Notícia

Três golos de vantagem para o Porto

Dec 17, 2021

O Porto venceu o Sporting por 6-3 na primeira mão da Taça Intercontinental e leva três golos de vantagem para a segunda mão, no João Rocha. Os leões têm de virar o resultado, algo que nunca ninguém logrou a duas mãos na prova. #Intercontinental

Sem serem cumpridos castigos de parte a parte, o Porto construiu uma vantagem de três golos no Dragão Arena para defender na segunda mão.

Jogando perante uma boa casa (mas confrangedora para o apelo de casa cheia que houve), o Porto assumiu a iniciativa de jogo nos minutos iniciais, contando mesmo uma bola ao ferro e uma outra em que se pediu golo, mas Girão terá tirado "in extremis" antes de passar completamente a linha.

Com o passar dos minutos, o Sporting foi-se libertando e levando perigo até à baliza de Maliàn, mas seria mesmo o Porto a adiantar-se, aproveitando a subida dos leões em pista. Aos 15 minutos, Ezequiel Mena interceptou na divisória um passe de Font e isolou-se para inaugurar o marcador com um tento argentino na falta de equipas argentinas na prova. E, dois minutos volvidos, partindo da tabela lateral, o também argentino Reinaldo Garcia passou pelo compatriota Matías Platero para rematar na zona frontal para o 2-0.

Paulo Freitas reagiu com um desconto de tempo e, no regresso à pista, um azul a Mena levou Gonzalo Romero para a marca de livre directo e, com um tango do país das pampas (ao contrário da sua habitual pancada forte), Romero reduziu.

Gonçalo Alves e Gonzalo Romero bisaram nesta primeira mão.

O Porto acusou o golo sofrido e os leões tomaram conta do jogo. O empate, por Toni Pérez, a responder a uma bela assistência de Ferran Font, foi quase natural.

O intervalo acabou por ser providencial para os dragões. No arranque da segunda parte, num minuto, Gonçalo Alves e Carlo Di Benedetto desequilibraram o marcador para 4-2. E, na 10ª falta leonina, com apenas minuto e meio jogado na etapa complementar, Gonçalo esteve perto de voltar a marcar de livre directo, mas Girão ganhou o duelo. E voltaria a ganhar, numa grande penalidade, aos seis minutos.

Mesmo com as bolas paradas falhadas, o Porto ganhava ímpeto com a impressionante entrada nesta segunda parte e mantinha-se por cima na partida. A seis minutos do final, entre intervenientes portugueses, Rafa serviu Telmo Pinto o 5-2.

A vantagem de três golos dava algum conforto aos azuis-e-brancos, mas não a conseguiriam segurar. O Sporting procurou e conseguiu reduzir, na 10ª falta, em novo livre directo (agora com remate pronto) de Gonzalo Romero. Ferran Font isolou-se e esteve perto de ser herói, mas, com uma simulação sobre o apito final, acabaria por ser vilão. Mesmo sem tempo para jogar, Gonçalo Alves foi eficaz e fez o 6-3 que repunha a vantagem em três golos.

A segunda e decisiva mão está agendada para este domingo, a partir das 18h, no João Rocha, sendo que, na História da prova, com cinco decisões a duas mãos, nunca ninguém virou um primeiro resultado desfavorável.

Inline content
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Contacte-nos
BackOffice
Política de Privacidade