penalidade) desperdiçada, desta feita por João Rodrigues.

João Rodrigues desfez dúvidas, com três golos em três minutos

Os suíços regressaram com natural motivação dos balneários, mas Portugal não demorou a sentenciar a partida.

O terceiro golo, tão porfiado na primeira parte, nem dois minutos demorou a surgir na segunda, por Hélder Nunes, e a selecção portuguesa como que suspirou de alívio. Assentou o seu jogo, ganhou confiança e certeza nos passes e, em três minutos, entre os cinco e os oito, apontava três golos, todos por João Rodrigues. O capitão português marcou na sobra de um tiro de meia distância de Gonçalo Alves (4-1), a finalizar um contra-ataque perfeitamente gizado com o "sub" Hélder Nunes (5-1) e a chegar rápido para concluir a passe de Gonçalo Alves (6-1), depois deste ter visto novamente Oberson defender uma grande penalidade.

Poka estreou-se a marcar pela selecção principal

A eficácia na hora de marcar não queria, definitivamente, nada de bola parada. Aos 10 minutos, Gonçalo Alves voltou a "perder" para Oberson de grande penalidade e, aos 20, seria Rafa a não conseguir bater o gigante helvético, então num livre directo a complementar um azul a Simon Wuffli. Entre as duas bolas paradas, Portugal insistiu muito, chegando a uma fase em que apostou na meia distância de Daniel Oliveira ("Poka"). E a aposta daria mesmo frutos quando Rafa serviu para um remate forte, com o jogador que neste defeso troca o Valongo pelo Porto a estrear-se a marcar pela equipa principal quase 10 anos depois de ter apontado dois golos pelos Sub-20 no Europeu de Hamm.

Imperial, Guillaume Oberson defendeu todas as seis bolas paradas lançadas por Portugal

Ao bater a Suíça, Portugal passa a ser a única equipa do grupo A com duas vitórias, mas a França ainda só realizou um jogo. Os gauleses, última selecção a entrar em prova, venceram esta segunda-feira Andorra por 6-0. Esta terça-feira é dia de descanso para Portugal, que regressará à pista na quarta, para defrontar a Áustria do seleccionador João Nuno Meireles.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade