Notícia

Inevitavelmente, 'pentacampeonas'

Nov 01, 2018

A Espanha sagrou-se pentacampeã europeia ao confirmar esta quinta-feira a vantagem que conseguira a 13 de Outubro quando o derradeiro jogo do 14º Campeonato da Europa foi interrompido devido aos estragos provocados pela tempestade Leslie.

Retomado esta quinta-feira, 1 de Novembro, para os 105 segundos em falta, o jogo terminaria mesmo com um 2-4 favoráveis à Espanha, que assim reforçou o 2-3 que se verificava aquando da interrupção.

A missão de Portugal não se adivinhava nada fácil. As portuguesas entravam para o epílogo do jogo em desvantagem, sem que o empate servisse – Portugal tinha mesmo de ganhar para conquistar o título – e com 14 faltas acumuladas. Se a este cenário acrescentarmos a experiência das adversárias num campeonato que é o mais competitivo do Mundo e que praticamente monopoliza as conquistas europeias de clubes, o desafio era hercúleo.

Julien Thibault reiniciou o jogo com golpe duplo a meio-campo, e Portugal assumiu o ataque, jogando com cinco jogadoras de pista. Mas a perda de bola obrigou a pressionar e levou à 15ª falta, que colocou Anna Casarramona na marca de livre directo. A internacional espanhola não perdoou perante Maria Celeste Vieira e, com apenas meio minuto para jogar e três golos para marcar, a selecção portuguesa foi obrigada a render-se…

Volvidos 24 dias sobre o início da competição, a classificação final ficou assim ordenada: 1º Espanha, 2º Portugal, 3º Itália, 4º França, 5º Alemanha, 6º Suíça, 7º Inglaterra.

Esta é a quinta conquista consecutiva da Espanha depois dos triunfos em 2009, 2011, 2013 e 2015 [em 2017 não se realizou Campeonato da Europa], a que se junta um título conquistado em 1995, na terceira edição da prova.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade