Notícia

«Vão dizer 'Em Tomar, como é que foi? Foi um escândalo...'»

Mar 09, 2021

Revoltado com a arbitragem do jogo frente ao Óquei de Barcelos, Nuno Lopes, treinador do Tomar, não poupou críticas nem acusações ao "sistema" vigente. #Reacções #Video #PrimeiraDivisão

É um Tomar que tem superado as expectativas e que vai atrapalhando as contas aos assumidos candidatos. Frente ao Óquei de Barcelos, a equipa orientada por Nuno Lopes protagonizou mais uma excelente partida, mas seria "traída" por uma alegada simulação - e pela arte de Dario Giménez de livre directo - nos instantes finais.

Revoltado, o treinador tomarense criticou a arbitragem no geral e os jogos de influência que vão decidindo jogos. "Já alertei os meus jogadores que têm de ser super-heróis para ganharem no playoff", afirmou. "Temos de jogar contra tudo e contra todos", reforçou, reconhecendo o seu "estilo" mais emocional. "Não ando aqui para uma prova de estilo, mas para defender os meus jogadores", frisou.

Certo que o "mundo do Hóquei em Patins" dirá que o que se passou em Tomar foi um escândalo, Nuno Lopes afastou a possibilidade de um comunicado, à semelhança do que Oliveirense ou Braga fizeram, dado que não valeria a pena.

Tal como Rui Neto, ainda que num registo necessariamente diferente pelo desfecho do jogo, Nuno Lopes falou da capacidade dos árbitros em decidirem jogos. Por exemplo, nos bloqueios, que, segundo Lopes, os árbitros não sabem o que é. "Decidem falta ou simulação conforme quem querem beneficiar", explicou.

Entre outras considerações, o técnico nabantino vincou como é sabido no meio que "a Norte, as regras mudam completamente", apelando aos árbitros do Sul para fazerem um trabalho semelhante. A instâncias mais altas pediu a profissionalização da arbitragem, a publicação dos relatórios dos árbitros logo após os jogos (em vez de serem depois "cozinhados") e o sorteio puro... "Não há dignidade", concluiu, prometendo, no entanto, continuar a lutar em todos os jogos pela vitória.

«Importa dizer basta»

Antes de Nuno Lopes, o presidente do Sporting de Tomar, Ivo Querido Santos, já dera voz à revolta local, apelidando de "uma vergonha" o que sucedeu na partida.

O presidente tomarense apontou prejuízo claro em Viana, Braga e agora, referindo que quando a equipa começou a ganhar, começou a ser prejudicada.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade