Notícia

Porto critica reformulada Taça Continental e posição do Sporting

Aug 21, 2021

À margem da "guerra" instalada na Liga Europeia, o Porto tece críticas à World Skate Europe e ao Sporting pelo modelo da Taça Continental para este ano, excluindo equipas que conquistaram o direito desportivo à disputa da prova. #ContinentalCup

A Taça Continental estava definida, com Sporting, Lleida, Porto e Sarzana, conforme o regulamento da prova. Depois, foi anulada. Depois, foi anunciada uma proposta do Lleida, vencedor da Taça WSE, para decidir o troféu em jogo único com o Sporting, vencedor da Liga Europeia. E o comité europeu confirmou a aceitação da proposta.

A Taça Continental previa a participação dos vencedores das duas principais provas europeias, mas também dos finalistas vencidos, Porto e Sarzana, que agora são "excluídos".

Enquanto a Liga Europeia está em ebulição com o modelo oficial a contradizer um alegado acordo para outro modelo, à margem da Associação Europeia de Clubes (EHCA) a que pertencem - e que até agora só mostrou "olhos" para a Liga Europeia - os dragões reagiram num e-mail (transcrito abaixo) enviado aos organismos que tutelam a modalidade criticando a alteração dos regulamentos da Taça Continental.

No silêncio da EHCA sobre a Taça Continental, o Porto fez ecoar o seu descontentamento.

Em declarações ao Porto Canal, Eurico Pinto reforça as críticas, lamentando que o Porto tenha tido apenas conhecimento do novo modelo pela imprensa apesar de ser uma das equipas apuradas, mas tal terá sido o que aconteceu também com algumas das equipas apuradas para a Liga Europeia, nas "negociações" entre a World Skate Europe e a EHCA.

Eurico Pinto vinca que seria igual para o Lleida organizar um jogo ou uma Final Four, dado que todas as despesas extra recaem sobre as equipas participantes, e aponta o dedo aos leões por não manterem a coerência com as posições da EHCA, associação de que, quer o clube portuense, quer o clube lisboeta, são sócios fundadores. "O Porto está na EHCA para falar a uma só voz e não, quando houver uma situação que nos beneficie, aproveitar-se dessa situação para atingir resultados desportivos", referiu. "O Porto sabe muito bem que estas situações não acontecem naturalmente. O Lleida propor-se a organizar e o Sporting a participar não surge naturalmente...", acusou.

O Porto foi finalista vencido nas duas últimas edições disputadas da Taça Continental, mas conta na sua vitrine com um troféu conquistado em 1986.

A missiva azul-e-branca à World Skate Europe

Na sequência da receção do Comunicado 02/2021-2022, de 19 de agosto, do WS Europe Rink-Hockey - Chairman, o FC Porto vem junto de V. Exas. manifestar a sua mais profunda indignação pela decisão da realização da Taça Continental, nos moldes aí dados a conhecer, entre o Sporting Clube de Portugal e o Club Esportiu Lleida, vencedores, respetivamente, da Euroleague e da WS Europe Cup.

Com efeito, o Comunicado 62/2020-21, de 4 de julho, do WS Europe Rink Hockey - Chairman, abriu candidatura para a realização desta competição nos moldes regulamentares em vigor, isto é, a ser disputada em sistema de play-off pelos finalistas da Euroleague 2021 (Sporting CP, vencedor, e FC Porto, finalista vencido) e pelos finalistas da WS Europe Cup 2021 (Club Esportiu Lleida, vencedor, e H. Sarzana, finalista vencido).

Mais tarde, em 7 de agosto, através do Comunicado 01/2021-2022, do mesmo WS Europe Rink-Hockey - Chairman, foi dada a conhecer a decisão da anulação da Continental Cup, por ausência de candidaturas à sua organização.

Qual não é a nossa perplexidade e revolta quando, passados estes dias em completo desconhecimento do que se passava no silêncio dos gabinetes, somos surpreendidos pela divulgação pública e oficial da realização da prova, alterando os regulamentos da mesma, sem que tenha havido a mínima preocupação de auscultar a opinião dos outros dois clubes (FC Porto e H. Sarzana), com direito desportivo e regulamentar a nela participar.

O FC Porto considera esta decisão incompreensível e inaceitável, impossível de acontecer em qualquer outra modalidade desportiva, que descredibiliza a patinagem, concretamente o hóquei em patins, e quem a dirige a nível europeu.

Não tendo expectativas de que esta decisão possa ser revertida, no sentido de os regulamentos serem cumpridos, confiamos que esta nossa posição possa servir para que, no futuro, não surjam novas situações que envergonham a modalidade.

A patinagem merece ser respeitada e credibilizada, sendo os seus dirigentes os primeiros e principais responsáveis por esse objetivo.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade