Notícia

Manjar de dois pratos principais na 21ª jornada

Feb 27, 2021

Nesta 21ª jornada, há Clássico entre Porto e Sporting, arbitrado por Pedro Figueiredo e Carlos Correia, e jogo grande entre Benfica e Oliveirense, a cargo de Luís Peixoto e Teófilo Casimiro. #Nomeações #PrimeiraDivisão

Não é um, mas dois os jogos que merecem honras de destaque nesta 21º jornada, no que a corrida ao título - ou, a mais curto prazo, aos melhores lugares para o playoff - diz respeito.

No Dragão Arena, este sábado, o Sporting coloca à prova a série de vitórias consecutiva dos dragões. O Porto vence desde o primeiro dia de Dezembro e vai em nove triunfos consecutivos, sempre a marcar pelo menos quatro golos (vitória sobre o Benfica). Por outro lado, os leões, melhor defesa do Campeonato, só numa ocasião (também com o Benfica) sofreram quatro ou mais golos.

Num duelo entre a fluidez atacante do Porto e a solidez defensiva do Sporting, a equipa de Paulo Freitas procura contrariar a História evitando uma derrota na visita ao reduto dos portistas, o que não acontece desde 1981, quando houve empate. E é preciso recuar até 1977 e à "equipa maravilha" de Ramalhete, Rendeiro, Sobrinho, Chana e Livramento para encontrar um triunfo leonino, por 3-6.

De regresso ao presente, o jogo deste sábado será arbitrado por Pedro Figueiredo e Carlos Correia, dupla do Minho que apitará o quarto jogo enquanto dupla para o campeonato esta temporada, o primeiro com Pedro Pedro Figueiredo como primeiro árbitro. Nos três jogos anteriores, ganhou sempre o anfitrião, incluindo, na última ronda, a vitória tangencial da Oliveirense sobre o Valongo.

Pedro Figueiredo esteve no Dragão, no Clássico com o Benfica (então com José Pinto), e no duelo entre Óquei de Barcelos e Porto (4-4), ao passo que Carlos Correia apitou apenas um jogo entre candidatos, curiosamente o outro embate entre dragões e águias, na abertura do Campeonato, então ao lado de Rui Torres.

Na primeira volta, o Sporting venceu por 4-2.

Luta pelo terceiro lugar

Separados por dois pontos, Benfica e Oliveirense jogam este domingo na Luz pelo terceiro lugar. A Oliveirense, com dois jogos em atraso em relação ao Benfica, terá possibilidade de o conseguir nos "acertos", mas uma eventual vitória permitiria desde já a subida ao terceiro lugar por troca com as águias.

A equipa de Oliveira de Azeméis vem de uma série de cinco vitórias consecutivas, três delas depois da paragem forçada de um mês. É a melhor série da temporada, numa altura em que coloca à prova as três vitórias consecutivas do Benfica, também a melhor da temporada, mas já conseguida outras duas vezes.

Para subir de imediato ao terceiro posto, a Oliveirense precisa de vencer na Luz, o que não acontece desde 2016. Um triunfo por 7-9 fechou uma temporada em que o Benfica já garantira o título de campeão.

Depois, as equipas encontraram-se mais quatro vezes na Luz para o Campeonato, com três triunfos das águias e um empate a três, polémico, em 2019. Na altura, um golo não validado à Oliveirense despoletou inúmeras críticas e o treinador Renato Garrido apontaria mesmo aquele "golo" como possivelmente decisivo para a atribuição do título. Na frieza da matemática nas contas finais, a Oliveirense, que se sagrou vice-campeã, não chegaria ao título mesmo se vencesse. Passaria a somar 66 contra 67 do Porto campeão.

Na altura, o árbitro Luís Peixoto, mais próximo do lance, foi o mais visado, mas as múltiplas imagens que vieram a público só comprovaram que, tapado por Pedro Henriques, não tinha qualquer possibilidade de ver a bola para lá da linha de golo, com claro prejuízo para a Oliveirense. Agora, Luís Peixoto volta a ser nomeado para o duelo entre Benfica e Oliveirense, desta feita com Teófilo Casimiro.

Luís Peixoto e Teófilo Casimiro só apitaram juntos o dérbi minhoto entre Riba d'Ave e Óquei de Barcelos, mas o árbitro de Lisboa apitará o seu quinto jogo entre candidatos, destacando-se dos quatro de Joaquim Pinto. Apitou dois jogos do Benfica (os dérbis com o Sporting) e um da Oliveirense, na derrota caseira com o Óquei de Barcelos.

O último jogo na Luz terminou com uma vitória encarnada por 8-3 e marcado pela expulsão de Jorge Silva, que daria origem a um processo que seria arquivado sem divulgação federativa. Já esta temporada, na primeira volta, o Benfica venceu em Oliveira de Azeméis por 3-5, tendo as equipas também se defrontado na Taça 1947, na meia-final. O Benfica venceu nas grandes penalidades por 7-5, depois de um empate a três no tempo regulamentar de um jogo também a gerar contestação oliveirense por outro golo alegadamente não validado...

21ª Jornada

• Porto vs. Sporting • 27.Fev • 15h • Pedro Figueiredo e Carlos Correia

• Óquei de Barcelos vs. Riba d'Ave • 27.Fev • 18h • Florindo Cardoso e Porfírio Fernandes

• Famalicense vs. Os Tigres • 27.Fev • 18h • José Pinto e Paulo Almeida

• Braga vs. Tomar • 27.Fev • 18h • Rui Torres e Manuel Fernandes

• Valongo vs. Juventude de Viana • 27.Fev • 18h30 • João Duarte e Ricardo Leão

• Turquel vs. Sanjoanense • 27.Fev • 21h • Pedro Silva e Joaquim Pinto

• Benfica vs. Oliveirense • 28.Fev • 15h • Luís Peixoto e Teófilo Casimiro

Classificação

1º Porto (47 pontos / 19 jogos)

2º Óquei de Barcelos (45 / 20)

3º Benfica (41 / 19)

4º Oliveirense (39 / 17)

5º Sporting (36 / 16)

6º Tomar (34 / 19)

7º Valongo (22 / 19)

8º Juventude de Viana (22 / 20)

9º Braga (19 / 19)

10º Sanjoanense (18 / 19)

11º Famalicense (17 / 19)

12º Riba d'Ave (15 / 19)

13º Turquel (13 / 19)

14º Os Tigres (10 / 20)

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade