Notícia

«Quatro meses de férias é impensável no desporto no século XXI»

May 04, 2021

Triste com o afastamento do Tomar, Nuno Lopes mostrou-se amargurado com as férias "forçadas" que agora inicia. Quatro meses de férias, que "não tem ponta por onde se pegue". #Video #PrimeiraDivisão

Foi mais abatido e mais comedido do que é habitual que Nuno Lopes surgiu perante os jornalistas no final da partida que ditou o afastamento do Tomar do play-off. Apesar da dureza de uma derrota nas grandes penalidades, a desilusão maior é outra. "A minha frustração é só uma, ter acabado a época em Abril", confessou.

"A temporada de 2020/21 foi para nunca mais esquecer", analisou. "Os jogadores foram espectaculares toda a época", realçou, preferindo ficar com as boas recordações. "Só me interessa ficar com o bem", sublinhou, ressalvando, no entanto, mas sem se alongar, que "o mal continua a ganhar ao bem".

"Não posso dizer mais nada", concluiria, possivelmente ainda a fazer contas ao castigo de cinco jogos de que foi alvo. Ausente do último jogo da fase regular e dos dois jogos dos quartos-de-final, Nuno Lopes ainda só cumpriu três partidas e ficará de fora nas duas primeiras rondas na próxima temporada.

Sobre o jogo com o Óquei de Barcelos, o técnico nabantino aponta "um minuto de desconcentração", que permitiria a recuperação dos barcelense. Mas o principal "amargo" é com o fim precoce da época.

"Na melhor Liga do Mundo, quatro meses de férias não tem ponta por onde se pegue", observou. "Alguns batem palmas, porque são quatro meses que não pagam. Mas esses não procuram ser melhores", criticou. "Isto é impensável no desporto no século XXI", reforçaria.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade