Notícia

«Temos de ser uma equipa séria durante 50 minutos»

Feb 09, 2021

Reconhecendo irregularidade, Alejandro Dominguez vincou a necessidade de se manter o foco nos 50 minutos. A derrota faz perigar o importante "factor casa" nos playoffs, o que deixou o técnico do Benfica ainda "mais chateado". #Reacções #PrimeiraDivisão

Saindo visivelmente aborrecido no final da partida com o Tomar, Alejandro Dominguez pediu desculpas aos jornalistas pela hesitação em falar. Depois de reflectir, apontou as falhas da sua equipa.

"O Tomar foi mais intenso que nós", resumiu. "Até ao golo na própria baliza, não tínhamos feito um bom jogo em termos de ataque, mas tínhamos o controlo do modelo defensivo. Desperdiçámos muitos ataques em superioridade na primeira parte, e na segunda parte, à medida que o tempo avançava e o resultado era adverso, a equipa transformou-se numa equipa demasiado irregular e instável", reconheceu.

A irregularidade tem marcado de alguma forma a temporada encarnada, perdendo em Tomar (5-2) uma semana depois de ter vencido no João Rocha (4-5). "Devemos fazer uma reflexão. Temos de ser uma equipa séria durante 50 minutos e em todos os jogos, com todos os adversários, e em qualquer circunstância. Não se pode ser uma equipa tão irregular", frisou.

"Somos capazes do melhor, mas também somos capazes de jogar os últimos minutos sem nenhum controlo. Com muita vontade - e aí estou com os meus jogadores que querem levar as coisas para a frente - mas temos de o fazer como equipa. É isso que nos dá irregularidade", destacou.

Elogiando o bom trabalho defensivo do Tomar, Alejandro Dominguez não deixaria de ressalvar que ainda "faltam muitos jogos". "Hoje era um dia importante, mas temos de seguir em frente e, num campeonato com playoff, há ainda muito para jogar", sublinhou.

O Benfica está na quarta posição, com 32 pontos em 16 jogos, mas desde logo à mercê da Oliveirense que, com menos dois jogos que os encarnados, têm 30. Uma eventual quinta posição custaria o "factor casa" logo nos quartos-de-final.

E o "factor casa", mesmo sem público, pode ser determinante. "Jogar na tua pista, em termos técnico-tácticos, é muito importante. Também é por isso que estou chateado. Mais chateado", confessou.

Voltando a valorizar os playoffs em termos de espectáculo, Alejandro vive a incerteza de uma época atípica.

"Não sabemos se se vai jogar a Liga Europeia, quando e em que formato. Não sabemos se vamos jogar a próxima ronda da Taça e nem sabemos se vamos jogar o playoff. Nem que se tenha de jogar dois ou três jogos por semana, espero que se possa pelo menos completar o Campeonato Nacional", deseja, esperando que não se cometa uma injustiça em relação à última temporada.

Recorde-se que o Benfica liderava na altura da interrupção, e não houve atribuição do título. Este ano, está prevista a entrega do troféu desde que se complete a "fase regular" que está a decorrer, mesmo que o modelo planeado de playoffs não chegue ao fim.

No próximo fim-de-semana, o Benfica recebe a Sanjoanense e, na terça-feira seguinte, dia de Carnaval, cumpre o jogo que tem em atraso da 10ª jornada, com o Famalicense, também na Luz.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade