Notícia

Mexidas inesperadas na revolução oliveirense

May 21, 2021

Finda a temporada sem sucesso a nível nacional ou internacional, a Oliveirense mexe num plantel que já era dado como fechado com as "dispensas-surpresa" de Xevi Puigbi e Vítor Hugo. Poderá ser uma autêntica revolução... #Mercado #PrimeiraDivisão

As saídas de Jordi Bargalló para o Noia e de Henrique Magalhães para o Sporting são já certas e para o lugar destes virão Franco Platero (ex-Liceo) e Xavi Cardoso (ex-Sanjoanense). As saídas de Pedro Moreira e João Almeida também deverão concretizar-se. E, inesperadamente, foi comunicada esta semana a dispensa a Xevi Puigbi e Vítor Hugo. Tudo somado, poderão ser seis saídas, estando também em causa a entrada de Nuno Araújo.

O afastamento nos quartos-de-final do play-off do Campeonato Nacional da I Divisão (a redundar num quinto lugar final) e o revés nas meias-finais da Liga Europeia com uma derrota por 6-4 com o Porto (depois de ter sido assegurada uma vantagem de quatro golos), terão levado a repensar a nova temporada e Xevi Puigbi e Vítor Hugo são surpreendentes vítimas colaterais numa decisão que certamente implicará outras novidades em Oliveira de Azeméis.

O guarda-redes catalão de 33 anos chegou a Oliveira de Azeméis em 2014 e completou a sua oitava temporada em Portugal. Alternando com Nelson Filipe entre os postes, Puigbi foi por exemplo o guardião nas duas partidas da primeira fase da Liga Europeia. O atacante português, que já representara a Oliveirense, regressou em 2019, depois de se sagrar campeão europeu pelo Sporting e, tal como Xevi, tinha tudo certo para a próxima época.

Numa altura em que muitas equipas já têm a próxima temporada planeada, os atletas - apesar do seu reconhecido valor - estarão agora na situação ingrata de ter de procurar novos projectos.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade