Notícia

Linha de vitórias

Nov 18, 2018

Paço de Arcos e Oeiras venceram este sábado para o Campeonato Nacional da I Divisão. As duas equipas da Linha de Cascais somaram três importantes pontos… em jornadas diferentes.

Na Marinha Grande, jogaram-se os cerca de 16 minutos que faltavam jogar na quinta jornada, depois de interrupção devido às más condições (humidade) da pista.

O jogo entre Marinhense e Paço de Arcos recomeçou com a igualdade a três que se registava aquando da interrupção e tudo parecia encaminhado para uma vitória dos donos da casa. Gonçalo Domingues e Filipe Vaz colocaram o resultado em 5-3, e, do lado do Paço de Arcos, Rafael Lourenço viu azul e Tomás Moreira falhou o livre directo da 15ª falta da equipa orientada por Tiago Sousa, faltavam apenas cinco minutos e meio para o derradeiro apito.

Tomás Moreira juntou três golos ao apontado uma semana antes.

No entanto, no seguimento do livre directo falhado, o campeão europeu de Sub-20 de Pully, reduziu e ganhou nova alma, mostrando o porquê do então seu seleccionador Luís Duarte o ter ido agora buscar. Tomás - que já tinha marcado um tento uma semana antes - igualou a três minutos e meio do fim e, na 20ª falta dos da casa, com pouco mais de minuto e meio para jogar, não falhou e consumou a reviravolta para um 5-6 que permite ao Paço de Arcos sair dos lugares de despromoção.

Oeiras e Valongo abriram sexta jornada

Já em Oeiras, jogou-se o primeiro jogo da sexta jornada, ficando os restantes para próxima quarta-feira.

Na primeira parte, vingaram as bolas paradas. Nuno Araújo marcou de grande penalidade para o Valongo e Franco Ferruccio (“Tato”) restabeleceu a igualdade na recarga ao livre directo correspondente à 10ª falta do Valongo, ainda faltavam jogar sete minutos antes do descanso.

Na etapa complementar, duas grandes penalidades desequilibraram o marcador. Diogo Neves deu vantagem à equipa da Linha, anulada por um golo de Luis Melo (de bola corrida), para Nuno Araújo voltar a ser eficaz da marca de castigo máximo a 11 minutos do fim, colocando a equipa de Miguel Viterbo em vantagem.

No entanto, o Oeiras ainda teria uma palavra a dizer. Ou melhor, três, e todas em “argentino”. A seis minutos e meio do fim, Ezequiel Mena restabeleceu a igualdade, agora a três, e, já nos três minutos finais, Tato fez o 4-3, que seria final. A “palavra” do outro argentino do plantel às ordens de Miguel Dantas, Mathias Arnaez, não seria tão agradável. Viu o azul, deixando a sua equipa inferiorizada para os derradeiros dois minutos… mas o Valongo não aproveitou.

Com protestos no final de um jogo em que foram averbadas 22 faltas ao Valongo e 14 ao Oeiras, Miguel Viterbo e o delegado António Costa viram o vermelho.

Com mais um jogo que as restantes equipas, o Valongo é oitavo, com sete pontos, enquanto o Oeiras subiu ao 10º lugar, com seis, em igualdade pontual com o Marinhense (9º).

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade