Notícia

Oliveirense venceu em Paço de Arcos antes de teste maior

Oct 26, 2018

Em vésperas de receber o Benfica, a Oliveirense venceu o Paço de Arcos por 0-5 e somou a segunda vitória em outros tantos jogos na presente edição do Campeonato Nacional da I Divisão. Só o Porto a acompanha no topo da classificação.

Em Paço de Arcos, a Oliveirense assumiu desde cedo uma postura ofensiva, com Xavi Barroso a impor velocidade. Mas, mais do que jogo jogado, os minutos iniciais ficariam marcados por uma lesão de Nelson Ribeiro aos quatro minutos que o afastou desde logo do jogo, e que poderá implicar uma paragem superior a três meses.

Jorge Silva marcou três golos em menos de três minutos

A lesão do capitão Nelson Ribeiro deixaria também marcas na sua equipa e, nos cinco minutos que se seguiram à sua saída, a Oliveirense marcaria por três vezes, sempre por Jorge Silva.

Aos seis minutos, num lance de insistência na área, em que ninguém do Paço de Arcos conseguiu afastar a bola, o ex-avançado do Porto, já em queda, rematou para o primeiro do jogo. O segundo chegou aos sete, a responder de pronto a um passe de Barroso num ataque rápido. E o terceiro aos oito e meio, num remate em cutelo a desfeitear Diogo Rodrigues (“Matraco”).

Xavi Barroso dinamizou as saídas em velocidade da Oliveirense

Luís Duarte pediu um desconto de tempo e trouxe a sua equipa de volta “à terra”, quebrando também o ritmo aos visitantes.

O jogo ganhou algum equilíbrio também beneficiando da irreverência dos jovens Filipe Fernandes, Tomás Moreira e Rafael Lourenço - todos reforços do Paço de Arcos para esta temporada -, e a equipa da Linha esteve algumas vezes perto do golo.

Tomás Moreira foi dos mais perigosos do Paço de Arcos

No entanto, a melhor oportunidade de uma primeira parte que não teria golos senão de Jorge Silva, seria para a Oliveirense, com Rafael Lourenço a cortar uma bola em carrinho, para uma grande penalidade clara. Ricardo Barreiros, em mais um regresso a uma casa onde ganhou reputação, não conseguiu bater Matraco.

A segunda parte começou com o equilíbrio que marcara o final da primeira. A Oliveirense cometeria a sua nona falta, mas – antes que o Paço de Arcos tivesse oportunidade de ir para a marca de livre directo – Jordi Bargalló, num remate rasteiro, faria aos oito minutos o 0-4.

Ricardo Barreiros regressou a uma pista que bem conhece

Logo a seguir caiu a décima falta para a equipa de Renato Garrido. Depois de avisado, Puigbi veria o azul por nova saída extemporânea antes de Tomás Moreira tocar na bola, mas, mesmo a frio, Domingos Pinho evitaria o golo.

O guardião internacional português – vencedor de uma Taça Latina (2002) e uma Taça das Nações (2011) – estaria em pista sete minutos, sem que se registasse qualquer golo. Em qualquer das balizas.

Domingos Pinho substituiu o azulado Puigbi com total sucesso

O Paço de Arcos não deixaria de procurar o golo, mas a Oliveirense controlou bem, até gerindo de alguma forma o esforço. Tanta gestão obrigou Renato Garrido, já perto do final, a levantar a voz, lembrando que tem de se jogar até ao apito final, e Emanuel Garcia ainda foi a tempo de amainar a ira do seu técnico, fazendo o 0-5 segundos antes do término do jogo.

Emanuel fechou as contas, perto do apito final.

Ficha

Paço de Arcos – 0

Diogo Rodrigues (gr), Diogo Silva, Nelson Ribeiro, Pedro Vaz e Paulo Jesus – cinco inicial – Filipe Fernandes, Rafael Lourenço, Tomás Moreira e Tiago Gouveia. Treinador: Luís Duarte.

Oliveirense – 5

Xevi Puigbi, Marc Torra, Xavi Barroso, Jordi Bargalló (1) e Jorge Silva (3) – cinco inicial – Emanuel Garcia (1), Ricardo Barreiros, Pedro Moreira, Pablo Cancela e Domingos Pinho (gr). Treinador: Renato Garrido.

Árbitros

Luís Peixoto e João Duarte. Mostraram azul a Xevi Puigbi.

Só o Porto também voltou a vencer

Para além da Oliveirense, só o Porto logrou juntar mais três pontos aos conquistados na primeira ronda. A equipa de Guillem Cabestany venceu por 2-8 em Viana, disparando no marcador na etapa complementar, depois de ao intervalo a vantagem ser de “apenas” 2-4.

Das outras equipas que tinham somado três pontos na primeira ronda, o Braga “caiu” em Oeiras (4-2), o Tomar perdeu na Luz (5-2) e o Valongo empatou (5-5) na recepção ao Óquei de Barcelos, num mal menor depois de se encontrar a perder – ainda na primeira parte – por 0-4.

Teste à candidatura

No próximo domingo, no fecho da terceira jornada, a Oliveirense recebe o Benfica a partir das 15h, num jogo que é um sério teste à candidatura ao título nacional das duas equipas, mas em particular à equipa de Oliveira de Azeméis, por jogar em casa.

Torra defrontará domingo, tal como Barreiros – ou Miguel Rocha e Albert Casanovas do lado do Benfica – uma equipa que já representou

A Oliveirense defende a sua posição 100% vitoriosa, enquanto o Benfica procura nova vitória depois de um empate no dérbi. Na pretérita temporada, perante o seu público, a Oliveirense empatou com o Benfica (4-4) e perdeu com o Porto (1-3). Na derradeira jornada, quando empatou com o Sporting (4-4), já tudo estava decidido...

Paço de Arcos num trio a zeros

No fundo da tabela, o Paço de Arcos é uma das três equipas que ainda não somou qualquer ponto, a par de Marinhense e Juventude de Viana.

E para Luís Duarte, o futuro imediato não é risonho. É que a equipa da Linha, seguramente sem poder contar com Nelson Ribeiro, viaja no próximo sábado até ao Porto e ao Dragão Caixa onde a espera a mais concretizadora equipa destas duas jornadas já realizadas.

Filipe Fernandes é um dos jovens em busca de afirmação às ordens de Luís Duarte
Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade