Notícia

«Para nós, não vale a pena arriscar mais»

Nov 20, 2021

Foto de capa: Marzia Cattini @ FISR

A pandemia deixou marcas e receios profundos em Itália e a selecção italiana preferiu não ir a jogo perante os casos nos portugueses. 'O mais importante é que os dois rapazes fiquem bem', deseja Alessandro Bertolucci. #Euro

Quando a pandemia chegou à Europa, Itália foi devastada ainda antes de alastrar a outros países. Milhares de casos e milhares de mortes deixaram marcas que custarão a sarar.

"Tivemos medo e, para nós, não vale a pena arriscar mais", conta ao HóqueiPT o seleccionador Alessandro Bertolucci sobre o jogo de atribuição dos 3º e 4º lugares no Europeu que acabaria por ser cancelado.

"Desistimos de jogar porque amanhã [este domingo] regressamos às nossas famílias, aos nossos clubes e acreditamos que esta é a decisão mais segura que podemos tomar neste momento", esclarece. "Ainda não fizemos testes. Temo-los aqui e vamos ver o que decidimos com o médico, mas, de certeza, quando regressarmos a Itália vamos fazer tudo o que seja necessário", explica. "A equipa está toda bem e não quisemos arriscar mais", reforça.

Num perceptível português - que confessa, vai praticando com o professor João Pinto, seu atleta no Trissino -, "Alex" lamenta o sucedido. "É uma pena que isto tenha acontecido, pelo Hóquei em Patins em geral, e só desejo que fiquem bem os dois rapazes [João Rodrigues e Henrique Magalhães] que contraíram o vírus. Isso é o mais importante neste momento", deseja.

Alessandro Bertolucci brilhou no Óquei de Barcelos entre 1998 e 2002 e, pese o triste desfecho deste Campeonato da Europa, é apaixonado por Portugal. "Alegrou-me muito regressar ao país onde nasceu a minha filha. Esta é a minha segunda pátria. Um dia vou regressar", garante.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade