Notícia

Genes de campeão para atacar subida

Aug 12, 2021

Foto de capa: Diario de Cuyo

O Candelária vai contar com Damián Paez, sobrinho dos históricos David e Jose Luis, para atacar o regresso à I Divisão. Miguel Feio, Janeka e Hugo Paiva são também reforços, mas os picarotos têm agora um problema por resolver... #Mercado #SegundaDivisão

Com um terceiro lugar na Zona Sul da II Divisão, o Candelária voltou a "morrer na praia" no objectivo de regressar ao convívio dos grandes. Mas não baixa os braços.

Despromovido à II Divisão em 2017, o Candelária arma a sua equipa para mais uma vez tentar o regresso. E, desta feita, chama um reforço de San Juan, com um apelido histórico na modalidade. Damián Paez, de 21 anos, é sobrinho de David e "Negro" Paez, estrelas maiores do Barcelona e da selecção albiceleste, e filho de Carlos, que teve relevo no menos mediático campeonato gaulês.

Damián, "Yemita", chegou com tenra idade à equipa principal de um Concepción que tentou bater o pé às equipas do Velho Continente na Taça Intercontinental. Em 2017, Damián Paez esteve na partida das "meias" que o Concepción perdeu com Reus, "falhando" o encontro com o Benfica na partida decisiva. Um ano depois, o jovem jogador perderia novamente na meia-final, mas com Barcelona, perdendo-se a oportunidade de medir forças na final com o Porto.

Mais três reforços

Também já oficiais são os acordo com Miguel Feio, João Silva ("Janeka") e Hugo Paiva.

Miguel, de 22 anos, representou nas duas últimas temporadas Os Tigres na I Divisão depois de ter terminado o seu percurso formativo no Benfica. Ao serviço das águias, Miguel Feio foi uma das figuras do título nacional da II Divisão em 2019.

Mais experientes são Janeka e Hugo Paiva. Janeka, de 29 anos, chega do BIR depois de uma temporada em Itália e temporada e meia em França. Hugo Paiva, com 31 anos, viaja da Académica de Espinho para o Pico. Irmão de Nuno Paiva, atacante dos italianos do Montebello, Hugo ficou a um passo da subida na temporada finda, com o Espinho a claudicar apenas no jogo de apuramento de promoção com o Paço de Arcos.

Problema na baliza

Entretanto, o Candelária sofreu um duro revés nas suas aspirações.

A baliza seria de Diogo Alves pelo segundo ano consecutivo, mas o internacional português foi o eleito pela Oliveirense para colmatar a ausência prolongada de Nelson Filipe e os picarotos vêem-se obrigados a ir ao mercado em busca de outro guardião. Algo que não sera fácil a meio de Agosto, quando as equipas até já iniciaram os trabalhos de preparação da nova temporada...

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade