Notícia

Chuva de golos na vitória do Benfica sobre o Liceo

Sep 06, 2021

Na antecâmara dos primeiros desafios oficiais, Benfica e Liceo protagonizaram uma chuva de golos, com as águias a virarem o resultado nos derradeiros 10 minutos para um triunfo por 7-6. #PréÉpoca

Foi já nos "sapatos" de team manager que Valter Neves assinalou o início do embate entre Benfica e Liceo com uma encenada stickada de saída.

Antes sobraram emoções. Da homenagem a Valter Neves, ao anúncio de Diogo Rafael (e Pedro Henriques) como capitão e ao reconhecimento a Jordi Adroher, num gesto que teve tanto de inesperado como a sua dispensa pelas águias há um ano.

Adroher voltou a marcar na Luz, depois de ter sido homenageado antes do apito inicial.

"El Mago" não tardou a mostrar o seu talento, com um passe a meia altura para Maxi Oruste inaugurar o marcador com poucos segundos jogados. Com pouco mais de três minutos de jogo, Nuno Resende parava o jogo - sem trocar peças - para inverter o rumo.

Pouco depois, Carlos Nicolía igualava, de grande penalidade, mas a figura dos primeiros 15 minutos seria o francês Roberto Di Benedetto. O irmão do portista Carlo voltaria a colocar "los verdes" na frente depois de boa jogada individual e assinaria o 2-3 de castigo máximo, depois de Nicolia servir o seu novo capitão para o 2-2.

Roberto Di Benedetto esteve em destaque na primeira parte.

A "torneira" dos golos na primeira parte fechou ainda com nove minutos para jogar, com Pedro Henriques e Carles Grau a brilharem num jogo de vertigem, com oportunidades de um e outro lado.

Nuno Resende levou a jogo os 11 jogadores disponíveis - faltando apenas Zé Miranda, nos trabalhos da selecção de Sub-19 - e foi lançando o talento que tem em mãos ao longo da partida.

No arranque da segunda parte, surgiu Pol Manrubia, bem a defender, atrevido a atacar. Aos três minutos, bem servido por Nicolia como Diogo Rafael fora, rematou de primeira para o 3-3.

Crescendo no jogo, o atacante argentino que esteve "vai-não-vai" para deixar as águias bisaria aos sete minutos para nova igualdade (agora a quatro), num remate de meia distância a responder a um contra-ataque bem finalizado por Adroher.

Com três golos e duas assistências, Carlos Nicolía foi protagonista maior nas águias.

Mas o Benfica, inesperadamente, eclipsou-se.

Jordi Burgaya, reforço neste defeso, mostrou que a sua (muito) discreta passagem pela Oliveirense está definitivamente para trás e assinou dois golos que, a meio da segunda parte, desequilibravam o marcador. Primeiro a beneficiar de uma carambola entre jogadores do Benfica, depois a culminar uma bela triangulação, servido pelo jovem argentino Nahuel Castro ("Nanu").

O Benfica demorou a reentrar e valeu a inspiração de Sergi Aragonès. Com o Liceo a acusar um natural cansaço físico, a disponibilidade do catalão anulou a vantagem. Aragonés reduziu a 10 minutos do final numa arrancada épica e, dois minutos volvidos, rematou colocado de meia distância para uma nova igualdade que os encarnados fizeram pouco por alcançar.

As pernas - e o esclarecimento - cediam de um lado e de outro e, já nos cinco minutos finais, caiu a 10ª falta do Liceo. Foi fatal para a equipa de Juan Copa, com Carlos Nicolia a fuzilar Grau para o 7-6.

O Liceo fugiu no marcador, mas Sergi Aragonès bisou para relançar o jogo.

Feminino à porta fechada

Antes da equipa masculina e muito aquém da divulgação e cobertura que esta mereceu - jogando-se inclusivamente à porta fechada -, subiu ao palco da Luz para defrontar a sua homóloga do Liceo a equipa feminina das águias, octocampeã nacional.

Perdendo as argentinas Agustina Fernández e Flor Felamini e enquanto espera pela chilena Catalina Flores, Paulo Almeida apresentou a reforço Raquel Santos no cinco inicial e a jovem atacante assinaria mesmo um tento.

As águias viram o Liceo marcar primeiro, por Alba Garrote, logo no primeiro minuto, mas Maria Sofia Silva, Marlene Sousa e Beatriz Figueiredo viraram o jogo num ápice. Já na etapa complementar, Raquel Santos faria o seu golo, para Lúcia Yáñez fechar as contas num triunfo encarnado por 4-2.

Dupla derrota "liceal" no João Rocha

Sábado, o Liceo jogara do outro lado da Segunda Circular, no Troféu Stromp que serve de apresentação oficial do Sporting aos seus adeptos.

Depois de uma derrota na Corunha (2-5) uma semana antes, o Liceo foi eficaz na primeira parte no João Rocha e chegou ao intervalo a vencer por 0-3, com golos de Oruste, Àlex Rodriguez e Marc Grau. Mas não segurou a vantagem. Romero, Ferran Font e João Souto levaram a decisão para as grandes penalidades.

Com um inusitado 4-4 no fim da primeira série de grandes penalidades (apenas Gonçalo Nunes e Marc Grau não marcaram), a 13ª grande penalidade marcada por Ferran Font seria decisiva, com Zé Diogo a negar depois o golo a Àlex Rodriguez.

Liceo defronta o Caldes nas meias-finais da Supercopa, a 11 de Setembro.

No feminino, o Sporting voltou a mostrar argumentos e desta vez não permitiu nenhuma reviravolta. Na Corunha, escapara às leoas uma vantagem de 2-4, mas, desta feita, a equipa de Nuno Pinto mostrou o crescimento de mais uma semana de trabalho.

Naiara Vaamonde inaugurou o marcador e anulou a "cambalhota" leonina protagonizada por Rute Lopes e Sofia Moncóvio. Mas, quando Ana Catarina Ferreira fez o 3-2 a oito minutos do fim, o Sporting embalou para um triunfo seguro. Rute Lopes e a reforço Inês Açoreira fixaram o 5-2 final.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade