Notícia

Erro técnico passa em claro

Apr 21, 2021

A sete segundos do fim, um penalti colocou em risco a manutenção do Turquel. Bem ou mal assinalado, o erro de facto - inédito esta época? - acabaria por ser a não saída de um jogador após azul a André Moreira nos protestos. #Arbitragem #PrimeiraDivisão

Com um triunfo por 1-2 em Valongo, o Turquel assegurou a manutenção na I Divisão e vai iniciar a sua 10ª temporada consecutiva na I Divisão depois de consumada a subida em 2012.

Virando uma desvantagem inicial, a equipa da Aldeia do Hóquei segurou estoicamente a sua vantagem durante 43 minutos e 20 segundos para garantir os salvadores três pontos.

A sete segundos do final, o triunfo perigou, com uma grande penalidade assinalada pelo árbitro Carlos Correia por falta de Tiago Rafael sobre Carlos Ramos. O outro árbitro, Pedro Figueiredo, mostraria o cartão azul a André Moreira, por protestos no banco.

Guilherme Silva acertou em cheio no poste esquerdo. Os quatro jogadores de pista do Turquel - Tiago Rafael, Vasco Luís, André Pimenta e Tiago Mateus - recuperaram rapidamente em auxilio do seu guarda-redes, mas não evitariam um derradeiro remate de Guilherme... que Diogo Almeida segurou, "segurando" também o triunfo e a manutenção.

Muitas emoções juntas. E um erro técnico da dupla de arbitragem.

Num pavilhão sem público, os nervos toldaram todos.

Pelo azul mostrado a André Moreira, o Turquel devia ter jogado os últimos instantes do jogo com menos um jogador, e a não saída de alguém constituiu um erro técnico dos minhotos Pedro Figueiredo e Carlos Correia. O erro poderia ter levado à repetição da grande penalidade (com o Turquel "reduzido") ou à apresentação de um protesto. Mas este protesto teria de ser, conforme o regulamento, "notificado –pelo Capitão da equipa que o apresenta – dentro da pista aos Árbitros Principais do jogo, aproveitando qualquer interrupção do jogo, ou imediatamente depois de ser assinalado o final do encontro".

Não tendo sido apresentado protesto em tempo útil, o erro - cuja influência no resultado é muito discutível - passa em claro e juntar-se-á a inúmeros hipotéticos erros de julgamento que levaram a críticas, de viva voz ou em comunicados, ao longo da fase regular. De erros técnicos, não há registo.

No play-off, todos os jogos serão decisivos, e o escrutínio do erro arbitral pelas equipas ainda maior. Umas vezes com razão, outras nem por isso...

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade